6 de jan de 2014

RUSH - “Universe Divided” - 1979

Todo inicio de ano bate uma puta ressaca de tudo o que aconteceu no ano anterior e realmente fica difícil dar o “start” para começar o ano e então, igual a um carro velho, é preciso um empurrão para pegar no tranco, portanto o RUSH será o meu empurrão para iniciarmos os trabalhos de 2014.

O RUSH é uma banda que nos oferece uma música diferenciada e que na maioria dos casos é feita para levantar defunto, pois é intensa e vigorosa por essência, aliás, duas das muitas qualidades da banda que sempre primaram pelo virtuosismo individual que quando somados se transformam em um dos maiores Power Trios do planeta.

Querer definir um estilo musical para a banda que melhor retrate o conteúdo de sua música é uma tarefa um tanto complicada, pois eles como camaleões, foram se adaptando às modernidades musicais que foram surgindo ao longo das décadas, portanto, seja o que for isso não tem a menor importância e somente RUSH já basta, pois virou uma marca registrada de um estilo único de criar música. 

Dando uma conferida nos arquivos, acabei por encontrar uma das várias preciosidades da banda, um bootleg intitulado “Universe Divided”, gravado em maio de 1979 em Offenbach, Frankfurt, Alemanha, no momento em que realizavam a “Hemispheres Tour” para a divulgação do álbum de nome homônimo, sem dúvidas um dos melhores produzidos nos anos setenta pela banda, praticamente uma continuação do álbum antecessor, “A Farewell to Kings” que sem dúvidas é uma obra prima.

Além das músicas de “Hemispheres” que são ótimas por sinal, do álbum “Rush” temos as músicas, “Working Man” e “In the Mood”; do álbum “Fly By Night” temos as músicas, “Anthem“ e “By_Tor and The Snowdog”; do álbum, “Caress of Steel“ temos a música, “Bastille Day” e do álbum “2112” temos as músicas, “Passage To Bangkok”, “Something for Nothing” e “2112”; do álbum “A Farewell to Kings” temos as músicas, “Xanadu”, “Closer To The Heart”, “A Farewell To Kings” e “Cygnus X-1”, ou seja, somente clássicos retirados dos álbuns anteriores a "Hemispheres" e como não poderia ser diferente, ficaram de fora desta seleção, diversas outras músicas que aqui poderiam estar sem o menor problema.

Do álbum “Hemispheres” ficou apenas de fora a música “Circumstances” e logicamente o destaque deste álbum fica por conta da música, "Cygnus X-1 Book II Hemispheres", uma suíte de uns dezoito minutos, onde Power Trio mostra todo seu potencial com o vigor que lhe é característico em seus álbuns de estúdio e em suas apresentações públicas.

A música “Xanadu”, não perde o seu encanto nunca e mesmo hoje em dia, escutá-la provoca o mesmo prazer que eu tinha a mais de trinta anos, pois foi criada em um momento mágico em que todos os estilos musicais passavam independente de sua origem.

Generalizando, este bootleg passa pelo hard rock, heavy metal e por que não, pelo rock progressivo, oferecendo um leque de opções musicais muito eclético o que pode agradar a uma massa de ouvintes muito grande, portanto, por estas e outras razões óbvias só resta recomendar a audição deste álbum a todos.

ALTAMENTE RECOMENDADO!!!!

RUSH
Geddy Lee - Lead Vocals, Bass Guitars and Keyboards
Alex Lifeson - Lead Guitars 
Neil Peart - Drums and Percussion

Tracks
Disc 1
101. Anthem 4:16
102. Passage To Bangkok 3:55
103. Bytor and The Snowdog 5:36
104. Xanadu 12:13
105. The Trees 5:06
106. Hemispheres 19:31
107. Closer To The Heart 3:21
108. Something For Nothing 3:58

Disc 2
201. A Farewell To Kings 5:45
202. La Villa Strangiato 10:33
203. 2112 19:27
204. Working Man 3:34
205. Bastille Day 1:42
206. In The Mood 2:41

207. Drum Solo 5:08
208. Cygnus X-1 9:16




7 comentários:

  1. Ai, ai, ai, o Gustavo vai ser papai!
    Post do Rush... Vai pro trono ou não vai?
    Afirmativo!
    O Rush estreou com uma paulada,chupando uns riffs do Led Zeppelin.
    Mas, já no seu segundo trabalho, apresentou uma evolução.
    Seguiu, sofisticando seu som,com a presença agradável de sintetizadores.
    Um power trio hiper competente, superior ao Cream.
    Alô, alô Terezona, vc continua tocando sanfona?
    Vcs querem que eu morra?
    Fora Eric Clapton, Jack Bruce e Ginger Baker!

    Aquele abraço, Gustavo!

    ResponderExcluir
  2. Caramba Gustavo!

    Fantástico bootleg! Estou ouvindo a primeira faixa e estou sorrindo com a qualidade... Realmente esses fãs fazem coisas maravilhosas por amor às suas bandas favoritas. A qualidade dessa gravação se bobear é melhor do que a do "all the world's a stage".

    O Rush nessa turnê parecia querer provar para o mundo inteiro que eles eram a banda mais técnica do planeta, promovendo o disco mais elaborado e complexo da carreira. Estavam tocando absurdos em uma extensa e massacrante turnê vivendo o desgaste que todos rocker passam, para depois darem uma simplificada no som e um tempo e cuidarem melhor de suas famílias segundo o Ged Lee.

    Acho que o Rush está em pé de igualdade com o Cream! Caras, fora um pouco do universo prog rock tem algumas bandas do Canadá que eu gosto muito além do Rush, claro! Gosto demais do Triumph que faziam um som na cola do Rush, meio prog, com pitadas Jazz, Hard, e AOR. O April Wine é outra que gravou um discão hard rock chamado Harder... Faster em 1979. Tem o Moxy que gravou um álbum de estréia fantástico em 75 na cola do Zeppelin, Sabbath e Deep Purple com participação de Tommy Bolin em vários solos no disco. O Pat Travers também faz um blues rock pesado muito bom. Tem o Bachman Turner Overdrive também que fazem um hard rock mais básico com influências do southern rock e é muito boa.

    Carlos Chacrinha é o Anc??


    Abraços a todos! Feliz 2014!

    Luciano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciano,

      Bem vindo meu velho,

      O Rush é uma das poucas bandas, talvez a única que não tenha um contra-ponto direto para se estabelecer um confronto e em geral eu vejo a comparação deles com o Cream, mas fora o fato de ambos serem um trio, as músicas não são comparáveis e os músicos, por sinal, todos com nível altíssimo de virtuosismo, tem estilos de atuar bem definidos......
      Característicamente a música do Cream é influenciada pelo “Blues-Rock” e por sua vez, o Rush atua muito próximo do hard-rock e até por estar na ativa a mais tempo chegou a fletar em alguns álbuns com rock progressivo, portanto, eu não consigo entender a comparação, pois sem dúvidas, as duas são excelentes bandas, cada uma ao seu modo.....

      Velhão, tirando o Triumph eo Bachman Turner Overdrive, as demais bandas que você citou eu não conheço e vou dar uma pesquisada, depois eu te falo algo......

      Como estou um tanto atrasado, sua pergunta já foi respondida pelo próprio ANC....

      Um forte abraço,

      Gustavo

      Excluir
    2. Gustavo, concordo com você. Musicalmente o Cream é bem diferente do Rush. Você mandou bem.

      Da uma pesquisada nessas bandas, você vai gostar.

      Abraços

      Luciano

      Excluir
  3. NÃO MEU GRANDE AMIGO!!!!!!!!!! SE FOSSE O ANC, TERIA ESCRITO DUAS PÁGINAS OU MAIS SOBRE O RUSH....INFELIZMENTE FALTA-ME TEMPO....MAS EM BREVE RETORNAREI A DIVIDIR ESSE ESPAÇO COM MEUS AMIGOS!!!

    ABRAÇO...FORÇA...SUCESSO A TODOS!!!...FORÇA MANO VÉIO E FELICIDADES

    ANC

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa você vai ficar me devendo.......

      Abraços,

      Gustavo

      Excluir
    2. Fala Anc! Você faz falta! Quando puder apareça e mande ver!

      Abraços

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails