12 de dez de 2014

GENESIS - "World Tour - Chicago" - 1977

Ultimamente tenho escutado os álbuns “A Trick Of The Tail” e “Wind & Wuthering”, sabe-se lá o porquê, mas isto é um fato e acabou por me colocar em contato com um bootleg da "World Tour" no ano de 1977 do Genesis, realizada mais precisamente na cidade de Chicago, USA  trazendo várias músicas destes dois álbuns.

Até ai, nada de mais e, para piorar, não tem Peter Gabriel, só que, até este momento o comportamento da banda ainda era fiel ao espírito do grupo e convenhamos que os dois álbuns citados acima, são muito bons (pelo menos, para mim) e as músicas da “Era Gabriel”, foram executadas com extrema dignidade e respeito.

Tendo em vista que interpretar uma música como, “Supper’s Ready” não é uma tarefa para qualquer “Zé Mané” e levando-se em conta o elevado grau de dificuldade desta música, até que Phil Collins não se saiu mal e com certo patriotismo “Genesiano”, mandou muito bem no vocal e em sua bateria, bravamente acompanhado de outro nome de expressão do mundo da percussão, Chester Thompson.

Esse show também é para mim é um espelho e uma forte lembrança, a rigor memorável das duas apresentações do Genesis, no Brasil, neste mesmo ano, onde tive o privilégio de assistir no Maracanãnzinho, RJ, com direito a música de primeiríssima qualidade e muita pirotecnia (bonecos infláveis, luzes, projetores de raio lazer e tudo mais....) com um “set-list” de músicas muito similar a deste bootleg.

Pessoalmente, gostaria de ver nos vocais, Peter Gabriel que além de ter uma voz incomparável, certamente daria também um show de teatro ao interpretar suas músicas, entretanto, cabe ressaltar que um show daquela magnitude no Brasil, era tudo de bom, algo tão distante, até mesmo inimaginável, apresentado com recursos tecnológicos aquém da nossa realidade que foram disponibilizados para uma plateia ávida, literalmente faminta por assistir um show de verdade, a rigor,  um “Concerto”.

Todos os músicos que passaram pela banda e não foram muitos, tinham e com certeza ainda têm uma característica em comum, a de serem “excelente músicos” e por conta disto, mesmo sem presença de Peter Gabriel, foi possível manter uma sinergia muito intensa entre a banda e a plateia.

Apesar da acústica do Maracanãnzinho não ajudar muito, lembro que a vibração da música, associada às técnicas de iluminação empregadas, botava qualquer um em transe, sem a necessidade do uso de qualquer agente químico externo, sendo causado apenas pela incrível sensação de bem estar que aquelas músicas provocavam.

Algo marcante desse show que ainda é muito vivo em minhas memórias, é solo de guitarra de Steve Hackett na música, “In that quiet earth”, acompanhada de um canhão de raio lazer que ficava pipocando na cobertura do Maracanãnzinho produzindo um efeito incrível.


O show de Chicago é praticamente o mesmo dos shows do Rio e de São Paulo, que inclusive já foram disponibilizados aqui no blog há algum tempo atrás, portanto, fica o convite a todos, para mais uma vez se deliciarem com a música do Genesis.


ALTAMENTE RECOMENDADO!!!!

Genesis:
Tony Banks
Steve Hackett
Mike Rutherford
Phil Collins
Chester Thompson

Tracks:
01 - Intro
02 - Squonk
03 - One For The Vine
04 - Robbery, Assault And Battery
05 - Your Own Special Way
06 - Firth Of Fifth
07 - Carpet Crawlers
08 - In That Quiet Earth
09 - Afterglow
10 - I Know What I Like
11 - Intro
12 - Eleventh Earl Of Mar
13 - Supper's Ready
14 - Dance On A Volcano
15 - Los Endos
16 - The Lamb Lies Down On Broadway
17 - The Musical Box

5 comentários:

  1. Fala Gustavo!

    Não tinha esse, muito obrigado. Concordo com cada letra que escreveu e já curtimos memoráveis discussões aqui, sobre o Genesis da era Gabriel e da era Colins. Apenas acrescentaria mais um na lista: de 1978 ... And Then There Were Three. Já começando a esbarrar na linha Pop, que viria a partir do lançamento de Duke em diante, mas ainda com traços originais.
    Aproveitando, vou mandar por e-mail a lista de Bootlegs que tenho aqui. Caso queira postar algum deles, terei enorme satisfação em disponibilizar.
    Abraços a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ricardo,

      Valeu pela lista e certamente vai ter muita coisa que eu não tenho...... muitíssimo obrigado......

      Esse álbum é bem legal e vale a pena cada música......

      Muito bom tê-lo por aqui de novo......


      Um forte abraço,


      Gustavo

      Excluir
  2. Cara, muito obrigado por esta postagem. Sou fã do Genesis, e principalmente da música Carpet Crawlers que marcou um momento muito legal da minha vida. Sei que muitos preferem o Peter Gabriel, mas essa música em especial com o Phil Collins, ficou demais. Já tenho ela no Seconds Out e agora nesse álbum. Muito legal. Abraço,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernando,

      Fico feliz que tenha gostado do álbum e rogo para que possa aproveitá-lo muito.......

      Obrigado por sua presença.....

      Abraços,

      Gustavo

      Excluir
  3. Queria agradecer muito a divulgacao de novos materiais daquela epoca, tao farta de bons musicos e boa musica. E o Genesis e' um icone exemplar daquele tempo.

    Boa musica nao deve morrer nunca! Deve, nao so', ser re-ouvida, mas incentivada e cultuada como celebracao e tributo a todos aqueles criadores e executores que deixaram para a musica moderna um legado de criatividade, ousadia e tecnica nunca visto antes ou depois dos anos 70.

    Ainda que, por interesses financeiros, a midia tenha tentado massivamente minimizar o valor das obras daquele periodo (e ate' do estilo Progressivo em geral), este deixou influencias incontestaveis na producao musical de quase tudo que se seguiu ate' os dias de hoje; seja a respeito de tecnicas de gravacao, arranjos, estrutura e forma musical, timbres ou fusoes, o Rock Progressivo continua como uma fonte de inspiracao para todos os outros generos . De Madonna a Lady Gaga, de Bee Gees a Artic Monkeys e' possivel sentir a influencia do estilo em determinadas passagens musicais, em alguns solos, introducoes e etc.

    Louvar a boa musica de bandas como Emerson, Lake & Palmer, Jethro Tull, Yes, Focus, King Crimson, Pink Floyd, Renaissance, Premiatta Forneria Marconi, Mike Oldfield, Supertramp entre tantos outros com estilo proprio, e' fazer justica a um tempo em que jovens e talentosos artistas se dedicavam seriamente 'a musica para cria-la de uma forma sempre surpreendente; para tornar possivel grava-la de acordo com suas mais profundas e/ou estranhas interpretacoes; e mais do que isso, ainda leva-la inteira para reproduzila no palco!

    O Genesis e' um exemplo dessa criatividae, ousadia e tecnica cuja obra espanta nao so' pela qualidade, mas tambem pela rapidez com que foi produzida. De Outubro de 1970 a Fevereiro de 1976 (pouquinho mais de 5 anos), entre shows, excursoes, ensaios, performances em radio/tv, compromissos extras com a midia e problemas particulares, o Genesis conseguiu lancar 6 albuns magnificos, tanto que permanecem ate' hoje como "classicos". Tamanha producao, com tamanha qualidade e com essa rapidez seria algo absolutamente impensavel nos dias de hoje, em que um artista lanca um Cd em cada 3, 4, ou 5 anos.


    Grato pela divulgacao e... viva a boa musica :)

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails