26 de jun de 2014

YES - "Heaven & Earth" - 2014


Só mesmo o YES para tirar exílio e me fazer voltar a escrever, uma vez que acaba de lançar mais um álbum de estúdio, intitulado “Heaven & Earth”, com a capa desenhada pelo mago do design, Roger Dean, que já está disponível em alguns blogs e agora o faço por aqui, com certo receio, pois ela será elaborada apenas com a primeira impressão de uma única audição, que na verdade, é a que realmente fica.

Interessante, pois desde a entrada de Jon Davison em substituição a Benoit David, eu devo ter escutado uma ou duas músicas do YES com o novo vocalista, até mesmo por preconceito, mas principalmente pela palidez que uma legenda tão importante como YES estava se encontrando ao final da turnê de divulgação de “Fly From Here” que não foi um mau álbum.

Jon Davison
“Heaven & Earth”, surpreendeu ao remeter a uma situação que para mim a principio era irreversível, eu explico, pois seus músicos veteranos, Chris, Howe e White, apresentavam visíveis sinais de cansaço, melhor dizendo, falta de saco mesmo para tocar suas músicas novas e até mesmo as antigas, executando-as de forma burocrática e protocolar, o que me deixava muito incomodado em ver a decadência da banda.

Desta vez, algo inesperado aconteceu, mas não esperem que tenha sido algum milagre e que “Heaven & Earth” seja um revival de um “Fragile” ou coisa parecida, pois não é mesmo, mas é possível sentir certa alegria, leia-se "TESÂO", por parte dos músicos com este trabalho que de certo modo tira a banda do marasmo reinante que há muito tempo os assolava.

Jon Davison tem a seu favor o fato de ter talento e uma personalidade forte o suficiente para fugir dos falsetes vocais, afim de, igualar a sua voz a de Jon Anderson, o que seria uma estupidez sem tamanho, pois tendo como exemplo o que aconteceu com Benoit David que ousou além de suas possibilidades e detonou suas cordas vocais.

Geoff Downes
Geoff Downes têm um estilo musical completamente diferente de seus antecessores, inclusive preferindo o que há de mais moderno e sofisticado em termos de equipamentos e programação, entretanto, neste trabalho ele se mostrou bem mais sinérgico em relação ao grupo e ao espírito da banda, fazendo uma boa integração entre o vocal de Jon Davison e às cordas de Steve Howe, arriscando até alguns solos interessantes, como por exemplo, o que há na música, “Step Beyond”.

Em geral o álbum mostra consistência em sua proposta temática em todas as suas oito músicas, que aparentemente estão entrelaçadas contando uma história que ainda não tive tempo de traduzir para ter realmente certeza do que estou dizendo, lembrando que este álbum só foi escutado uma única vez até este momento.

Classificá-lo musicalmente agora não seria conveniente e um tanto imprudente de minha parte, mas acredito que ele possa estar inserido em uma nova linhagem progressiva do século 21, menos densa e até por conta disto, mais humana, portanto, esta missão é solitária e intransferível, cabendo a cada um que escutá-lo tirar suas próprias conclusões. 

De todo modo um novo álbum do YES é sempre uma boa notícia, um alento em tempos musicais tão sombrios, mesmo ele tendo a supressão da presença de Jon Anderson e Rick Wakeman que são duas entidades humanas que fazem parte de uma esfera musical superior que vai além de uma simples explicação, então, fica o convite a todos a experimentarem o mais novo trabalho do YES.

APRECIÁVEL!!!!

YES:
Steve Howe / Electric Guitar, Acoustic & Steel Guitars, Backing Vocals
Chris Squire / Bass Guitar, Backing Vocals
Alan White / Drums, Percussion
Geoff Downes / Keyboards, Computer Programming
Jon Davison / Lead & Backing Vocals, Acoustic Guitar on tracks 1, 4 & 6



TRACKS:
01 – Believe Again (Davison/Howe)
02 – The Game (Squire/Davison/Johnson)
03 – Step Beyond (Howe/Davison)
04 – To Ascend (Davison/White)
05 – In A World Of Our Own (Davison/Squire)
06 – Light Of The Ages (Davison)
07 – It Was All We Knew (Howe)
08 – Subway Walls (Davison/Downes)




9 comentários:

  1. Não tinha ouvido o YES antes, baixarei este álgum. É um estilo bem diferente do que aprecio, mas a julgar pelos previews postados é muito bom. Gostei principalmente dos videos, um conceito bem trabalhado e bonito.

    ResponderExcluir
  2. Caro Gustavo,
    legal sua resenha!
    Fizemos uma em nosso blog também, sobre o álbum.
    Darei uma olhada no restante do conteúdo.
    Forte abraço, e sigamos adiante, ouvindo e resenhando!
    abraços
    Escuta Essa!

    ResponderExcluir
  3. O link não funciona

    ResponderExcluir
  4. opa, meio atrasado mas tá valendo, achei o disco interessante é bem como vc falou, uma nova linhagem de progressivo, menos densa mas muito harmoniosa.

    ResponderExcluir
  5. os links desse blog nunca funcionam, é só para informações

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Velho, não me leve a mal....

      Você parece o Rubinho Barichello...

      Chega com mais de 2 anos atraso e ainda quer que o link esteja ativo ????

      Veja a data desta postagem......


      Excluir
  6. Parabéns pelo Blog e também pelos comentários desta Banda Antológica do Yes. Acompanho o Yes a 40 anos, e nem preciso comentar que é a minha banda favorita de Rock Progressivo. É grandioso o esforço de Squire para mante-la viva no mundo da música, porém a cereja do bolo, o tempero ideal para o Yes chama-se Jon Anderson.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pelo blog e pelos comentérios desta Banda Antológica
    do Yes. Em Heaven & Earth podemos dizer que nos faz lembrar um pouco o Yes do passado. O grande esforço do Saudoso Cris Squire é grandioso para se manter no mundo da música atual sem tirar a essencia das musicas de outrora.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails