12 de mai de 2012

MARILLION - "Real to Real / Brief Ecounter" - 1984

Primeiro álbum “Live” oficial do Marillion, “Real to Real”, traz em seu elenco de músicas, o que de melhor a banda já havia produzido até então, com seus álbuns de estúdio, “Script for a Jester’s Tears” e “Fugazi” que resgatam toda a sonoridade dos anos setenta. 

Seu lançamento aconteceu em novembro de 1984, uma época em que a mídia predominante ainda era os discos de vinil e logo em seguida quando migraram para uma mídia mais moderna, os CD’s, teve adicionada a música, "Emerald Lies"

As gravações são provenientes de dois eventos distintos, sendo um no Canadá no “Montreal Spectrum” e o outro na Inglaterra no “Leicester De Montfort Hall”, que propiciaram um dos melhores, senão, o melhor álbum de rock progressivo dos anos oitenta. 

Em 1997 esse álbum foi remasterizado e ganhou um gigantesco bônus, “Brief Encounter”, com mais cinco músicas, que no passado, foi um EP, para a promoção de uma turnê da banda pelos EUA em 1986. 

Muitos ao lerem a resenha, vão se perguntar o porquê de alguém ainda estar postando um álbum amplamente divulgado e mais do que manjado na Internet, mas com muita facilidade, eu posso responder a esse questionamento, pois, “Real to Real” é o mais importante registro da existência da segunda geração do rock progressivo, mais conhecida como Neoprog, mostrando ao mundo que ainda era possível fazer música com mais de três acordes e com uma letra que não fosse idiota, o que era a tônica dos anos oitenta. 

Fora isso, algumas pérolas que não fizeram parte de “Script for a Jester’s Tear” e “Fugazi”, como "Cinderella Search" e "Market Square Heroes", foram apresentadas e logo caíram no gosto popular e como nesta época era muito difícil ter acesso a um material alternativo, isso quando acontecia, era um como um prêmio ganho. 

Outro aspecto importante é que o Marillion estava em total sintonia interna, ou seja, seus músicos estavam conectados entre si, aumentando a sinergia da banda, portanto, a qualidade das músicas e da sua execução propriamente dita, estava perfeita e com uma fidelidade às gravações de estúdio muito grande, o que normalmente é muito difícil de acontecer, pois os recursos de um estúdio são muito superiores ao utilizados em uma apresentação. 

Destacar alguma música seria até uma injustiça com as demais, mas apenas faço uma referência à música, “Forgotten Sons” que para mim, neste álbum, tem a sua melhor versão “live” e sem dúvidas alguma, Fish nesta música estava em um momento de total de integração e inspiração, dada ao forte apelo emocional que ele conseguiu externar. 

Em resumo, tudo de bom que um álbum pode oferecer ao ouvinte, está presente em “Real To Real”, que é totalmente preenchido por músicas sofisticadas e de difícil execução, apresentadas sem exceção por exímios músicos, que conseguem se destacar sem a preocupação de serem melhores que a própria música.

ALTAMENTE RECOMENDADO!!!!


Marillion:
Fish – vocals
Steve Rothery – guitars
Mark Kelly – keyboards
Pete Trewavas – bass
Ian Mosley – drums

Tracks:
CD1 - Real to Real
01 "Assassing" – 7:29
02 "Incubus" – 8:43
03 "Cinderella Search" – 5:45
04 "Emerald Lies" (Dick, Kelly, Mosley, Rothery, Trewavas) – 5:28
05 "Forgotten Sons" – 10:36
06 "Garden Party" – 6:32
07 "Market Square Heroes" – 7:32

1-4: recorded 19 & 20 June 1984, Montreal Spectrum,
5-7: recorded 5 March 1984, Leicester De Montfort Hall


CD2 - Brief Encounter
01 "Lady Nina (extended mix)" (Dick, Kelly, Mosley, Rothery, Trewavas) – 5:47
02 "Freaks (single edit)" (Dick, Kelly, Mosley, Rothery, Trewavas) – 4:09
03 "Kayleigh (live)" (Kelly, Rothery) – 4:11
04 "Fugazi (live)" (Dick, Kelly, Mosley, Rothery, Trewavas) – 8:32
05 "Script for a Jester's tear (live)" (Dick, Kelly, Mosley, Rothery, Trewavas) – 8:52


"Cinderella Search"

"Forgotten sons"

6 comentários:

  1. Brother, tenho um carinho especial para falar do Marillion, pois foi das únicas bandas que realmente consegui vivenciar a época em que estavam no auge ou pelo menos estavam mais conhecidos no Brasil, acredito eu, por volta de 1988 - epoca do lançamento do lagaza ladra (duplo ao vivo). Minha memória afetiva foi muito marcada por essa banda, pois desde os 10, 11 anos de idade eu escutava o lagaza nos mais diferentes estados emocionais. Passados quase 10 anos (em 97) tive o privilégio de assisti-los em BH num show histórico! Alucinante! Apesar de ter sido com o Steve Hogan, que gravou músicas com a banda que não me emocionam, pela presença dos clássicos valeu a pena. Esse disco postado por você eu não conheço, e conheço pouca coisa deles tirando o lagazza, misplaced e primeiro album. Vou correr atrás. E tem um DVD deles de um show de 1983, conhece?
    Abraços!

    Luciano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu irmão,

      Pelo tempo que levei para responder seu comentário, acredito que você já tenha escutado este álbum, que eu considero como o melhor trabalho "ao vivo" do Marillion, faltando apenas a inclusão da música "Grandel"........

      Acho que você vai gostar muito......

      O DVD que você esta se referindo, deve ser "Recital of the Script" que é muito bom também......

      Eu tenho o DVD e já ripei o áudio e numa próxima oportunidade eu disponibilizo aqui no blog...

      Abraços,

      Gustavo

      Excluir
  2. Olá eu sou Manuel de http://joveafterdeath.blogspot.com.es/. Eu pedir ajuda. Um amigo meu tem uma literatura http://gotobebad.blogspot.com/ blog e livros. A editora Planeta vai assinar um acordo de cooperação com ela sempre que ele atingiu os 200 seguidores em seu blog. Por favor, se tornar um seguidor do seu blog. Muito obrigado!

    ResponderExcluir
  3. Prezado Mano Veio...

    Em primeiro lugar obrigado pelo post, pois apesar de ter todo o acervo do Marllion, a versão que eu tinha de Real to Real era a do vinil........

    Eu me lembro quando este disco foi lançado e a primeira música que ouvi do Marillion foi Incubus, que é a versão deste album...

    Foi amor à primeira nota, ao primeiro timbre.....A primeira coisa que veio na minha cabeça foi..." Se o Genesis de Peter Gabriel ainda existisse, esse com certeza seria o som que estaríamos ouvindo hoje!!!!"

    Por ironia do destino, o caminho trilhado pelo Marillion foi muito semelhante ao do Genesis...Se bem que ainda sustento o que disse...Invisible Man com Hogarth e as edições de Marbles em estudio e ao vivo são clássicos da primeira década do novo milenio e tem que ser presença obrigatorio em qualquer acervo..Mesmo para quem não é fã de Rock Progressivo...

    Quanto a Real to Real, não há discussão,,,Está no mesmo nível de Yessongs, Genesis Live e melhor que Delicad Sound of Thunder do Pink Floyd...Porque é autêntico, clássico de sua época. A lamentar somente o fato de não ter sido um album duplo (igual ao Genesis Live)........ faltou Grendel ....

    Abraço....Força.......Sucesso!!!!!

    Carlos "The Ancient"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlão, meu amigo,

      Volto a afirmar que este é o melhor álbum "ao vivo" do Marillion, pois ele é uma pós-graduação em rock progressivo.....

      Todos estão absolutamente perfeitos e em total sintonia com as músicas que são de difícil execução.......

      Concordo com você que faltou a música Grendel, que por sinal é uma das que gosto mais........

      Abraços,


      Gustavo

      Excluir
  4. gracias mil gracias que buenos discos tenes de marillion explorare otros gracias nuevamente

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails