13 de jul de 2016

DIA INTERNACIONAL DO ROCK - THE ALAN PARSONS SYMPHONIC PROJECT - "Live in Colombia" - 2016

Mais uma vez chegamos ao 13 de julho, Dia Internacional do Rock, como se todo dia não fosse dia de rock, mas enfim, vamos seguir a tradição e usar o dia de hoje como motivo para dedicar uma homenagem a Alan Parsons, o engenheiro de som que passou nada mais nada menos, pelos Beatles e pelo Pink Floyd (The Dark Side Of The Moon) e depois veio a somar forças como um competentíssimo músico de rock progressivo (...deve ser por conta das boas influências...).

Podemos considera-lo como um músico completo, pois atua nos bastidores musicais com conhecimento de causa e ainda por cima esbanja um talento nato para compor peças extremamente complexas e sofisticadas.

Ele sempre esteve muito bem acompanhado de músicos de primeiríssimo escalão que dão vida às suas composições e cabe lembrar que até 2009 teve ao seu lado o seu fiel escudeiro, Eric Woolfson que é co-fundador do “The Alan Parsons Project”, tendo atuado como produtor, compositor, letrista, pianista, mas infelizmente já é falecido.

Alan Parsons, lançou seu primeiro álbum em 1976, chamado “Tales of Mystery and Imagination - Edgar Allan Poe”, uma obra mais do que prima, proporcionando uma viagem obscura nas profundezas insanas da mente de Edgard Allan Poe, ou seja, começou com o pé direito.

Na sequência, lançou álbuns absolutamente antológicos, como, “I Robot”; “Pyramid”; “Eve”; “The Turn Of A Friendly Card” e tantos outros que vieram posteriormente, num total de doze álbuns de estúdio, dois gravados “ao vivo” e mais umas dez ou doze coletâneas de suas músicas ao longo dos tempos.

A boa notícia é que ele está mais vivo do que nunca e a prova disto é seu mais recente álbum, “Live in Colombia”, com sua banda, “The Alan Parsons Symphonic Project”, trazendo um elenco de músicas de seus diversos cobrindo praticamente toda a sua obra, portanto tem música suficiente para agradar a Gregos e Troianos.

Se notaram, apareceu um “Symphonic” no meio do nome da banda, pois a Orquestra Filarmônica de Medellín, juntamente com o Estúdio Polifônico de Medellín, foram agregados à banda, logicamente proporcionando uma nova dimensão à música de Alan Parsons

Clássicos que se já eram muito bons em sua forma original, ganharam um extra corpo e certa dose de dramaticidade não só pela Sinfônica, mas pelo Coro também que juntos ao restante da banda formam um grande conjunto conduzidos pela genialidade musical de Alan Parsons.

Cabe alguns destaques relativos as músicas que mais me agradaram, como “The Raven” extraída do álbum “Tales of Mystery and Imagination - Edgar Allan Poe”; “I Robot” do álbum de nome homônimo; “The Turn of a Friendly Cards – Parts 1 e 2”, bem como “Snake Eyes”, “Nothing Left to Lose” também extraídas de “The Turn of a Friendly Cards” e várias outras, mas cabe ressaltar que o álbum como um todo é muito bom da primeira à última faixa.

Finalizando, só cabe aqui ao blog desejar um grande Dia Internacional do Rock a todos os amigos e frequentadores deste botequim musical e aproveitar para convidar à audição deste magnífico álbum.

ALTAMENTE RECOMENDADO!!!!

The Alan Parsons Symphonic Project
Alan Parsons / Guitar, Keyboards, Vocals
Guy Erez / Bass Guitar, Vocals
Danny Thompson / Drums, Vocals (3)
Alastair Greene / Guitar, Vocals
Tom Brooks / Keyboards, Vocals
P.J. Olsson / Lead Guitar
Todd Cooper / Saxophone, Guitar, Percussion, Vocals

With:
The Philharmonic Orchestra Of Medellin / Orchestra
Estudio Polifónico De Medellín chorus / Chorus


Tracks 
CD1 
01. I Robot (6:25)
02. Damned If I Do (4:34)
03. Don't Answer Me (4:37)
04. Breakdown (4:05)
05. The Raven (2:52)
06. Time (5:30)
07. I Wouldn't Want to Be Like You (5:00)
08. La Sagrada Familia (6:05)
09. The Turn of a Friendly Card (Part One) (2:54)
10. Snake Eyes (3:01)
11. The Ace of Swords (2:48)
12. Nothing Left to Lose (4:35)
13. The Turn of a Friendly Card (Part Two) (4:23)

CD2
01. What Goes Up . (4:38)
02. Luciferama (5:22)
03. Silence And I (7:47)
04. Prime Time (8:13)
05. Sirius (2:13)
06. Eye In The Sky (5:12)
07. Old And Wise (5:40)
08. Games People Play (4:55)




2 comentários:

  1. Fala Gustavo!
    Mais uma ótima indicação. O trabalho de Alan Parson tem deixado sua marca através de décadas, marcando o tempo com um pop clássico de enorme aceitação e sucesso, mesclado com trabalhos sinfônicos mais elaborados. Excelente dica!
    Abraços a todos,
    Ricardo

    ResponderExcluir
  2. Comentário procedente do Ric.
    Mistura de Beatles com Pink Floyd, da melhor qualidade.
    Long Live Rock and Roll!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails