15 de mai de 2013

ELOY - "Live At The Marquee" - 1984

Os mantenedores de blogs, direcionados para a música, seja ela qual for, certamente estão encontrando dificuldade em manter seus blogs em atividade com certa dignidade por falta de material novo, que tenha um mínimo de qualidade para que valha a pena resenhar algo a respeito e eu incluo este blog nesta mesma situação, agravada talvez até por conta de uma predominância maior para a vertente progressiva do rock, o que certamente trás alguns complicadores extras. 

Com as devidas proporções, chega a ser um trabalho quase arqueológico em tentar descobrir antigas gravações de shows, ou “b’sides” não aproveitados de gravações de estúdio, que acabaram ficando perdidos por anos a fio em alguma prateleira da indústria fonográfica, mas que por obra e graça de algum “iluminado”, acaba sendo compartilhado na rede. 

Insistentemente tenho procurado por novas bandas ou trabalhos mais recentes de antigas bandas, mas os resultados destas pesquisas se têm mostrado quase sempre infrutíferos por diversas razões, que vão da baixa qualidade musical de bandas mais contemporâneas ou mesmo de novos trabalhos de bandas mais antigas que já chegam com “cheiro de mofo”, portanto, só escavando muito fundo para trazer alguma “novidade” proveniente do passado. 

Com este espírito desbravador e depois de muito fuçar a rede como um cão sabujo, acabei me deparando com o bootleg, “Live At the Marquee” do Eloy, datado de maio de 1984, com músicas provenientes dos álbuns, Oceans, Colours, Planets, Performance, Time to Turn e o álbum, Metromania, talvez o primeiro álbum, “progmetal” da história do rock, por conta de suas pesadas guitarras em um cenário progressivo. 

Com uma discografia de origem bem diversificada até então, este pequeno show dá uma mostra do que se escutava por fora das tendências musicais predominantes do início dos anos oitenta, colocando este tipo de música em um cenário underground, porém, viva, aliás, muito viva até hoje. 

As músicas deste bootleg mostram a transição de cenários entre o progressivo clássico e um novo progressivo, mais brando, mais comedido, porém, em algumas músicas, dosado com uma pitada de “Metal”, que em paralelo com a “New Wave”, o "Punk Rock" e a “Dance Music”, dava sinais que tinha vindo para ficar, pois não era uma vertente passageira como estas que citei, portanto, como a história não leva desaforos para a casa e não deixa ninguém mentir, o “Metal” está presente no mundo da música até hoje. 

Esta afirmação, está registrada no álbum, “Metromania”, porém, curiosamente no álbum seguinte, “Ra”, quatro anos depois de seu antecessor, um novo portal se abriu, e o progressivo clássico voltou à vida do Eloy, graças à coragem e a genialidade de Frank Bornemann

A formação da banda praticamente a cada álbum de estúdio, teve um elenco de músicos diferentes, mas isso nunca foi um problema para Frank Bornemann, que nesta apresentação contou com, Hannes Arkona, Klaus Peter Matziol, Hannes Folberth e Fritz Randow e como sempre mantiveram um patamar muito elevado na execução das músicas. 

Frank Bornemann é um sonhador, mas antes de tudo, um visionário, um músico de luz, com um talento criador inigualável, pois enfrentando todo o tipo de dificuldade, sempre deu o tom certo em seus trabalhos, independente de sua época de criação ou mesmo com quem estava dividindo a banda e neste bootleg, ele não fugiu aos padrões. 

O álbum mais recente de estúdio do Eloy que tenho notícia e que já foi postado aqui no blog, se chama, “Visionary” de 2009, mas mesmo tanto tempo depois de sua época de origem e com tantas mudanças estruturais sofridas ao longo das décadas, Frank Bornemann conseguiu manter acesa a chama da essência da banda que ilumina seus trabalhos. 

A qualidade de gravação não é das melhores, mas como é uma dificuldade muito grande em conseguir algum material do Eloy, que quando se consegue, considero este fato como irrelevante, preferindo me ater em seu conteúdo histórico, portanto, recomendo este bootleg. 

ALTAMENTE RECOMENDADO!!!!

Eloy:
Frank Bornemann
Klaus-Peter Matziol
Hannes Arkona
Fritz Randow
Hannes Folberth

Tracks:
01. Through A Somber Galaxy
02. On The Verge Of Darkening Lights
03. Hearbeat
04. Silhouette
05. Nightriders
06. End Of An Odyssey
07. Seeds Of Creation
08. Poseidon's Creation
09. Shadow And Light
10. Illuminations
11. Drum Solo
12. Fools


41 comentários:

  1. Eloy é Eloy em qualquer época, eu realmente adoro os caras e tenho alguns álbuns deles.
    Como sempre você nos surpreendendo, um sonhador, um visionário que junto com outros amigos (viu Lobo) nos trás à luz, pérolas como esta e sempre bem explicadas e comentadas.
    Um abraço, José Carlos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Zé Carlos,

      Eu sou mais que suspeito para falar alguma coisa do Eloy..... pois para mim, o pior trabalho que fizeram é "excelente"....... gosto muito mesmo!!!!

      Bicho, se por acaso alguma coisa que eu escrevo tem sentido e te agrada, tenha fé que esta inspiração não vem de dentro de mim, mas sim da música que eu escuto, principalmente se esta inspiração se chamar, Frank Bornemann....

      O "boteco" agradece as suas palavras.....

      Abraços,

      Gustavo

      Excluir
  2. ré,ré,ré....Cara o Gustavo é tão querido que nunca teria ciúmes nada, as vz a gente se esquece mesmo de citar alguém por algum motivo mas meus séculos de loo me ensinaram a farejar o caráter dos humanos.
    Não significa que não quebre a fuça, mas vc conhecemo-nos de longa data e tb é um amigo querido, por isso se agrada ao Gustavo agrada a mim.
    Senti sim qdo foi pros eua que sumiu muito, mas gostei de vê-lo de volta e não importa aqui ou acolá, estamos todos juntos, aqueles que tentamos ser melhores a cada dia, o que quase nunca conseguimos mas nunca desistir é a diferença.
    Enjoy!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dead,

      Você tb é muito querido por mim, onde não há espaço para estes sentimentos.....

      Estou ouvindo agora a banda portuquêsa que você postou no SM.....

      O Blues não é muito a minha praia, mas este álbum é muito bom mesmo..... e pode agradar a qualquer um.... inclusive a mim que tenho o gosto musical limitado.......

      Depois eu passo por lá e deixo os meus comentários....

      Abraços "velhão",

      Gustavo

      Excluir
  3. Prezados Capitães e Navegantes!!!

    Eu gosto do Eloy, acho que o Frank Bornemamm é melhor que o Ian Anderson, tenho todo o acervo do Eloy, e este post para mim, retrata a melhor fase da banda, que curiosamente (como já comentei em outro post) ficaram de fora do Rock ‘in Rio de 85 nesta puta fase, e no lugar deles tivemos que aguentar os chatíssimos Scorpions!

    Se eu tivesse que fazer uma lista das 10 melhores músicas de rock Progressivo, com certeza estariam nela In To The Lens do Yes, Camera Eye do Rush e End Of An Odyssey do Eloy – que está destacada neste álbum.

    Estas três músicas tem algo em comum, são seminais, parecem que foram desenvolvidas e criadas dentro de um laboratório subterrâneo não por músicos mas por cientistas.

    O começo de Planets é simplesmente fantástico, parece que estou vendo um filme de ficção científica!
    Pena que The Flash do álbum Time to turn não está presente, pois possui uma das melhores bases de baixo e teclado do rock progressivo....

    Fiz este breve resumo sobre o Eloy, (que ao contrário do Focus), eu acompanhei de perto a carreira,, porque na verdade o meu coment tem mais a ver com a introdução feita pelo Mano Véio em sua resenha do que com o Eloy propriamente dito que dispensa maiores comentários ....

    Isto posto!!!!

    Eu venho de forma quase sistemática afirmando neste blog, que a cada dia que passa, fica mais difícil encontrarmos bandas com trabalhos à altura dos padrões de exigência que foram estabelecidos nos anos 70....A tônica desta discussão foi tão forte (principalmente por parte minha) que acabou culminando com um antológico post com uma coletânea dos anos 80, que rendeu mais de 100 coments, homenagens no blog do Valvulado, citações no blog do Aponcho, comentários intelecto/filosóficos da Lucy, declarações de amor às nossas amadas bandas dos anos 80, rasgação de seda pra tudo quanto é lado......E como toda grande festa colorida, ela acabou com uma puta ressaca no blog do Nectar .....

    E por fim com o dramático depoimento do Mano Véio neste post do Eloy....

    “ .......com certa dignidade por falta de material novo, que tenha um mínimo de qualidade para que valha a pena resenhar algo a respeito e eu incluo este blog nesta mesma situação, agravada talvez até por conta de uma predominância maior para a vertente progressiva do rock, o que certamente trás alguns complicadores extras. ....”

    .....“Insistentemente tenho procurado por novas bandas ou trabalhos mais recentes de antigas bandas, mas os resultados destas pesquisas se têm mostrado quase sempre infrutíferos por diversas razões, que vão da baixa qualidade musical de bandas mais contemporâneas ou mesmo de novos trabalhos de bandas mais antigas que já chegam com “cheiro de mofo”,....

    Sabe o que penso dessa declaração acima do Mano Véio???? É exatamente isso que estou a quase dois anos escrevendo neste blog..It’s Over!!!!!

    Chega....Eu gosto da Olívia N. John, curto Super Freak do Rick James, ....Mas o que estamos falando aqui, é que a música de verdade, aquela que mexe com todos os sentidos, que faz você pensar!!!! Esta está morta, enterrada, com uma pá de cal em cima...

    ResponderExcluir
  4. E como bem disse o Mano Véio....Tem que fazer um trabalho quase que arqueológico para encontrar...

    No último post do Nectar eu brinquei com Deep Purple !!!! Ninguém se manifestou...Nem o Valvulado que deu a dica do CD..Sabem porque???? Ninguém tá nem aí com o Deep Purple...O Yes que virá no Brasil, vai tocar para um público médio de 1800 pessoas....

    A mídia está se lixando pra música de qualidade!!!! Música que faz com que as pessoas pensem, analisem,....

    Música hoje tem que falar de putaria, de encher a cara, e tem que ter efeitos e onomatopeia....

    O ZuiiiiiiiiiiiiiiiimmmmmmInmmmmmm de 2112 é coisa de 40 anos atrás!!!!

    Estou falando de 40 anos passados!!!!!! A década de 80 acabou a 23 anos.....E o que sobrou?????

    As músicas de novela, os Festas de Peão, as Micaretas, os Bailes Funks....a década de 80 comparado com o que está sendo feito aqui no Brasil e fora, pode se dizer que é uma revolução musical renascentista....

    Tamanho o lixo que é enfiado goela abaixo pela média, pelos mentores da cultura....Cadê o Re Start???? Cadê o Felipe Dion??? Cadê o Rebolation??? Cadê o Michel Teló..????

    Cultura descartável, usou, vendeu e jogou fora........Responda para nós Lucy, se no seu tempo de adolescente existia ‘pirigueti”...Dança da garrafa, Ke$ha, ...

    A juventude que passa na Malhação não existe, eles nem falam o português que falamos, o padrão globo de qualidade não permite que nossa juventude pense nada que não seja aquilo que possa ser vendido e descartado, porque tudo virou comércio!

    O Brasil que mostram diariamente nas novelas da Globo não existe!!!!, é surreal, nonsense...Porém projeta nas pessoas a ideia de que é fácil viver sem precisar pensar muito..
    .
    Quem está interessado em ouvir uma música chamado Agony at Juny?????...Poseidon’s Creation????

    Meu avó foi pioneiro da música sertaneja, criador da música raiz...Se ele visse o que fizeram com a música que ele criou, e no modo de vida que ela impôs aos “universitários” com certeza ele iria dizer What fuck is this?????????

    Essa é a verdade Mano Véio...

    Você intencionalmente, ou sem querer disse a grande verdade....A gente vive ainda uma ressaca sem fim com uma puta dor de cabeça...Fruto daquela deliciosa e colorida festa dos anos 80...pena que já passaram os 90, a entrada do novo milênio, a segunda década do milênio e estamos aqui celebrando um post do Eloy....

    É lógico que existem bandas citadas por todos aqui que fazem um belo trabalho, mas quem está preocupado em vendê-las para esta juventude????? Quem está interessado em fazer com que eles comecem a pensar de forma diferente???

    A Geração Coca Cola, os Filhos da Revolução, os Caras Pintadas que tinham como seu ícone o emblemático e chato Renato Russo, estão com quantos anos hoje??? Onde estão trabalhando???? Que tipo de empresários, publicitários, roteiristas, músicos, escritores se tornaram?????...

    Os amantes de Pais e Filhos se tornaram que tipos de pais????????? Como são seus filhos??????

    Meu coment não saiu da esfera musical, porque fui forjado em uma sociedade que apesar da rigidez da ditadura, tinha um nível de cultura muito superior ao que temos hoje...Não tínhamos apenas música de qualidade, tínhamos um cinema brasileiro que falava nosso português, que mostrava como era a cozinha de um pobre, e como era a polícia...

    Estamos hoje vivendo num mundo de fantasia, preso em uma ignorância tão grande, mas tão grande, que os jovens perderam a noção e relação de ocupação por metragem cúbica..

    .Se matam para entrar e universidades Federais, estudam formulas matemáticas, físicas, relação de espaço, causa, efeito, aprendem que dois corpos não ocupam o mesmo espaço...Mas mesmo assim, em nome de uma boa balada, se entopem em uma casa noturna sem perceber que na verdade estão se encurralando em uma grande armadilha...

    Depois é a mesma coisa de Sempre..Uma semana de Cidade Alerta, um Globo Reporter, uma capa da Veja, uma matéria no Fantástico e pronto...Vamos pra próxima balada...

    ResponderExcluir
  5. Encerro esse texto com a letra célebre de uma das músicas, mais cultuadas na minha juventude, e que penso, jamais teve o reconhecimento que deveria...quem souber vai entender, quem não souber que pesquise a origem..

    Segura essa Dead !!!!!!!!

    Heeiiiiiii querida ouça.....
    Ratos do meu casaco agora estão.....
    Comemorando e convidando....
    Abutres e Serpentes...
    Que esperam meu erro fatal
    Para começar o Banquete...
    E depois da devastação total....
    Eu prometo querida
    Vocccêêêêê vai confessaaaaaarrrrr
    Lavo minha alma e isso me dá uma dor horívellllll
    Ainda estou vivo!!!!!!!!!!!!!!!!!

    E salve o Eloy.....Salve Cornelius...E quem sabe quem são eles

    ABRAÇO...FORÇA...SUCESSO

    The Ancient

    ResponderExcluir
  6. Chorei, vim lendo e caí na sua armadilha como só um amigo pode armar pra outro, prq se fosse inimigo eu me preparia óbvio.
    Mas aos primeiros acordes tudo voltou, tudo volta sempre, mas quem deu o devido valor? Quem? Nem ele que depois gravou um disco quase blasé, gay sei lá o que e depois voltou nas viradas e mostrou que ainda sabia cantar e muito.
    "abrem-se as cortinas do passado, gira a mãe preta no cerrado, bota o rei congo no congado, brasil, pra mim, brasil pra mim....só pra mim!!!'
    Quem teve peito de cantar aquarela do brasil acompanhado de uma tal banda de r'r chamada made in brasil? Quem? e quem sabe disso hoje se os carros passam tocando cada merda que meu deus do céu.
    ...............cont depois de passar a emoção, porra coisa de lobo véio mesmo.......

    ResponderExcluir
  7. Eu tinha certeza que você iria amar....

    Assim como todas na minha turma, no meu tempo amavam....Era nossa Aquarela do Brasil, nosso Hino...Quem não sabia cantar ou entender o que ela queria dizer, não era digno de fazer parte do nosso Buteco....

    Hoje em dia, ela é apenas um destes artefatos históricos que o Mano Véio citou, e que um dia talvez seja redescoberta pelas futuras gerações....

    Pra ficar do jeito que estou...é melhor não viver mais!!!!

    The Ancient

    ResponderExcluir
  8. Em tempo.....Esse post merece ter mais de 100 coments!!!!...Porque não é alegoria, não é pano de fundo...O Mano Véio constatou um triste fato, uma dura realidade....E expôs aqui, na cara de todo mundo!!!!

    Divirtam-se....só volto na Segunda!!!!

    The Ancient

    ResponderExcluir
  9. Porlacresta!
    En esta época de donde internet lo tiene todo, donde para grabar solo se necesita un PC y un par de micrófonos buenos, que para escuchar algo nuevo es solo buscar, que encuentras... ustedes dicen que no hay música nueva de calidad????
    Señores, en un post en ESTE MISMO BLOG hace no mucho les dejé un link que NADIE tuvo la amabilidad de comentar, a pesar de cumplir con todos los requisitos de aquello que ustedes mismos dicen buscar tanto. Un músico joven con un tremendo respeto por los grandes del Prog.
    Apenas ayer vino a tocar aquí y llenó.
    Ahora me van a decir que no, que ya lo conocían, que Polpurine no se que cosa y blablabla...
    Nada, ni un comentario siquiera.

    http://www.youtube.com/watch?v=E3MpGBwGdVk

    Les propongo algo (siguiendo el ejemplo de los Valvulados), aportar cada uno a artistas o discos modernos (de esta década) sin dejar estilos fuera, solo que sea excelente.

    Saludos!

    ResponderExcluir
  10. Gustavo, excelente post. Eloy é uma banda que não teve o estrelismo do Yes, Genesis, mas está na mesma altura. Evoluíram nos anos 80, adaptaram-se e seguiram em frente. o álbum Performance mostra bem esta passagem.

    Dead e Carlos, pelo que dizem nos posts, estimo que tenham vivido a década de 70 (adolescência). Eu vivi a década de 80... E voltamos ao assunto setentista. Mesmo vivendo intensamente a década de 80, sempre que ouvia um som dos anos 70 ficava doido e, já naquela época, embora ouvindo tudo e gostando dos anos 80, sempre reverenciava a década passada. estava lendo sobre o novo álbum do Black Sabbath e ouvi as músicas liberadas no site. Ozzy, Tommy e Butler fizeram um som excelente e realmente lembra o Black Sabbath do passado. Mas o ponto aqui é o seguinte... Se estes caras não fossem bons, se este som não tivesse transgredido as barreiras das décadas seguintes, seria considerado um sucesso? O Black Sabbath vai aparecer no próximo CSI... deram coletivas de imprensa, e o lançamento do álbum 13 domina todos as mídias musicais. O Deep Purple lançou um álbum ótimo, o Rush lançou um bom tb no ano passado, o David Bowie tb... Saiu um filmaço do Ginger Baker (Beware of Mr. Baker)... O Led Zeppelin está na ativa tb, lotando tudo que é show (Plant e Jimmi Page)... John Paul Jones acabou de lançar um disco com Seasick Steve (discaço). A polêmica não é só aqui no boteco... O Tears for Fears veio para o Brasil em 2011 e vai vir de novo, e está lançando um novo álbum (alguém aí sabia?)... Não sei onde li, mas acho que foi no boteco... As bandas embrionárias (e respectivos álbuns) são da década de 70. E o mundo musical quer ouvir, quer ir no show destas bandas embrionárias... Há realmente ótimas bandas em 80-90, mas não deixam-deixaram esta raiz que vai durar 30-40 anos. Eu vejo jovens de 14-18 anos usando camisetas do Deep Purple, Black Sabbath, Pink Floyd. Bom, como nos posts anteriores afirmo e me posiciono que sou setentista, embora tenha ouvido tudo de bom das décadas seguintes. Troco o Peter Gabriel - So pelo Genesis - Selling England... Troco o The Cult - Love (que adoro) pelo Grand Funk Railroad...

    Aponcho, eu vi o video e adorei... Achei muito bom mesmo. Vc tem algum álbum destes caras?

    e tem mais, cumpri o nosso compromisso e Tears for Fears na Big Chair está lá. ( http://somvalvulado.blogspot.com.br/ )...

    abs Valvulados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, pelo Taers For Fears, pois já está baixado .... só falta fazer os devidos "coments"...

      Abraços,

      Gustavo

      Excluir
  11. O que o Valvulado escreveu tb é parte do que penso. Discutimos isto entre nós (Javanes - que é um acervo ambulante, Valvulado - que tentou ser músico, Breu - que escuta de tudo e o Gringo - que é mais exigente). E realmente, não troco nenhum disco da década de 70 por das décadas seguintes, nem de MPB (que tenho vários). Contudo, gosto demais das bandas de 80, mais ou menos das de 90 e de 2000 em diante tenho que sentar na Big Chair e pensar. Mas deve ter bandas boas que gosto. ete trem aí de bandas embrionárias é fato. É gosto também, mas provido de fatos e sapiência.

    Digam-me vcs, qual álbum da sua coleção da década de 70 , vc trocaria por um disco das décadas seguintes (Moving Pictures e Hemispheres não valem).

    Acrescento mais uma, e minha nova namorada que possui conhecimentos cósmicos concorda. Todos os discos do ano de 1973 foram bons, e eu tinha 4 anos apenas.

    Aponcho, meu disco mais recente que recomendo é:
    ROCK CANDY FUNK PARTY - We Want Groove (2013) com Joe Bonamassa, mas não troco pelo Burn do Deep Purple (hehehe).

    Um grande abraço

    Breu

    ResponderExcluir
  12. Aponcho, meu CD mais recente é:
    ANA POPOVIC - Can You Stand the Heat (2013)

    ResponderExcluir
  13. Recomendo:

    Karfagen-Aleatorica - 2013 (Ucrânia)
    Quaterna Requiem-O Arquiteto - 2012 (Brasil)
    Höstsonaten-The Rime of The Ancient Mariner I-2012
    (Itália)
    Asturias-Fractals - 2011 (Japão)
    Cabezas de Cera-Live at NEARfest 2009 (México)
    Eureka-Shackleton's Voyage - 2009 (Alemanha)
    Esthema-Apart From The Rest 2007 (EUA)
    Diapasão-Opus I 2006 (Brasil)

    Poderia citar uns 600 exemplos de álbuns lançados em nosso milênio, por este mundo afora, mas tá bom por ora. Pena que a mídia brasileira não divulga e poucos sabem que isso existe.

    ResponderExcluir
  14. Aponcho,

    Não se impressione com o pessimismo exacerbado do "Anc" (acho que o Dead cortou seus medicamentos), pois o que quis dizer e talvez não tenha sido claro, é que eu estou em busca de um novo nome na música, uma cara nova, um novo som.....

    Você lembrou de Steven Wilson, que está na estrada desde o final dos anos oitenta, com suas diversas bandas (Porcupine Tree, No Man e Blackfield) e trabalhos solos, que são muito bons, mas não é disso que eu estou a procura, aliás, eu tenho tudo dele e algo mais...... Ele é um gênio.....

    Eu estou em busca de uma renovação musical, pois nossos heróis estão morrendo e não estão sendo substituídos à altura, aliás, não estão sendo substituídos.....
    Eu já perdi a conta da quantidade de resenhas no Som Mutante do velho Dead, prestando homenagens póstumas só neste ano........ e não vejo uma cara nova que possa fazer frente a estas perdas.....

    Eu gostaria de escutar algo realmente novo, com um ritmo diferente e com ideias novas que não estivessem presas ou ligadas ao passado, algo realmente inédito, mas sei que é muito difícil.....

    Não lembro se foi o Ricardo ou o Luciano que lembrou a algum tempo atrás do novo álbum do Focus, o “Focus 10”, então, eu o escutei e confesso que não gostei nem um pouco, pois ele chegou aos ouvidos com jeito de “coisa velha”, um “revival” fora de hora....

    Eu sei que existem diversas bandas (Ricardo apresentou várias logo acima) que vivem em um universo underground, tem pouca divulgação e chances de aparecer, mas quando aparecem, eu faço questão de divulgar aqui no blog e como exemplo, cito o “By The Pound” que encena a era Peter Gabriel do Genesis e o Blue Mammoth que possui discografia própria.......

    Estamos precisando de uma nova revolução cultural para quebrar a monotonia e a mediocridade que nos assola em todos os seguimentos da sociedade e da cultura....

    Abraços meu irmão,
    Gustavo

    ResponderExcluir
  15. Gustavo
    As bandas que citei acima são underground só no Brasil, pois são conhecidas no exterior. Por exemplo, cito o Astúrias, que tem se apresentado no Gouveia Art Rock de Portugal. Quer ouvir algo diferente? Então ouça. Por exemplo, gostaria de sua opinião sobre o Esthema Apart From the Rest, postado lá no SM. Este é só para começar.

    ResponderExcluir
  16. Anc Carlos, fiz uma postagem para te dar um suporte e animar. Rush, com os discos solos de Lifeson e Geddy Lee. Dá uma olhada lá... ( http://somvalvulado.blogspot.com.br/ ).

    Gustavo, em relação ao que tem de novo. Meu, estou sempre fuçando e ouvindo de tudo. Há movimentos novos como este da música eletrônica, onde uns DJs com nomes estranhos lotam estádios. Ouvi as músicas que deixam os jovens loucos e não entendi... Mas os caras são considerados artistas, lançam CDs e vendem. Adaptaram-se ao MP3, mainstream e estão por cima da carne seca. O Funk do Rio (que acho que começou na década de 90) é algo que me choca, mas é um movimento. E falo isto ouvindo Santana... O problema é que estes movimentos priorizaram a curtição, a dança e assassinaram a música, na forma que discutimos. tem uns sons novos que achei bem interessante, e são diferentes, e é música, por exemplo, Bixiga 70 ( http://bixiga70.com/ ), Gotan Project ( http://www.gotanproject.com/splash ).

    Agora um movimento que a gente goste, participe... Sei não... Amy Winehouse teve toda a minha atenção e pensei, ao ouví-la pela primeira vez: "Finalmente um novo artista com talento, fazendo música que gosto...". Acho que foi a última vez que pensei isto. Ouço coisas novas e vou a shows, compro CDs, mas impacto mesmo, tive com a Amy... depois acho que mais nenhum. Mas a luta continua.

    Chega, vou dormir.

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Breu meu velho,

      É bem por aí, tem coisas que rolam em paralelo, são boas, mas não conseguem atrair em definitivo, pois falta algum ingrediente que eu não sei explicar o que é.....

      A Amy erá uma promessa que foi devorada pelas drogas, uma verdadeira lástima, pois tinha talento, estilo e tudo mais, mas infelizmente foi mais uma vítima.....

      Abração véio,

      Gustavo

      Excluir
  17. O pior surdo é aquele que não quer ouvir. Cuidado com a surdez setentista e tentem não transformar este boteco em um cemitério. A maioria entra aqui para chorar a morte dos heróis da década de 70. Desprezam os novos que estão surgindo e que tem lutado para produzir música de qualidade. Os Blogs tem uma grande responsabilidade e foi graças a muitos Blogs que montei a lista que resumi acima. Se vocês não conhecem, então é underground ou não existe? Breu, tua lista de exemplos foi bem underground.
    Mas gosto é gosto e não se discute. Hoje sou mais feliz por gostar e ficar em busca das novidades apresentadas nos Blogs que fazem parte de minha caminhada. Já estava de saco cheio de ouvir sempre a mesma coisa chorando de saudade, rs.

    ResponderExcluir
  18. Gustavo, seu Blog sempre fez parte de minha jornada pela Net e você também contribuiu com a lista que postei acima. Só para provar:

    http://7062khz.blogspot.com.br/search/label/Quaterna

    Nesta resenha você não citou a palavra “underground” para divulgar o novo trabalho do Quaterna, ao contrário, teceu elogios e incentivou o grupo.

    Outra: Reclamaram do Renato Russo, na postagem do Nektar. Você poderia ter dado uma neutralizada, lembrando da seguinte postagem:

    http://7062khz.blogspot.com.br/2010/03/renato-russo-icone-de-uma-geracao.html#comment-form

    Pelos comentários e seguidores, dá para notar que seu Blog é formador de opinião. Então, meu amigo, cuide bem dele, pois sua responsabilidade, junto com os demais Blogs parceiros, é enorme. O que está escrito aqui, vai ficar registrado para sempre e pode servir de base de estudos futuros de algo que está surgindo agora, coincidindo com a nossa existência. Acredite, tem algo novo surgindo. Uma música ainda sem rótulo, mas tentando derrubar uma parede de mau gosto.
    Por isso e por tudo que tenho tido a chance de ouvir ultimamente, não concordo com sua resenha.

    ResponderExcluir
  19. Focus X? É Focus, para quem ouvir. Quem conhece, não tem como se confundir ou ficar pensando até concluir que é um trabalho do Focus. Os primeiros segundos da primeira música já definem quem está trabalhando ali. Admito que mudaram algumas coisas. E quem não muda com o tempo? Amadureceram, mais do que isso, envelheceram, mas ainda é o Focus. Quem curtiu a fase mais progressiva de Hamburger Concerto, vai estranhar o tempero de Jazz, mas e daí? Será que produziram este álbum pensando em agradar ou desagradar seus fãs? Acho que não. Fizeram o que sabem fazer do jeito que quiseram. É um trabalho autêntico e consistente.
    Podemos dividir o álbum Focus X em duas partes. A primeira parte contém quatro músicas, numa franca fusão de jazz com prog, predominantemente instrumental, liderado pelo violão que dá suporte e consistência, lembrando de longe Pat Metheny. O teclado dá um impulso com ritmo e contorno. Para muitos ouvintes e eu me incluo, que estão impregnados por Hocus Pocus, irão estranhar, mas ao continuar ouvindo, ao perceber a tradicional flauta, marca registrada, dá vontade de continuar escutando para saber o que vem depois. O teatral, charme do folk, que estes holandeses fazem melhor, vai pintar na segunda parte do álbum.
    As bases do jazz permanecem presentes, a batida é mais lenta, só que rolam improvisos surpreendentes que são fruto de nada além do amadurecimento daqueles jovens músicos de antes. Recomendo um audição atenta para a música Message Magique. Uma viagem que terminará embalada pela última música Crossroads, que me fez lamentar somente por ser a última deste belo álbum.
    E que venha o Focus XI, XII, etc. Vida longa para este grupo que tanto contribuiu com a música.

    ResponderExcluir
  20. Porra, tô sozinho no Boteco, mas tudo bem. Vou aproveitar e corrigir uma injustiça. Esqueci de citar o álbum do Porcupine Tree de 2001 Live At NEARfest. Mais uma exceção dentre minha preferência por instrumental de qualquer rótulo. O Porcupine segue uma linha que esbarra no pop rock, mas é legal. Meus agradecimentos à Rádio Delicious Agony, que me fez lembrar deste álbum, através da música Pure Narcotic do álbum Stupid Dream lançado em 1999 (Aponcho, bateu na trave, mas foi gol).

    ResponderExcluir
  21. Fala Ricardo... não estás sozinho. Apenas não sei o que escrever.
    Tenho todos do Porcupine Tree, é um sonzaço. Mas, como diz meu amigo padre, é fods irmão. Gosto admiro, e até iria ao show, viajando meus 500 a 700 km habituais. Mas não me dá aquela fagulha mágica, aquele brilho nos olhos. E agora? Talvez seja a fase da vida... Como o Aponcho escreveu em seu blog, há sons que incorporamos como trilhas sonoras de nossas vidas. Não só por serem bons, mas por lembrarem amigos, baladas, amores, sentimentos de liberdade, e tudo isso associado, gera um vínculo muito forte com a banda. Por exemplo, demorei a gostar de Supertramp, pois era ouvido pelos caras que considerava babacas na escola... A música não é só a análise das escalas e habilidades dos músicos, na verdade, ela é classificada inconscientemente pelas sensações que ela desperta. Tem música que tem até cheiro. Posto isto, cito o Dead, que cada banda que discute, tem sua conotação pessoal e sentimental. Talvez isto seja música. Robert Fripp (lá vamos nós de novo) é FERA, mas não desperta, não toca nossa alma. Talvez não haja uma logica para isso (Lucy, help!!!!), mas ouço os anos setenta, porque os caras são bons e me remetem 'as sensações de uma juventude muito bem desfrutada. Ouço novas músicas e bandas, mas minha alma não sorri tanto como as dos empoierados vinis outrora.
    Talvez Ricardo, eu goste tanto quanto vc dos insrumentais, mas sou mais emocional.

    Abs

    Valvulado



    ResponderExcluir
  22. Ricardo,

    Vamos lá meu velho, já que você é um acompanhante regular aqui do blog, já deve ter notado que nunca fiz uma resenha para desmerecer ou falar mal do trabalho de qualquer artista ou banda, apenas uma única vez fazendo menção a um show catastrófico do Yes, com Benoit David nos vocais que estava completamente sem voz, o que para mim foi motivo de espanto e tristeza.

    O que acontece é que eu só consigo escrever algo sobre uma banda, ou um álbum, quando realmente me toca, mas isso é um problema de gosto pessoal, portanto, você tecer este comentários com requintes de detalhes sobre o álbum “Focus X”, é perfeitamente normal e justo, já que você se rendeu a beleza que encontrou nele e junto a ti agora, conclamo a todos que realmente o escutem, pois ele pode ser do agrado de qualquer um, mas infelizmente eu não me senti tocado por ele, só isso.

    Thijs Van Leer é uma lenda viva, um músico sem igual, um gênio, mas obrigatoriamente eu não tenho reconhecer que tudo o que ele faz é perfeito, independente de tudo o que já possa ter produzido no passado e que a história já se encarregou de coloca-lo no seu devido lugar, ou seja, no topo.

    A música é uma manifestação artística que promove diferentes sentimentos nas pessoas e pelo que possa ser mais incrível e inusitado, um dos álbuns que tenho escutado diariamente é o “Tico Tico” do Paquito Rivera que nada tem a haver com o que costumeiramente eu escuto e publico aqui no blog, só que este álbum me pegou de jeito eu grudei nele feito chiclete no sapato.

    Observando ainda seus comentários, logicamente, jamais usaria a palavra “underground” para o Quaterna Réquien, pois a banda tem público cativo dentro e fora do Brasil há muito tempo, talvez umas duas décadas e a rigor, a palavra Underground não deve ser encarada como uma situação pejorativa diminutiva, mais sim, como um cenário novo que está querendo se estabelecer em um momento predominantemente adverso.

    Continuando, quanto a Renato Russo, este é outro que a sua própria história de vida e de artista já se encarregou de colocá-lo em seu devido lugar, portanto, falando mal ou falando bem, seu lugar no “Olimpo” ninguém toma, mas eu reconheço o direito de qualquer um em não gostar dele e a bem da verdade eu não gostaria de ter que ficar como um moderador ou censor do que é dito aqui no blog, pois considero que todos que aqui frequentam são pessoas de bem e que apenas estão expressando opiniões contrárias, o que é perfeitamente normal onde existe uma “tribuna é Livre”.

    Continua.....

    ResponderExcluir
  23. Assim como você e o Breu que estão sempre a caça de algo novo, legal de se escutar eu faço o mesmo, porém, talvez seja melhor ser “surdo” e não ter que ouvir um monte de lixo que é despejado na internet diariamente e olhar para trás e ver como éramos felizes e não sabíamos, portanto, a máxima, “O pior surdo é aquele que não quer ouvir”, não seja aplicável no universo da música, por razões óbvias, levando em consideração que esta manifestação artística é totalmente subjetiva e o que pode parecer muito bom para você, pode soar muito desagradável para outro.

    Formar opinião, é uma coisa muito complicada e realmente não é o objetivo deste blog por diversas razões, onde a principal é o fato de que eu sou apenas um “escutador de música”, que pouco pesquiso e em geral eu escrevo aquilo que eu sinto em relação ao que escutei, apenas fundamentando o texto em cima dos meus sentimentos, com o agravante da minha personalidade extremamente pragmática e cartesiana, sem preocupações e principalmente sem conhecimento técnico algum.

    Quem tem que tomar cuidado com o que escrevo, são os leitores em não se sentirem influenciados e não tirarem conclusões precipitadas apenas pelo que leram, pois a responsabilidade da interpretação do texto não é minha e sim de quem lê, pois caso contrário, o que está me pedindo é “terceirizar a responsabilidade” e isto meu velho eu não aceito de forma alguma, pois pelo que sinto, só tem macaco velho e experiente por aqui.

    Achei muito importantes, relevantes e pertinentes, todos os seus comentários, pois me deu a oportunidade de esclarecer uma série de fatos e espero sinceramente que não fique chateado com algo que possa ter sido escrito, pois não é pessoal, mas sim filosófico em relação ao blog e a minha pessoa.
    Já estou baixando o link que você me enviou por e-mail e confesso que estou curioso em escutá-lo.

    Abraços meu velho,

    Gustavo

    ResponderExcluir
  24. Gustavo, regulamos a mesma idade e nossos ouvidos cresceram ouvindo os mesmos sucessos. Tivemos a chance de ouvir os Beatles tocando nas rádios e isso é um privilégio que compensa o preço da idade que vai chegando. Apenas vou insistir em um ponto: Não somente seu Blog, mas todos os Blogs parceiros, precisam assumir sua importância, uma vez que existem num cenário aonde não há alternativa. Qual é a rádio que temos hoje? Você ainda utiliza a opção FM de seu som, em casa ou no carro? E na TV aberta? O que vem sendo promovido e propagado pela mídia? Lixo e isso é opinião unânime. A alternativa vem através da net. Queira ou não, na medida em que um Blog vai adquirindo reconhecimento e visitas constantes, muitos ficam na expectativa da próxima postagem e eu me incluo neste grupo. Na medida em que o público adquire respeito pelo Blog, passa a levar em consideração também o que é postado. Algo do gênero: "se o Blog XX postou, deve ser de qualidade, bóra ouvir." E isso é natural, pois é inegável que os Blogs estão amadurecendo e adquirindo um justo reconhecimento. Tirando por mim, se não fossem os Blogs, amigos e a rádio que já citei aqui, não teria chance de conhecer muito do que tem se produzido pelo mundo. Por isso me permiti discordar de sua resenha, pois vai contra o maior benefício dado de graça pelos Blogs, que é mostrar que existe algo além daquilo que nos obrigam a ouvir. E olha, não cabe agradecer, mas saiba que reconheço a consideração que teve ao responder com tanta franqueza e coração aberto. Na falta de uma expressão melhor, muito obrigado.

    ResponderExcluir
  25. Valvulado, cresci ao longo dos anos 60 e 70 e concordo que foi um período riquíssimo, mas eu ouço música de duas formas bem distintas: Uma, é quando ouço aquilo que todos estão ouvindo, através de uma rádio sintonizada quando estamos em um meio de transporte qualquer ou em algum ambiente. Estas são músicas que vão dando contorno e preenchendo nosso dia. Estas, quando ouvirmos novamente e em outro lugar, irão nos remeter ao passado com seu cheiro e sabor, mas não necessariamente sejam músicas que me tocaram a alma ou emocionaram. A segunda forma é diferente: é quando eu decido o que quero ouvir ou buscar. É aquele tipo de música que ouvimos de forma dedicada, consciente. São momentos raros, que consigo às vezes à noite e nos finais de semana. Quase sempre, é algo que acabei de baixar, li a resenha e quero conhecer. Valvulado, muitas vezes, o novo, seja ele uma descoberta ou lançamento, emociona e surpreende nas primeiras notas e é esse o barato que venho buscando sempre.

    ResponderExcluir
  26. Terça-feira vou fechar o post do novo e o bom, e nesse mesmo dia eu pretendo deixar o post fechado. A verdade é que nao sei o que esperar. Estou ansioso.
    Por enquanto, estou atento a todos os seus interessantes comentários da vida é do divino, uma das coisas que eu mais gosto sobre este local maravilhoso. está cheio de idéias!
    Um grande abraço a todos.
    Saludos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aponcho,

      Tava devendo o nome de um álbum recente, então ai vai: ERIK NORLANDER - The Galactic Collective de 2010....

      Abraços veião,

      Gustavo

      Excluir
  27. Ricardo,

    Mais uma vez você levanta uma questão muito importante que merece atenção, pois os blogs não são órgão oficias de imprensa e para falar a bem a verdade não são órgãos, não são oficiais e muito menos de imprensa, apenas são veículos da mídia eletrônica que no fundo representam o gosto de quem os administra.

    Isso eu vejo com muita clarividência, basta, por exemplo, dar uma sacada no que a Luciana posta lá no “Prog Rock Vintage”, ou seja, álbuns raríssimos de bandas obscuras de Krautrock e/ou rock progressivo, muitas das quais, bandas de um álbum só, mas que valem uma discografia inteira ou mesmo o doido do Dead, com seu “Som Mutante”, parecendo uma metralhadora giratória, pois como tem um muito gosto variado, consegue manter cativa uma legião de seguidores, assim como o Valvulado e o Aponcho Rock que tem bem evidente as suas características musicais.

    Não há um compromisso dos blogs em divulgar tudo o que aparece por ai e no meu caso em especial eu só posto aquilo que realmente eu gosto de escutar, o que de forma alguma não significa que seja bom só porque eu tenha postado, no entanto, se no caso aqui do blog, ficam esperando o que vou postar para ver qual é deste ou daquele trabalho, lógico, fico muito lisonjeado, pois é sinal que alguém compartilha do mesmo gosto que eu, o que no fundo é muito gratificante.

    Que os blogs estão madurecendo, disto eu não tenho dúvidas, mas a verdade é que continuamos a beira da marginalidade, uns “piratas”, mesmo fazendo todo o tipo de propaganda e divulgação de forma gratuita, apenas por amor a música.

    É isso ai meu velho....

    Abraços,

    Gustavo

    ResponderExcluir
  28. hummmmm.........ruminando tudo isso.....credo onde eu tava que não tinha lido tudo?.......hummmmmm......interessante debate que bate numa coisa que se chama notas musicais.....são só 7 como fazer mais só com 7?....mas Deus fez o mundo em 07 dias então dá pra melhorar.......num sei de deus num tenho nada.......acho ainda sem convicção mas com toda ela que o foco e nao o focus (ai meu saco)está errado. Qdo falo do Blues e volto em suas origens, qdo falo de jazz e volto em suas origens, qdo falo de rock e volto na realidade estou buscando a essência de tudo e entendendo o que sucedeu depois e me perdoem prq não sei nem da minha vida, mas discutir o que vem depois é um pouco aleatório e ficaremos aqui que nem aquele clip antigo do Purple onde os caras andam de moto em cima de computadores e ainda vêem em um um show da música.

    Sabem ainda ruminando, se me permitem, retornem como na psiquê retornem pra descobrir de onde começou isso tudo, prq ng fala no japão que o teatro kabuki saiu de moda e eles orientais tem moral e direito em falar prq são anteriores e não deixaram que o novo encobrisse o antigo.

    Vcs não vêem ou ouvem que Vivaldi é ultrapassado mas só aqui no br é que é usado em comercial de sabonete prq se conhece da obra dele quase nada?

    Bethovem, Wagner, Lizt,Paganini,Dvorak e tantos outros nunca, vejam bem o conteúdo da palavra NUNCA tiveram modismos ou época, como Michelangelo e Da Vinci.

    Creio que voltando as raízes me torno essa metralhadora ambulante que o Gustavo citou e posto o que gosto sim, mas o que gostam tb desde que eu goste be,rs e só assim consigo assimilar o chamado novo,que basta passar pelo selo da Shrapnell ou da Alligators pra ver que o Blues não morreu e nem envelheceu, ao contrário eu tenho um catálogo de mais de 500 discos deles, só não consigo postar.

    Só um exemplo de que nada morre tudo se transforma diria o tal lavoisier, e algumas coisas praa melhor e outras não, não li ng falar do The Watch e postei a discografia completa que ng tinha até então desde o primeiro Nightwatch até o Alphaterra trabalho solo de um deles.

    Postei Hamadryad,Harmonium que lotam estádios em shows europa afora e que deixam nossos heróis até corados prq prosseguiram de onde ele se enfadaram.

    Haken só o Elric que ainda me deu mais dois links além do Ricardo, Karfagen, Eluivetie fui massacrado mas os caras cantam em celta e fazem um som doido e muito bom, Shinedown trilha do USA (canal de tv) e por aí vai, perdi a conta de novidades pra conhecimento mas num Bowie lindo meteram o pau e não era novo.
    Acho que tem muita gente achando muito e sem base prq não recorreram as raízes pra beber da fonte e entender o que viria depois.

    Minha mão está comum pequeno problema de veias o que me impede de ficar escrevendo, mas não resisti, tlvez demore pra escrever mais talvez não, mas não reisiti ao que li aqui e gostei sim, só achei que fica muito nesse reme reme de 60/70, eo resto antes e depois?

    Ng falou de Elvis além de mim?
    Um dos maiores cantores do mundo?
    E lyle lovett quem conhece?
    Como se pode discutir os 80 sem conhecer os 70 e os 90 e aí por diante.

    nas reminiscências com o Ancião eu só matei saudades de um amigo com quem dividi o palco algumas vz e isso me foi lindo, mágico, mas não parei lá não e tenho amigos que nem trocam de roupas pra não perder o cheiro daquela época?

    Fui em discotecas, em shows blacks, mas a virada da cultura teve 2 mortos e cento e tanto esfaqueados???????????????????? e no show dos Stones morre um e eles ficam marcados pela vida toda?

    hummmm.....ruminando ainda...mas aqui não é uma crítica a seu ng é só meu pensamento fluindo com a pata doendo, e o Aponcho ainda não me disse se gostou do italiano cantando e tocando Miles Davis.

    auuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu..........Enjoy!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  29. Na condição de ancião exilado, estava nesta última sexta feira no supermercado comprando mel silvestre e garanhoto, quando fui surpreendido por uma música de fundo que tocava algo mais ou menos assim.

    .” Quero ser sua amante, aquela que é cheiroso. Aquela que mente quando diz que te ama, quando junto transamos na cama”

    Uma música cantada por uma bela voz feminina que inevitavelmente, despertou nos corações masculinos que estavão ali com suas esposas fazendo compras, os mais secretos e íntimos desejos e aspirações da infidelidade”

    É sobre isso que estou falando a mais de dois anos!!!!!!!!!!

    O Aponcho, o Valvulado, O Som Mutante, O Progrorck da Luciana esse Buteco...Nós somos a contra-cultura, o Pasquim, Fradim 7, o Planeta Diário do século XXI...Uma leitura atenta dessa linha de discussão, vale mais que 24 horas de programação da MTV.

    A ditadura que está sendo imposta hoje vem da mídia....A discussão aqui é muito maior....

    Como já disse uma vez, não sou um bicho grilo barbudo, sentado em uma pilha de discos empoeirados ouvindo Sociedade Alternativa...

    Pelo contrário ( as aparências enganam) eu to com o saco cheio de Ouvir Roundabout....

    Mas por outro lado, também to cansado de ficar garimpando....Tinha tempo e paciência pra isso quando era mais jovem...

    Hoje, corro atrás de indicações, ou se vejo algo interessante como Asteroids Galaxy Tour ( Blog do Leosky), Mostly Autumn ( por acaso em um DVD do Pink Floyd), Therion ( por acaso no You Tube), Ministry ( por acaso na trilha sonora de um filme)...

    O Mano Véio tá certo em tudo o que falou....O Ricardo tá certo em tudo o que disse, Ninguém aqui tá errado....Só que estamos vivendo um período de escassez, e o que é bom virou underground....

    A pior das ditaduras é a cultural....Porque mesmo sob o fogo cerrado da ditadura militar, ninguém me proibia de comprar um disco Iggy Pop.

    Nosso papel aqui é divulgar cultura, novas fontes de pesquisa, novas tendências, divulgar o que foi bom, expressar diferentes linhas de raciocínio. Porque só assim é que faremos a diferença......

    Eu não estou aqui para formar opinião e nem defender pontos de vista, mas para estimular aquele outro lado do cérebro que anda meio atrofiado....Cada um de nós, à sua forma, ao seu modo também.....Isso é o que importa!!!

    Eu citei Cornélius porque Vamos à Festa, é uma puta música, cantada por um dos maiores vocalistas do Rock Brasileiro, e que ninguém sabe que existe....

    Mais uma vez o Renato foi citado...eu vi o filme dele, e fiquei feliz por ter visto!

    ResponderExcluir
  30. ......cont...)....Eu estava começando a achar que estava cometendo uma injustiça com o cara....Como foi bom ver o filme, porque agora eu tenho a certeza absoluta, que ele de fato era um puta de um chato de galocha..

    Com tudo que tenho contra o movimento punk inglês, uma coisa não se pode negar, eles eram autênticos, porque eram burros, vinham da pobreza, dos conjuntos habitacionais, eram sujos, porque não tinham água pra tomar banho...

    No filme do Renato, todos eram filhinhos de papai, limpinhos, intelectuais que usavam da influencia do nome de seus pais para se safarem da polícia, não tinham as raízes , na verdade não tinham porra nenhuma de punk.

    Renato criou um grupo chamado Legião de um homem só, porque como ele mesmo disse no filme, ninguém poderia se sobressair...Lógico, porque o espaço era dele.

    Os Sex Pistols jamais iriam compor uma música como Eduardo e Mônica...Mas o ex “Punk” Renato Russo” compôs.

    Esse é problema do nosso país, da nossa cultura, da nossa mídia, ...A falta de personalidade, de identidade,....De vergonha na cara!

    Salve o Lingua de Trapo, que gravou Burrice Precoce...Alí eles já sabiam a merda que isso tudo iria virar.

    Minha indignação está muito além da esfera musical.....Eu estava no supermercado, e fui obrigado a ouvir aquele forró odioso, e que não tem nada de diferente do que mostram nas novelas, nas sitcom,,,,,,

    Melhor escrever sobre o Black Sabbath!!!!!!!!!!

    Cada vez que eu lavo a minha alma, eu sofro uma
    dor horrível, mas ainda estou vivo.

    The Ancient.

    P.S. A Lucy no ultimo poste se despediu de todo mundo….eu acho que ela não volta mais!!!!...Vamos orar para que seja só impressão minha.

    ResponderExcluir
  31. Os Metaleiros tb amam

    Foi no começo do show do AC/DC, lá no Rock'n Rio
    Que eu a conheci e me encantei
    Ela dançava feito uma paranormal, ao som daquela banda de heavy metal
    Eu me apaixonei

    Foi uma espécie de amor a primeira vista, a pesar de ela ser um tanto narcisista
    E new-wave demais pra minha cabeça
    Com tudo isto, eu lhe dei respeito à beça
    Lhe disse que curtia o B52 e fomos ao McDonald's depois

    refrão: Os metaleiros também amam, meu amor
    Os metaleiros também amam, sim senhor (repete)

    Mas nosso amor por pouco tempo duraria,o bem querer se transformou em baixaria, o por quê eu não sei
    Ela deu pra andar com o seu dedo em riste
    E me rasgou quatro posters do Judas Priest
    Eu não suportei

    E taquei fogo em sua coleção dos Beatles
    E em todos compactos do Sex Pistols, nem sequer poupando os discos do Clash
    Eu quero mais é que ela vá pra Marrakesh, e que por aqui não mais retorne
    Pra eu curtir em paz meu Ozzi Osbourne

    refrão: Os metaleiros também amam, meu amor
    Os metaleiros também amam, sim senhor (repete)

    Composição: Ayrton Mugnaini Jr. e Carlos Mello

    Anc vc me fez fazer uma outra puta viagem, canta comigo canta: Os metaleiros tb amam meu amor, os metaleiros tb amam sim senhooooooooooooooooooorrrrr.

    Enjoy!!!!!!!!!!!




    ResponderExcluir
  32. A ULTIMA VOZ DO BRASIL

    JOELHO DE PORCO

    (saudades de tanta gente, meu pai saudade dói né?)

    Hoje eu quero cantar e cantar e cantar até estourar!!!!

    São quinze pras sete, tá quase na hora


    de ouvir pelo rádio a última voz do Brasil

    Calem a boca, cantores do rádio!
    Tá quase na hora da última voz do Brasil

    Vocês não vão saber de nada mais!

    Fechem a porta, apaguem as luzes,
    acendam as velas para a última voz do Brasil

    Em Brasília, dezenove horas!

    Aviso aos navegantes: mar de pequenas praias,
    calmaria, bóias de luz!

    O preço da soja, o dilúvio no Acre
    já foram notícias na última voz do Brasil

    Os navegadores perderam o rumo,
    sem ter as notícias da última voz do Brasil

    Vocês não vão saber de nada mais!

    Sete e quarenta, tão todos na sala
    ouvindo as notícias da última voz do Brasil

    Panela no fogo, ampulheta (barriga) vazia,
    e aquela folia da última voz do Brasil

    Nunca mais vamos ouvir o Guarani

    Já passa das oito, barriga vazia
    e aquela folia da última voz do Brasil

    De agora em diante, é tudo silêncio
    e nós nunca mais ouviremos a voz do Brasil

    Nosso consolo é ver a TV
    Brazil has no more radio service today

    Vamos tentar mais uma vez
    a última voz do Brasil

    A insensatez que você fez
    querer ser burguês no Brasil

    Atriz atroz, atrás há três
    folias de reis no Brasil

    E os carnavais nos hospitais
    se ouvem na voz do Brasil

    Enjoy!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  33. "....E minha tia me achando louco, mais do que correndo me levou pra delegacia!!!!!!!!!!!!!!!!!"

    É Véio Dead!!!!!

    Cê pode manjar mais de música do que eu ( e muito mesmo!!!!)....Mas enquanto Cê tava nos "backstage" do show da Tia Alice, esse seu Mano Mais Véio aqui já desconfiava da verdade absoluta!!!!!!

    The Ancient!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  34. Nos sites
    http://www.israbox.com/
    http://plixid.com/
    pode se encontrar e baixar bons lançamentos novos e velhos de bandas progressivas e outros artistas. Espero ter sido útil. Abraços, Parabéns pelo blog e pelas resenhas
    Grilo Mineiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom meu velho,

      Tenha fé que sempre ajuda uns links como estes....

      Obrigado pelas palavras.....

      Abraços,

      Gustavo

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails