19 de jan de 2014

ELOY - "Reincarnation on Stage" - 2014

Mais de quatro décadas se passaram desde a sua criação e o Eloy ainda esta na ativa, comportando-se como se ainda estivesse na década de setenta, com o mesmo empenho e criatividade, entretanto, agora no corpo de músicos que em sua maioria devem estar com mais de sessenta anos, mas que ainda mandam muito bem e agora como decanos de uma universidade dão uma aula de música.

Esta aula, está contida no álbum, "Reincarnation on Stage", lançado 17 de janeiro de 2014, que é uma verdadeira declaração de amor à música feita pela banda e principalmente por parte de Frank Bornemann que incansavelmente procurou chegar o mais próximo ao possível dos álbuns de estúdio para garantir a fidelidade dos originais, portanto em uma declaração que fez no site oficial da banda, ele nos faz entender o porquê de ter duas guitarras e dois teclados, bem como trazer alguns vocais adicionais que fizeram parte de álbuns anteriores.

Frank Bornemann como sempre, esteve muito bem acompanhado nas inúmeras formações que a banda teve e agora manteve ao seu lado a formação do último álbum de estúdio, “Visionary” de 2009, figuras mais que conhecidas e que já estiveram ao seu lado há tempos atrás como Michael Gerlach e Hannes Folberth a frente dos teclados; Klaus-Peter Matziol no comando do baixo e Bodo Schopf responsável pela bateria e percussão.

Ele trouxe também convidados para complementar o grupo, os músicos, Steve Mann na guitarra, Alexandra Seubert e Tina Lux nos vocais e Anke Renner para o backing vocals.


Com o time montado, vamos ao show onde às músicas elencadas fazem parte da longa história da banda, todas grandes clássicos do rock progressivo e neste caso, extraídas a partir do álbum “Power and the Passion”, passando por ”Down”; “Oceans”; “Colours”; “Planets”; “Time to Turm”; “Metromania”; “The Tides Return Forever”; “Oceans 2” e por último, o álbum “Visionary” que ao que parece deu um fôlego extra à banda, permitindo que pudessem chegar tão longe.

Aliado a este álbum, que oficialmente é o segundo gravado “Ao vivo” da banda, foi lançado anteriormente um DVD intitulado, “Live Impressions” com os shows de Mainz de 2012 e Loreley de 2011, fruto de um projeto para documentar a história e os feitos da banda.

Acredito que tudo já tenha sido dito a respeito do Eloy e de Frank Bornemann aqui e em outros blogs do gênero, entretanto, ainda cabe ressaltar a coragem e a determinação destes músicos que tem suas origens muito bem definidas em outras épocas, mas que sem se preocupar com os modernismos das tendências musicais atuais, ainda conseguem nos transportar no tempo e nos levar a uma incrível viagem ao passado.

Em se tratando de Eloy, eu sou extremamente suspeito, pois sou um amante confesso de sua música e como não poderia ser diferente, eu o recomendo a todos que gostem de uma boa música, independente serem fãs ou não da banda.




ALTAMENTE RECOMENDADO!!!!

ELOY
Frank Bornemann / lead vocals, guitar
Michael Gerlach / keyboards
Hannes Folberth / keyboards
Klaus-Peter Matziol / bass
Bodo Schopf / drums, percussion
Guests musicians:
Steve Mann / guitar
Alexandra Seubert / vocals
Tina Lux / backing vocals
Anke Renner / backing vocals

Tracks
CD01
01. Namaste (2:49)
02. Child Migration (5:26)
03. Paralized Civilization (7:56)
04. Mysterious Monolith (6:40)
05. Age Of Insanity (7:12)
06. The Apocalypse (11:09)
07. Silhouette (3:58)
08. Poseidon's Creation (11:24)
09. Time To Turn (4:20)
10. The Sun-Song (5:11)
11. Horizons (4:09)
12. Illuminations (6:30)

CD02
01. Follow The Light (8:00)
02. Awakening Of Consciousness (5:55)
03. The Tides Return Forever (7:03)
04. Ro Setau (7:02)
05. Mystery (8:58)
06. Decay Of Logos (8:20)
07. Atlantis' Agony At June 5th 8498,13 p.m. Gregorian Earthtime (7:55)
08. The Bells Of Notre Dame (5:49)
09. Thoughts (1:40)

LINK

31 comentários:

  1. Os Heróis de Cazuza estão mortos e sepultados ...os meu estão vivos...como neste post

    Anc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem vindo meu velho......

      Abraços,

      Gustavo

      Excluir
    2. Estava ouvindo esta obra prima postada pelo Gustavo e vim agradecer... E para minha surpresa, encontro o Sr. Anc. Muito bom vê-lo por aqui. Farei um post do ELOY tb. Abs Anc.

      Excluir
  2. Eu tinha certeza que ele voltaria. A question of time.

    Advogado do Xerxes

    ResponderExcluir
  3. Ô, Ô, Ô, Frank Bornemann vai ser vovô!
    Post do Eloy... vai para o trono ou não vai?
    Afirmativo!
    Enquanto seus ídolos(Pink Floyd) se aposentaram há anos, o vovô Frank Bornemann e seus aliados continuam a produzir.
    Gustavão, deixa de ser bobão, o Eloy nos trabalhos em estúdio , nalguns álbuns, usaram dois guitarristas e dois tecladistas.
    Portanto, meu filho, não há excedente no palco, ao contrário dos seus ídolos(Pink Floyd).
    O dinossauro Pink Floyd virou só pompa, caça níqueis. O grande Eloy é música, é show!
    A discografia do Eloy é mais rica e coerente= 18 álbuns de estúdio, cujo disco de estreia foi em 1971.
    O Pink Floyd, fez seu debut em 1967, gravando apenas 14 álbuns. Uma vergonha! Troféu abacaxi para o Pink Floyd!
    Um , seu negócio é aviação... outro, carros de fórmula Um... um, que já foi pro saco, gostava era de aventuras marítimas, navegar...
    outro, é amante de futebol... e o diamante louco, tbm morto, optou por pintura, abandonando a música.
    Para o Pink Floyd, música é coisa secundária.
    O Eloy sim, é um conjunto musical.
    Alô, alô ANC, seu carro tem motor de arranque?
    Vcs querem que eu morra?
    Fora Pink Floyd!

    Aquele abraço, Gustavo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alô alô seu Chacrinha, como vai a sua Terezinha???

      Velho Guerreiro, até um "tatú-bola" mal treinado em rock progressivo, sabe que o Eloy em algumas ocasiões utilizou-se de mais de uma guitarra e teclados em seus trabalhos de estúdio, entretanto, como você não percebeu, eu explico: o destaque dado não foi feito pelo excesso de músicos em cena e sim pela intenção de Frank Bornemann trazer ao palco a fidelidade e a experiência dos recursos dos estúdios......

      Pink Floyd x Eloy, daria um bom "UFC" musical......

      São duas jóias raras bem distintas, onde uma (PF) teve uma atuação comercial mais forte e efetiva, com consequente projeção mundial e com alguns álbuns excelentes e outros nem tanto.......

      e a outra, o Eloy, com menos apelo comercial, tem uma obra mais consistente e atraente e que em sua maioria, beira a excelência, por conta da indiscutível genialidade de Frank Bornemann que contamina os demais músicos que o acompanham...

      Vocês querem bacalhau????

      Abraços,

      Gustavo




      Excluir
    2. Chacrinha, Pink Floyd é Pink Floyd, Eloy é Eloy. Meu, falar mal do Pink Floyd é heresia para quem gosta de Prog. Eloy é uma super banda, ainda produtiva, uma sonzeira de primeira... Mas o PF é uma banda que embrionária, que alterou, inovou o cenário... Tenho todos os discos das duas (não tinha esse que o Gustavo postou). Bom... mesmo assim, um enorme prazer ver uma discussão no velho Buteco...

      Excluir
  4. Navego há um bom tempo no blog, este, em questão.

    É de se notar que o proprietário só tende a divulgar boa música, sem provocar polêmica.
    Porém, ao proliferar opiniões diversas, muitas primando pelo radicalismo, desavenças, ataques pessoais e tanto mais, esvaziaram as boas , pra não dizer ótimas postagens do jovem Gustavo.
    Lamentável! A calmaria ficou presente, mas comentários inteligentes, ficaram ausentes.

    Hoje, noto que um tal de Carlos Chacrete, ousa comparar Eloy com Pink Floyd.

    Gosto, gosto... Do primeiro ao último... de Syd Barrett a Division Bell, Floyd flui muito nas nossas viagens, não lisérgicas, nem todos partilham disso, mas na incomparável música, que embalou e ainda embala tantas gerações.

    E será que o líder do Eloy e sua banda também não tem outros passatempos, além da música?

    Credor do Xerxes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado “Credor do Xerxes”,

      Fico muito grato por suas palavras de incentivo e apoio......

      Acredito que dias melhores virão e os debates de alto nível que por muito permearam este espaço voltarão com o passar do tempo......

      As duas bandas fazem parte da minha vida há algumas décadas e para mim fica difícil escolher qual é a melhor, pois ambas tem algumas particularidades bem distintas que me atraem.....

      Se o Pink Floyd tivesse parado no álbum "Atom Heart Mother", onde alguns paradigmas foram quebrados e onde em meu entendimento houve a transição do movimento psicodélico para o progressivo, torna este álbum um divisor de águas na essência da banda, portanto, para mim, o Pink Floyd teria a mesma importância que tem hoje, pois foi justamente este álbum que permitiu a existência de “Meddle”, “The Dark Side....” e todas as demais maravilhas que foram produzidas depois....

      O Eloy por sua vez, com álbuns menos sofisticados no quesito "experimentalismo", manteve uma difícil uniformidade musical que ficou um tanto abalada pelas novas tendências musicais entre os anos de 1983 a 1992, apesar de que o álbum “Ra” de 1988 um tanto quanto comercial, seja de muito valor.....

      Retomaram o fôlego em 1994 com o lançamento álbum “The Tides Return Forever” e em 1998 com o lançamento de “Oceans 2” e depois com um hiato de pouco mais de 10 anos, a banda chega a “Visionary”, que definitivamente recoloca a banda no que melhor sabe fazer, "rock progressivo" e ainda com muita vontade de se manterem sempre na estrada......

      Apontar qual das duas é a melhor, essa é uma tarefa que eu não me atrevo a assumir, pois eu as adoro, cada uma a seu jeito.....

      Abraços,

      Gustavo

      Excluir
  5. Gustavo, apenas para agradecer esta jóia de Post... Empolguei nos comments, e gostei... PF x Eloy...

    Um grande abraço Gustavo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Java,

      Obrigado......

      ABraços,

      Gustavo

      Excluir
  6. Que bom poder passar por aqui nem que seja rapidamente e dizer: Que post meu amigo, e por isso que te admiro, o Eloy foi um fator de união entre nós faz tempo e continua a nos unir. Podemos não sermos gênios musicais, mas ele permanece fazendo o que sabe e gosta e nós ídem, isso que me alegra mais ainda. Ver o Anc não é novidade ele se tornou assim "uma aparição" mesmo dizendo que gosta de mim e até entendo a ele prq ele provou isso, estar ao lado nos piores momentos e deixar-se estar tb é amar. Respeito mas não concordo só que sempre me dá uma certa felicidade qeo vejo Gustavo que vc, Anc e eu conseguimos aparecer juntos, tenho muito orgulho dessa amizade mesmo e apesar de ainda pessoas perderem tempo criticando ou sua posição ou comentário de alguém a crítica que fez não acrescentou nada prq não fez o que provava; aliás não é pra qqr um fazer e escrever sobre alguém por isso criticas.
    Javanes meu amigo oriental não se desculpe por nada, seu coração é puro e aqui garanto se perguntar seus amigos irão concordar comigo. Vc é um menino que vale ouro e tem muito futuro, está no meio do furacão e em pé com sua bandeira e seus ídolos. Parabéns me orgulho de conhecer-te, pena que li tanto de alguns no começo e que no final ainda me perguntaram se eu não sabia que as pessoas se reúnem em familia nas festas de fim de ano? Nâo, tive uma 29 anos e sempre nos reunímos com ou sem $ e agora com outra a 3 anos ídem e ainda com minha mãe, mas sempre deixei um post pra os que passam as festas sós prq conheci muitos assim, mas muitos mesmo. Por isso ainda com pc no estaleiro e usando uma maquina de datilografia, passei pra dar um olá aos irmãos Anc, Gus, Gringo e Java. Saudades, devo voltar ao SM ainda esse mês ou fevereiro aí farei uma postagem pra explicar tudo. Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dead,

      Bem vindo de volta......

      Seus leitores do SM também aguardam a sua volta.......

      Abraços,

      Gustavo

      Excluir
  7. Caríssimo Gustavo, tocastes num ponto bem interessante na sua magnânima resenha: o Eloy se comporta como se tivesse na década de 70. Permita-me uma pequena discordância:
    ao vivo pode ser que a grande banda alemã, toque como nos inesquecíveis anos 70, todavia, em seus álbuns de estúdio, desde o final dos 80, o Eloy não vive como nos 70. Seu som, sem descaracterizar, ficou mais moderno e mais acessível, até comercial, vide os álbuns Ra e Destination.
    Ainda que com grandes nuances de qualidade.

    Já que falastes de banda que vive ainda como se estivesse nos anos 70, só conheço duas: Wishbone Ash e Birth Control.

    Gostaria que tu e os outros participantes do blog, me apontassem outra(s).

    Meus respeitos e parabéns pela postagem!
    Boa semana!
    At., Zé Colmeia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado “Zé Colméia”,

      Não há discordância, é exatamente isso que você disse, pois a década de oitenta e o início dos anos noventa, foi muito ingrato e difícil para as bandas de rock progressivo, entretanto, em 1994 o álbum, “The Tides Return Forever”, mostra uma mostra de recuperação das origens, o que culmina com o lançamento de dois excelentes álbuns, o “Oceans 2” e tempos depois “Visionary” que recoloca a banda em seu caminho original......

      Sua pergunta em relação às bandas com comportamento “setentista” é bem interessante e difícil de responder....... preciso pensar, mas assim de primeira, talvez o “Deep Purple” em seus shows...... o ultimo álbum de estúdio ainda não escutei, portanto fica difícil afirmar....... preciso pensar mesmo....

      Fico muito grato por sua participação......

      Abraços,

      Gustavo

      Excluir
  8. Rá... Encontrei o Buteco que tanto falavam. E olha que procurei. caro Gustavo, seus posts e resenhas são muito bons e gera toda esta discussão. Eloy e Pink Floyd, o que poderia ser mais prazeroso. Não dá para comparar. O Pink Floyd fez o Prog, construiu, embasou. O Eloy fez as pessoas gostarem de Prog. Não estão na mesma linha. Um é Proto Prog, Psycho Prog, o outro é Symphonic Prog. É ou não, é seu Chacrinha.
    70 versus 80, de novo? Oba!!!!! Vamos lá! Adoro as duas épocas. Sou dos anos 80 (comecei a ouvir som, para deixar claro) e adorei Iron Maiden, Marillion com Fish, Judas Priest, Pallas e Eloy. Nos anos 80 fiquei fissurado também no Final Cut, The Prons and Cons of Hitch Hicking, David Gilmour solos, além daquela sonzeira confusa Neo-Punk-Jazz, e sei lá o que... Jean Luc Ponty, Miles Davis (Tutu), Pat Metheny... Teve o Rock in Rio, Free Jazz, o Van Halen no Brasil (eu tava lá). Teve muita coisa boa e foi a década que eu vivi. Agora, os anos 70... Não tem comparação. Bom, para começar tá bom. Obrigado Gustavo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Pete,

      Já que encontrou o “Boteco”, puxe uma cadeira e se sente, pois a casa aqui é de todos...... seja muito bem vindo!!!!

      Pink Floyd e Eloy, são duas paixões que não se misturam e acredito até que são incomparáveis por razões óbvias e tentar encontrar uma unidade de medida capaz de aferir qual é a melhor banda, também é uma tarefa um tanto quanto difícil, portanto o que mais importa é que elas existem para criar este sentimento de dúvida e dualidade, pois a sua maneira, elas são excepcionalmente envolventes e cativantes .......

      Anos 70 x anos 80, nós até já andamos desmistificando e quebrando alguns paradigmas a respeito desta polêmica, em uma resenha de um álbum com músicas dos Anos 80 e que rendeu um numero bem expressivo de comentários......... vale a pena dar uma conferida......
      Link: http://www.7062khz.blogspot.com.br/2013/04/v-80s-in-concert-2011.html

      No mais meu velho, espero que possa aproveitar e se divertir bastante com os devaneios e loucuras que cometemos e escrevemos por aqui........

      Volte Sempre!!!!

      Abraços,

      Gustavo

      Excluir
  9. Opa, a coisa tá ficando boa,,, Java, Anc... sentei na mesa. Manda uma e vamos nessa. Gustavão, só vc para dar essa animada.

    Pete, Final Cut é bom, mas para mim representa o fim do Floyd. Mas o Eloy tem um discos muito estranhos, por exemplo, o Performance. As duas bandas detonaram nos anos 70, mas Floyd é Floyd...

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Breu,

      Eu espero que esta resenha sirva como um marco zero na volta dos debates em torno da música e que possa se propagar para os VALVULADOS, SM, APONCHO, PRV, PIRATA e todos os demais blogs que formam esta saudável confraria.........

      Só o tempo vai poder determinar este meu desejo......... vamos aguardar..........

      Um forte abraço,

      Gustavo

      Excluir
    2. Isso mesmo que estava para dizer. O debate está de alto nível e divertido.
      Tomara que não se repita o que ocorreu no passado, quando tudo começou bem e descambou para o mal.
      Abraços

      Avalista do Xerxes

      Excluir
    3. Caro "Avalista do Xerxes",

      Seu desejo é também o meu.....

      Tomara que continue assim.....

      Abraços,

      Gustavo

      Excluir
  10. Ouvi o barulho e entrei. Saudações!!! Que alegria ver luzes acesas no meu bar preferido. Depois das tempestades, enfim a bonança. Gosto demais do Eloy, e Breu, Performance é um grande álbum... Se liga. Final Cut é bem deprê, mas a música Gunners Dream é uma obra prima.
    Gustavo, este Eloy que postou é uma maravilha. Muito obrigado.
    Anc, vamos fazer um post do Eloy em sua homenagem. Já fizemos o do Deep Purple!!!
    Aliás, como apontado pelo Gus, Deep Purple é a banda que, na minha opinião, é a mais anos 70. O último álbum é muito bom... Escutem que vale a pena!
    Abraços a todos e traz mais uma...

    ResponderExcluir
  11. Gus, os últimos Purple para vc dar uma conferida:

    Now what? (2013)
    http://depositfiles.org/files/dsu0uarsr

    Rapture of the Deep (2005)
    https://mega.co.nz/#!bdhjkbiT!bIuaN1PTlujUo7vj4-umNghCk4MhMQgB8oAYDtMzPyM

    Depois dê seu aval...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Véio,

      Tudo beleza meu Irmão????

      Bem vindo de volta.....

      Já baixei os dois álbuns que ainda não tinha e agora só falta escutar......

      Valeu mesmo.....

      Depois deu passo as minhas impressões....

      Abraços,

      Gustavo

      Excluir
  12. Long Live Rock 'n Roll.......

    E saudações a todos aqui presente...Meu modesto retorno, não tem absolutamente nada a ver com questão de tempo.....Mas em dividir o pouco que sei com quem está disposto a ouvir...Acho que com o passar do tempo todo mundo deve ter ficado muito mais maduro e com os olhos bem abertos!

    ABRAÇO...FORÇA...SUCESSO!!!

    Anc

    ResponderExcluir
  13. Nooooossa!!!! Um deja vu! Maravilha.

    Traz uma cadeira aí, que hoje eu pago a conta.
    Que coisa boa. Estou meio sem tempo agora, mas parei para conferir.
    Pelada com bola nova no campinho velho.
    Não vou nem comentar a música. Só vim para assinar a lista e trazer um pouco de energia positiva, desejando que o Buteco volte com força total.
    Anc, prazer em Lê-lo por aqui.
    Breu, não ouse falar mal do Final Cut e Performance, hehehehe.
    Abraços fortes e muita paz para todos.
    V.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VS,

      É isso ai, o negócio é "pacificar" para poder fluir bem aqui e nos outros bares da net.......

      Bem vindo de volta meu irmão.....

      Abraços,

      Gustavo

      Excluir
  14. Olá. Tinha que dar meu alô. Nunca participei muito, mas gostava de ler os comentários do Ondas. O Anc disse uma coisa muito sábia, estamos mais maduros, experientes.
    Obrigado Gustavo-Ondas por ressuscitar este espaço tão agradável. Breu, não fale do que você não sabe. Progressivo é com o Java e o Valvulado, você é Bossa Nova-MPB.
    Um grande abraço e tiro meu chapéu a esta iniciativa.
    Gringo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Gringo, tudo beleza???

      Nosso Ancião e Mestre Cervejeiro está sempre com a razão......

      Quanto a "iniciativa", ele é fruto do empenho de todos nós e espero vê-la deflagrada por todos os blogs.....

      Um abração,

      Gustavo

      Excluir
  15. Bons comments e que alegria!
    Obrigado pelo Eloy.

    ResponderExcluir
  16. Amigos,
    No embate Floyd x Eloy, o Floyd ganha de goleada!! Vejamos:
    Graças ao Floyd, com o seu The Wall, foi lançada a revolução que levou a derrubada do muro de Berlim, permitindo a reunificação do Reich Alemão e a morte do comunismo, para a alegria das criancinhas de todo o mundo! Só aí já temos Floyd 3 x 0 Eloy.
    Além disso, o Eloy, mesmo com toda a sua gloriosa história, até hoje não possui sequer um único registro realmente decente de show em DVD (o Live Impressions é apenas um DVD Bootleg, um DVD bastante meia boca e insatisfatório, não está a altura da grandeza do Eloy), enquanto o Floyd possui vários shows magníficos registrados. Troféu abacaxi para o Eloy com esse DVD nas coxas, portanto o placar é:
    Floyd 4 x 0 Eloy.
    Por último, o Pink Floyd está vivo sim, muitíssimo vivo, tanto em nossos corações quanto no lado escuro da Lua (o Syd Barrett não me deixaria mentir), enquanto o Eloy está morto, bem morto e mortinho (apesar de ter reencarnado no palco, reencarnação não vale, já dizia o Papa argentino: isso é coisa do demo!!!). Assim, con la mano de dios: Floyd 5 x 0 Eloy.
    E tenho dito.
    Há braços!!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails