26 de fev de 2013

The Royal Philharmonic Orchestra - "Plays The Music of Rush" - 2012

Fazendo uma limpeza em um dos micros que eu uso, encontrei a capa ao lado, uma criação do mago do design, Roger Dean, para o álbum, “The Royal Philharmonic Orchestra Plays The Music Of Rush”, o que me fez mudar de planos, uma vez que, a bola da vez, era um bootleg do Kansas, mas não há de ser nada, pois a próxima postagem será dedicada totalmente a ele. 

Quando me deparo com um álbum deste tipo, vem sempre a mesma pergunta, pois por que diabos uma orquestra sinfônica, insiste em produzir álbuns que tem por essência, o rock, não importando de qual vertente seja, pois diversos álbuns como este já foram produzidos por esta e inúmeras outras sinfônicas? Qual  é o real significado disto tudo? Falta de repertório? Realmente eu não sei o que ocorre, mas independente do que possa ser, um álbum como este é sempre muito bem vindo.

“The Royal Philharmonic Orchestra”
Uma ideia que me vem à cabeça é que como não existem mais compositores de música clássica atualmente e realmente isto deve ser um desestímulo à continuidade da música clássica, portanto servir-se do rock que sempre tem um bom argumento musical e adaptá-lo ao mundo da música clássica é sem dúvidas uma boa maneira de popularizar a música erudita com músicas conhecidas, principalmente dos jovens, ganhando uma nova leitura e consequentemente novos adeptos para este tipo de música. 

Rush
É interessante que estes novos arranjos, independente do tipo de música, têm um resultado sempre muito positivo e eu posso usar como exemplo, um caso extremo, com o “Iron Maiden” (que eu gosto muito) que teve suas músicas orquestradas pela “The Hand Of Doom Orchestra” com o álbum, “Plays Iron Maiden's Piece Of Mind”, com um produto final no mínimo surpreendente. 

Agora chegou merecidamente a vez do Rush, o famoso “Power Trio” Canadense que começou a dar seus primeiros passos pelos idos de 1968, lançando seu primeiro álbum apenas em 1974 e estando na ativa até hoje, com seu álbum mais recente, “Clockwork Angels”, lançado em 2012. 

Adrian Smith
Neste álbum, “The Royal Philharmonic Orchestra Plays The Music Of Rush”, além da própria orquestra, convidados especialíssimos, como Adrian Smith do Iron Maiden, presente em “Red Barchetta” e Steve Rothery do Marillion, presente em  “Working Man”, deu um peso extra às novas e dramáticas interpretações sob a batuta do Maestro Richard Harvey que ainda contou com a presença do Coral Windrush

Para o Rush, sem dúvidas, uma puta homenagem, vinda da Britânica, “The Royal Philharmonic Orchestra”, fundada em 1946 e que é uma das mais ativas orquestras do planeta, portanto, o presente foi dividido em nove faixas de tirar o fôlego, com modernos e elegantes arranjos, executados de forma absolutamente impecável. 

Steve Rothery
Bandas de rock como o Deep Purple, Queen, Beatles, Led Zeppellin e as bandas de vertente progressiva como, o Yes, Genesis, Pink Floyd e tantas outras já tiveram em diversas ocasiões, o seu devido tributo clássico, porém, com certa facilidade para a elaboração das adaptações e ajustes nos novos arranjos para as músicas de origem progressiva, uma vez que parte de sua essência é oriunda da música clássica. 

No caso do Rush eu nem me atrevo a classificar a banda, pois ela ao longo de sua trajetória flertou com diversos estilos musicais, o que confunde um pouco, mas isso não tem a menor importância, pois o que importa mesmo, é que seus arranjadores e executores foram extramente felizes no modo como procederam esta metamorfose musical, do rock para o clássico, transformando estas músicas em um irresistível convite a adentrar ao mundo da música erudita de forma moderna e contagiante, portanto só resta recomendar este álbum a todos, independente da tribo a qual se faça parte.

ALTAMENTE RECOMENDADO!!!

Tracks:
01. 2112 Overture
02. The Spirit Of Radio
03. Tom Sawyer
04. Subdivisions
05. Closer To The Heart
06. Red Barchetta (participação de Adrian Smith)
07. Limelight 
08. Working Man (participação de Steve Rothery)
09. Fly By Night

LINK




DEPOIMENTOS:





  • Prezado mano Véio......

    Eu escrevo neste blog a mais de um ano, e durante todo este tempo, fiquei esperando você postar alguma coisa do Rush, pois sempre tive vontade de escrever sobre este incomparável Power Trio - que na minha opinião - é muito melhor que o Cream ( Fala Véio Dead!!!!!)........

    Só que não muito raro, você coloca na sua resenha um gap, que faz com que eu leve minha linha de raciocínio para uma direção completamente diferente daquilo que eu queria escrever...

    Nós já estamos discutindo neste Buteco a muito tempo, o período de ouro do rock, e seus principais componentes, gênios, vertentes, influências, e a conversa sempre acaba com a célebre frase....” MALDITOS SEJAM OS SEX PISTOLS”

    E no meio destes debates, sempre fica aquele sentimento de que um dia as coisas irão mudar...Você mesmo já confessou em uma dessas últimas rodadas que é um otimista em relação à dias melhores....

    Pois bem Mano Véio....Lendo essa resenha, eu acho que encontrei uma possível resposta para nossos incontáveis debates......

    Você escreveu que é bem provável que a releitura das obras das grandes bandas da década de 70 em roupagem sinfônica, seja possivelmente porque hoje não há mais grandes compositores deste gênero....., ( E foi essa única frase que mudou toda minha linha de raciocínio sobre o que eu iria escrever)...........

    Eu acrescento....Quem aprecia este gênero de música, com certeza não vai arriscar seus ouvidos em um compositor novo..... Melhor ouvir Wagner, Bach, Beethoven.....

    Pergunta....E não é exatamente isso que nós fazemos em relação à música que é feita hoje????
    Às vezes um de nós recomendamos ao outro....”Putz, escuta só esta banda!!!! Veja como ela é boa!!!! “ Essa é a máxima do blog do Véio Dead e da Luciana......Mas em via de regra, a gente acaba sempre nos “Atom Heart Mothers, Supper’s Ready e Close to the Edge da vida.....”...Você escuta Genesis todo dia, mas tem o Magnification no lacre...Sacou????

    (fim da primeira parte)




    Aonde eu quero chegar com tudo isso???? Simples meu caríssimo Mano veio, e demais Capitães e Navegantes..........

    Após a ressaca da Idade Média, o mundo através do Renascimento Cultural eclodiu em diversas vertentes, ciência, política, filosofia, artes....E dentro das artes entre os séculos 18 e 19, floresceu o período clássico da música erudita e seus principais mentores ( autores)... Vamos resumir isso tudo na figura de Mozart, etc...

    Ou seja, a música clássica/erudita é um produto típico de um determinado momento da história, em que a humanidade estava passando por uma série de transformações!!!!! Pertence àquele período e nunca mais vai voltar....Pelo Menos não da forma como se apresentou...Pois era exatamente o alívio e inspiração que as pessoas precisavam para curar as feridas criadas pelo jesuitismo, absolutismo, feudalismo, e outros ismos.....

    Agora, vamos raciocinar com a mesma lógica.....Em que momento o rock surgiu?????

    Depois de outra ressaca....Primeira guerra, Segunda Guerra, Holocausto, Guerra Fria, Paranoia Nuclear, Racismo.....O rock veio para romper todos os paradigmas, toda melancolia, todo medo, toda repressão que assolava o mundo naquela época...

    Quer maior afronta para uma sociedade extremamente conservadora e racista como os EUA, ver de uma hora para a outra surgir um movimento musical e radical justo da raça negra????

    Tinha que ter um Keith Moon para arrebentar uma bateria, os Fucking Stones, mijando no posto de gasolina...E por fim, As bandas que mais amamos, totalmente influenciadas pelo movimento da música clássica...........O Mundo mudou depois de Elvis e Beatles....

    Conclusão desta mini tese....A música clássica/erudita foi um movimento único em um momento único da história.......O rock como conhecemos e vivemos, também.....

    Quem viu, viu, quem não viu.....Paciência.....Assim como os fãs da música clássica são fiéis de geração a geração, haverá os fãs do rock de verdade de geração a geração.......

    Mas esqueça que teremos um dia, um movimento semelhante com o mesmo padrão de criatividade e qualidade. Outro talvez.........Igual jamais..........

    Da mesma forma como a seu tempo só houve uma Quatro Estações, só existirá um Tales From Topographic Oceans.

    Onde entra os Sex Pistols nesta história?????????? Digamos que além de Malditos, eles também foram dadas as devidas proporções a Primeira Guerra Mundial....

    Mais do que nunca Mano Véio.....Obrigado pelo espaço e pela brilhante resenha.....

    P.S....Você fica me devendo um post do Rush ....

    P.S2...Imperdoável você não ter nada do Iron Maiden....

    ABRAÇO......FORÇA.....SUCESSO!!!!!!!!!!
    The Ancient




    Meu velho,

    Antes de qualquer coisa, me desculpe em demorar tanto para dar continuidade ao assunto, mas ando um tanto atrapalhado com as obrigações profissionais....

    Brilhante, é o mínimo que posso dizer de seu texto, que retrata fielmente os acontecimentos do passado e do presente...

    Este movimentos como prova a história, são cíclicos e nós estamos totalmente envolvidos em um momento de transição, onde não há uma vertente musical predominante, com diversos sub-gêneros musicais atuando de forma descoordenada o que para nós, dinossauros do rock, é o fim.....

    Eu tenho fé que dias melhores virão e um álbum como este é no mínimo um alento......

    A bem da verdade, além do Rush e do Iron Maiden, eu tenho muita vontade de expor outras bandas, como o Deep Purple, Procol Harum, Santana, Uriah Heep e tantas outras, mas uma hora eu chego lá....

    Abraços,

    Gustavo





    Que pérola!



    Meu caro,

    Você está absolutamente correto, quanto ao álbum, ao Rush e a filarmônica..... absolutamente perfeitos.....

    Abraços,

    Gustavo


    1. Mano Véio.......Eu leio com muita atenção tudo o que você escreve, porque sempre aparece uma frase, uma palavra que muda completamente a direção daquilo que eu pretendia escrever.......

      A história nos ensina que depois da tempestade, vem a bonança...E ela vem sempre conforme a necessidade da humanidade....

      Passando pelo blog do Véio Dead, eu ví um post da Billie Holiday onde o Véio Dead publica fotos de linchamento....Era assim que os negros eram tratados na América....O rock mudou esse tipo de comportamento....

      Hoje vivemos uma fase semelhante...Intolerância, competitividade, capitalismo selvagem, terror, chacina, pobreza cultural....Creio que um novo movimento deverá surgir, em algum momento de um futuro que penso não seja tão próximo....Até lá...Seria muito legal ver no seu blog as bandas que você citou....sem falar no Queem é óbvio....

      Abraço...Força...Sucesso

      The Ancient

      P.S. Cê tá desculpado.....pois como já disse.....vivemos de forma igual, com um pé em cada cidade...e no meio da linha de tiro....
      ResponderExcluir
    2. God save the queennnnnnnnnnnn!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! PQPPQPPQP e PQP!!!!!!!!!! Desculpem mas eu sou um puta de um pregui e escrevi sobre esse post logo que veio a luz, mas não conferi e não foi salvo meu comentário, ai a pregui me impediu de discorrer sobre o assunto, mas o Anc me incita a debater e por partes como o parente Jack the ripper: Qto ao prq Gustavo e amigos destrambelhados é simples!!!!! A orquestra Sinfonica Alemã Abre suas apresentações com a opera Dracula do PFM!!!! Esta vem com Rush, e outras já fizeram e fazem com outros, tudo só pela música, maestro é que nem matrix, ele não ouve como ouvimos ele vê notas e as notas que ele vê compõem um cenário tão lindo que eles enveredam por essas plagas, e as vz quebram a cara, mas na maioria dá certo e prq? Prq esta´pronto, prq está montada a música nota por nota e como todo maestro que se preza ele quer fazer arranjos para aquele tema. Anc Rush e Cream são agua e oleo, a unica coisa que os une é a qualidade musical que comparada o Rush realmente fica atrás, Lifenson não toca como Clapton, Lee nem chega perto de compor como Baker e o Peart é aluno do Ginger, ele disse isso heim!!!!numa entrevista ele simplesmente cita o Ginger como um monstro e não tem como qualificá-lo, vou eu dier o que?
      Agora que o Rush criou um estilo isso sem dúvida e é possivel porque cada bluseiro tocando suas notinhas faz isso como falo sempre, qto mais eles com a parefernália a disposição. Talvez sim queiram preservar como temos até hoje um Bach nos ouvidos até m comercial de tv mas no fundo mesmo, é prq agradou aos ouvidos dos maestros e dos idealizadores e todos que se envolvem numa orquestra, mas como já vimos se um Von Karajan não quisesse não entrava no set list, poderia ser pra rainha da inglaterra, e ele era ate´um dos melhorzinhos prq alguns são irascíveis em suas atitudes e mesmo por grana, se não gostarem não fazem, aqui no brasil já vi isso com o Uirapuru, que mataram metendo em coisas governamentais e nunca mais se ouviu tocar ou as bachianas de Villa Lobos tb comercial de tv e descrédito total, lá não, lá eles encontram a pérola na ostra, aqui matá-se a ostra pra comer e joga-se a pérola fora.
      Gustavo e Anc e quem mais tiver saco de ler, vou postar ainda o Sex Pistols e discorrer uma tese sobre eles, preparem-se,rs
      Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!!
      ResponderExcluir
    3. Véio Dead.......Eu não tenho problema nenhum em dizer para uma pessoa quando eu a amo de paixão.....E eu o Amo tanto....mas tanto, que confesso não ter estrutura para iniciar uma nova tese sobre Cream ( mas jamais perderia a chance de dar uma alfinetada)......

      Porém você escreveu algo extremamente importante....O Maestro nunca ouve da mesma forma que nós....Eu nunca ouvi música...

      Eu incorporava a música....Incorporar é diferente de ouvir....É você mesmo sem saber cantar ou tocar porra nenhuma, ficar ali no quarto com a bolacha rodando e se imaginar no lugar do seu ídolo, tentando fazer igual e ser fiel, sem ter público, sem ter instrumento.....

      É meditar sobre o som que está rolando e buscar nele inspiração.......Um Maestro jamais ouvirá Freewill da forma que eu ouvia.......

      Brilhante colocação!!!!!!!!!!!

      Mano Véio......a gente ainda vai acabar editando um livro!!!!!!!!

      E que venha os Fuck Pistols...........E God Save The Queen!!!!!!

      The Ancient


      P.S.
      Jack Bruce é melhor letrista que Neil Peart?????????
      ResponderExcluir
    4. Leia meu veio leia: ...Lee nem chega perto de compor como Baker e o Peart é aluno do Ginger...aliás tocar o Lee toca sim muito mas o Jack Bruce é imbatível e não sou eu quem diz apesar de fã, amo sim o Geddy Lee forcei muito pra cantar Fly by Night igualzinho mas pra quem fazia cover do Gentle Giant era ficha,ré,ré..mas qualidade técnica do JB é algo assim insuperável. Grato pelos afagos, aceito sim não sou falso humilde sabe "ah eu não mereço", que nada, é bom sim de vez em qdo receber afagos, e fazê-los tb é óbvio. Tinha mais pra falar mas como disse escrevi e fechei a página, completamente destrambelhado, tinha outras obs até legais como essa do Dracula, prq no blog da Luciana meteram o pau em mim qdo postei, e aí respondi que o maestro de uma das maiores sinfônicas do mundo a escolheu como uma das mais perfeitas obras ao ponto de abrir suas apresentações na europa com ela.
      Mas é isso, sigamos em frente.
      Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!!!
      ResponderExcluir
    5. Obs: PQP, eu e vc confundimos alhos com bugalhos, o GEDDY LEE não é melhor compositor que JACK BRUCE; saco, ô idade da porra ,rs
      ResponderExcluir
    6. É verdade Veio Dead.........

      A gente escreve tanta coisa que acaba se confundindo todo......Você por um momento chegou a afirmar que o Cream é melhor que o Rush e que Jack Bruce é melhor letrista que Neil Peart....Eu pensei comigo.... Nossa, será que o Dead perdeu a cabeça??????

      Direto de Xanadu..........

      The Ancient
      ResponderExcluir
  • 11 comentários:

    1. Prezado mano Véio......

      Eu escrevo neste blog a mais de um ano, e durante todo este tempo, fiquei esperando você postar alguma coisa do Rush, pois sempre tive vontade de escrever sobre este incomparável Power Trio - que na minha opinião - é muito melhor que o Cream ( Fala Véio Dead!!!!!)........

      Só que não muito raro, você coloca na sua resenha um gap, que faz com que eu leve minha linha de raciocínio para uma direção completamente diferente daquilo que eu queria escrever...

      Nós já estamos discutindo neste Buteco a muito tempo, o período de ouro do rock, e seus principais componentes, gênios, vertentes, influências, e a conversa sempre acaba com a célebre frase....” MALDITOS SEJAM OS SEX PISTOLS”

      E no meio destes debates, sempre fica aquele sentimento de que um dia as coisas irão mudar...Você mesmo já confessou em uma dessas últimas rodadas que é um otimista em relação à dias melhores....

      Pois bem Mano Véio....Lendo essa resenha, eu acho que encontrei uma possível resposta para nossos incontáveis debates......

      Você escreveu que é bem provável que a releitura das obras das grandes bandas da década de 70 em roupagem sinfônica, seja possivelmente porque hoje não há mais grandes compositores deste gênero....., ( E foi essa única frase que mudou toda minha linha de raciocínio sobre o que eu iria escrever)...........

      Eu acrescento....Quem aprecia este gênero de música, com certeza não vai arriscar seus ouvidos em um compositor novo..... Melhor ouvir Wagner, Bach, Beethoven.....

      Pergunta....E não é exatamente isso que nós fazemos em relação à música que é feita hoje????
      Às vezes um de nós recomendamos ao outro....”Putz, escuta só esta banda!!!! Veja como ela é boa!!!! “ Essa é a máxima do blog do Véio Dead e da Luciana......Mas em via de regra, a gente acaba sempre nos “Atom Heart Mothers, Supper’s Ready e Close to the Edge da vida.....”...Você escuta Genesis todo dia, mas tem o Magnification no lacre...Sacou????

      (fim da primeira parte)

      ResponderExcluir
    2. Aonde eu quero chegar com tudo isso???? Simples meu caríssimo Mano veio, e demais Capitães e Navegantes..........

      Após a ressaca da Idade Média, o mundo através do Renascimento Cultural eclodiu em diversas vertentes, ciência, política, filosofia, artes....E dentro das artes entre os séculos 18 e 19, floresceu o período clássico da música erudita e seus principais mentores ( autores)... Vamos resumir isso tudo na figura de Mozart, etc...

      Ou seja, a música clássica/erudita é um produto típico de um determinado momento da história, em que a humanidade estava passando por uma série de transformações!!!!! Pertence àquele período e nunca mais vai voltar....Pelo Menos não da forma como se apresentou...Pois era exatamente o alívio e inspiração que as pessoas precisavam para curar as feridas criadas pelo jesuitismo, absolutismo, feudalismo, e outros ismos.....

      Agora, vamos raciocinar com a mesma lógica.....Em que momento o rock surgiu?????

      Depois de outra ressaca....Primeira guerra, Segunda Guerra, Holocausto, Guerra Fria, Paranoia Nuclear, Racismo.....O rock veio para romper todos os paradigmas, toda melancolia, todo medo, toda repressão que assolava o mundo naquela época...

      Quer maior afronta para uma sociedade extremamente conservadora e racista como os EUA, ver de uma hora para a outra surgir um movimento musical e radical justo da raça negra????

      Tinha que ter um Keith Moon para arrebentar uma bateria, os Fucking Stones, mijando no posto de gasolina...E por fim, As bandas que mais amamos, totalmente influenciadas pelo movimento da música clássica...........O Mundo mudou depois de Elvis e Beatles....

      Conclusão desta mini tese....A música clássica/erudita foi um movimento único em um momento único da história.......O rock como conhecemos e vivemos, também.....

      Quem viu, viu, quem não viu.....Paciência.....Assim como os fãs da música clássica são fiéis de geração a geração, haverá os fãs do rock de verdade de geração a geração.......

      Mas esqueça que teremos um dia, um movimento semelhante com o mesmo padrão de criatividade e qualidade. Outro talvez.........Igual jamais..........

      Da mesma forma como a seu tempo só houve uma Quatro Estações, só existirá um Tales From Topographic Oceans.

      Onde entra os Sex Pistols nesta história?????????? Digamos que além de Malditos, eles também foram dadas as devidas proporções a Primeira Guerra Mundial....

      Mais do que nunca Mano Véio.....Obrigado pelo espaço e pela brilhante resenha.....

      P.S....Você fica me devendo um post do Rush ....

      P.S2...Imperdoável você não ter nada do Iron Maiden....

      ABRAÇO......FORÇA.....SUCESSO!!!!!!!!!!
      The Ancient

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Meu velho,

        Antes de qualquer coisa, me desculpe em demorar tanto para dar continuidade ao assunto, mas ando um tanto atrapalhado com as obrigações profissionais....

        Brilhante, é o mínimo que posso dizer de seu texto, que retrata fielmente os acontecimentos do passado e do presente...

        Este movimentos como prova a história, são cíclicos e nós estamos totalmente envolvidos em um momento de transição, onde não há uma vertente musical predominante, com diversos sub-gêneros musicais atuando de forma descoordenada o que para nós, dinossauros do rock, é o fim.....

        Eu tenho fé que dias melhores virão e um álbum como este é no mínimo um alento......

        A bem da verdade, além do Rush e do Iron Maiden, eu tenho muita vontade de expor outras bandas, como o Deep Purple, Procol Harum, Santana, Uriah Heep e tantas outras, mas uma hora eu chego lá....

        Abraços,

        Gustavo

        Excluir
    3. Respostas
      1. Meu caro,

        Você está absolutamente correto, quanto ao álbum, ao Rush e a filarmônica..... absolutamente perfeitos.....

        Abraços,

        Gustavo

        Excluir
    4. Mano Véio.......Eu leio com muita atenção tudo o que você escreve, porque sempre aparece uma frase, uma palavra que muda completamente a direção daquilo que eu pretendia escrever.......

      A história nos ensina que depois da tempestade, vem a bonança...E ela vem sempre conforme a necessidade da humanidade....

      Passando pelo blog do Véio Dead, eu ví um post da Billie Holiday onde o Véio Dead publica fotos de linchamento....Era assim que os negros eram tratados na América....O rock mudou esse tipo de comportamento....

      Hoje vivemos uma fase semelhante...Intolerância, competitividade, capitalismo selvagem, terror, chacina, pobreza cultural....Creio que um novo movimento deverá surgir, em algum momento de um futuro que penso não seja tão próximo....Até lá...Seria muito legal ver no seu blog as bandas que você citou....sem falar no Queem é óbvio....

      Abraço...Força...Sucesso

      The Ancient

      P.S. Cê tá desculpado.....pois como já disse.....vivemos de forma igual, com um pé em cada cidade...e no meio da linha de tiro....

      ResponderExcluir
    5. God save the queennnnnnnnnnnn!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! PQPPQPPQP e PQP!!!!!!!!!! Desculpem mas eu sou um puta de um pregui e escrevi sobre esse post logo que veio a luz, mas não conferi e não foi salvo meu comentário, ai a pregui me impediu de discorrer sobre o assunto, mas o Anc me incita a debater e por partes como o parente Jack the ripper: Qto ao prq Gustavo e amigos destrambelhados é simples!!!!! A orquestra Sinfonica Alemã Abre suas apresentações com a opera Dracula do PFM!!!! Esta vem com Rush, e outras já fizeram e fazem com outros, tudo só pela música, maestro é que nem matrix, ele não ouve como ouvimos ele vê notas e as notas que ele vê compõem um cenário tão lindo que eles enveredam por essas plagas, e as vz quebram a cara, mas na maioria dá certo e prq? Prq esta´pronto, prq está montada a música nota por nota e como todo maestro que se preza ele quer fazer arranjos para aquele tema. Anc Rush e Cream são agua e oleo, a unica coisa que os une é a qualidade musical que comparada o Rush realmente fica atrás, Lifenson não toca como Clapton, Lee nem chega perto de compor como Baker e o Peart é aluno do Ginger, ele disse isso heim!!!!numa entrevista ele simplesmente cita o Ginger como um monstro e não tem como qualificá-lo, vou eu dier o que?
      Agora que o Rush criou um estilo isso sem dúvida e é possivel porque cada bluseiro tocando suas notinhas faz isso como falo sempre, qto mais eles com a parefernália a disposição. Talvez sim queiram preservar como temos até hoje um Bach nos ouvidos até m comercial de tv mas no fundo mesmo, é prq agradou aos ouvidos dos maestros e dos idealizadores e todos que se envolvem numa orquestra, mas como já vimos se um Von Karajan não quisesse não entrava no set list, poderia ser pra rainha da inglaterra, e ele era ate´um dos melhorzinhos prq alguns são irascíveis em suas atitudes e mesmo por grana, se não gostarem não fazem, aqui no brasil já vi isso com o Uirapuru, que mataram metendo em coisas governamentais e nunca mais se ouviu tocar ou as bachianas de Villa Lobos tb comercial de tv e descrédito total, lá não, lá eles encontram a pérola na ostra, aqui matá-se a ostra pra comer e joga-se a pérola fora.
      Gustavo e Anc e quem mais tiver saco de ler, vou postar ainda o Sex Pistols e discorrer uma tese sobre eles, preparem-se,rs
      Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!!

      ResponderExcluir
    6. Véio Dead.......Eu não tenho problema nenhum em dizer para uma pessoa quando eu a amo de paixão.....E eu o Amo tanto....mas tanto, que confesso não ter estrutura para iniciar uma nova tese sobre Cream ( mas jamais perderia a chance de dar uma alfinetada)......

      Porém você escreveu algo extremamente importante....O Maestro nunca ouve da mesma forma que nós....Eu nunca ouvi música...

      Eu incorporava a música....Incorporar é diferente de ouvir....É você mesmo sem saber cantar ou tocar porra nenhuma, ficar ali no quarto com a bolacha rodando e se imaginar no lugar do seu ídolo, tentando fazer igual e ser fiel, sem ter público, sem ter instrumento.....

      É meditar sobre o som que está rolando e buscar nele inspiração.......Um Maestro jamais ouvirá Freewill da forma que eu ouvia.......

      Brilhante colocação!!!!!!!!!!!

      Mano Véio......a gente ainda vai acabar editando um livro!!!!!!!!

      E que venha os Fuck Pistols...........E God Save The Queen!!!!!!

      The Ancient


      P.S.
      Jack Bruce é melhor letrista que Neil Peart?????????

      ResponderExcluir
    7. Leia meu veio leia: ...Lee nem chega perto de compor como Baker e o Peart é aluno do Ginger...aliás tocar o Lee toca sim muito mas o Jack Bruce é imbatível e não sou eu quem diz apesar de fã, amo sim o Geddy Lee forcei muito pra cantar Fly by Night igualzinho mas pra quem fazia cover do Gentle Giant era ficha,ré,ré..mas qualidade técnica do JB é algo assim insuperável. Grato pelos afagos, aceito sim não sou falso humilde sabe "ah eu não mereço", que nada, é bom sim de vez em qdo receber afagos, e fazê-los tb é óbvio. Tinha mais pra falar mas como disse escrevi e fechei a página, completamente destrambelhado, tinha outras obs até legais como essa do Dracula, prq no blog da Luciana meteram o pau em mim qdo postei, e aí respondi que o maestro de uma das maiores sinfônicas do mundo a escolheu como uma das mais perfeitas obras ao ponto de abrir suas apresentações na europa com ela.
      Mas é isso, sigamos em frente.
      Enjoy!!!!!!!!!!!!!!!!!

      ResponderExcluir
    8. Obs: PQP, eu e vc confundimos alhos com bugalhos, o GEDDY LEE não é melhor compositor que JACK BRUCE; saco, ô idade da porra ,rs

      ResponderExcluir
    9. É verdade Veio Dead.........

      A gente escreve tanta coisa que acaba se confundindo todo......Você por um momento chegou a afirmar que o Cream é melhor que o Rush e que Jack Bruce é melhor letrista que Neil Peart....Eu pensei comigo.... Nossa, será que o Dead perdeu a cabeça??????

      Direto de Xanadu..........

      The Ancient

      ResponderExcluir

    LinkWithin

    Related Posts with Thumbnails