3 de abr de 2012

YES - "Live in Auckland" - 2012

Apesar de algumas horas atrás ter feito uma postagem, normalmente não colocaria outra logo em seguida por razões obvias, mas um acontecimento como este não pode esperar um minuto sequer, principalmente quando a banda é a de minha preferência. 

O Yes está de vocalista novo. Mas calma, muita calma esta hora!!!! Não é a tão sonhada volta de Jon de Anderson ao Yes, é apenas mais uma tentativa dos membros remanescentes em manter a banda ativa. 

Desta vez a tentativa é feita “Jon Davison” , vocalista de uma banda “Tributo ao Yes” e para mim, um “Ilustre Desconhecido” e não estou sendo pejorativo, uma vez que, daqui a bem pouco tempo, ele será um "Ilustre Conhecido", só pelo fato de estar junto a algumas lendas vivas do rock, e principalmente  por estar representando mesmo que momentaneamente, um dos simbolo mais emblemáticos do rock, o "YES"
“Jon Davison”

O que se pode esperar???, pois enquanto estou escrevendo esta breve resenha, o download está em curso, portanto, não tenho a menor ideia do que vou escutar, o que é ótimo, pois me desobriga a comentar qualquer coisa desagradável que possa ter acontecido neste show, realizado em Auckland, Nova Zelândia em 1 de abril de 2012, o “dia da mentira”, ou seja, a dois dias atrás, uma vez que as últimas apresentações do Yes com Benoit David nos vocais foram catastróficas. 

O elenco das músicas de uma forma geral, segue o que estavam apresentando na “Fly from here Tour”, com Geoff Downes nos teclados e mais o restante da "Tropa de Elite" e o novato “Jon Davison” , que sinceramente espero que tenha se saído melhor que seu antecessor, que fora dos estúdios, apresentou alguns problemas vocais quando se apresentou em público. 

Esta postagem só está sendo possível, graças à rapidez do blog “The Clock That Went Backwards Again” em disponibilizar este precioso material acompanhado de uma longa resenha, que com certeza será objeto de desejo dos fãs da banda, portanto, a mim só resta agradecer a este blog, que é uma referencia e parada obrigatória, pois lá há um vasto acervo musical que é imperdível.

QUE DEUS NOS PROTEJA E ABENÇOE O "YES" !!!!


Addendun:


Por mais louco e idiota que eu possa parecer, eu ainda não consegui escutar o álbum e muito menos pesquisei quem é Jon Davison, mas como Deus é muito generoso com comigo, tem sempre uma alma iluminada para cobrir as minhas falhas e deficiências, portanto, um comentário feito para esta postagem pelo, Carlos, o “The Ancient” vai complementar esta deficiente resenha: 

“Prezado Mano Véio!!!!!!!!

Jon Davison tem um passado melhor que Benoit David...Alem de participar de uma Banda Tributo chamada Roundabout, Jon Davison tambem integrou outra banda de New Prog, chamada Glass Hammer.

O Glass Hammer está na estrada desde 1993, e ocupa o mesmo nível de outra grande banda chamada Mostly Autumn (que por acaso enviei-lhe um trabalho nos últimos dias do Megaupload). Esta banda seria mais ou menos uma evolução (ou variação) do Yes pós Going for One, com alguns pitacos de Emerson Lake and Palmer. Algo semelhanto ao Marillion de Fisch em relação ao Genesis de Peter Gabriel.

O Glass Hammer inclusive tem alguns trabalhos de capa feitos por Roger Dean, o que aproxima ainda mais a atmosfera da banda ao trabalho do Yes.

A voz de Jon Davison no estúdio chega em muitas vezes a lembrar os trabalhos solos de Jon Anderson...É até um absurdo imaginar que existia um cara na cena musical com o timbre de voz semelhande ao de Jon Anderson, e que passou despercebido por fãs incondicionais como nós...

A diferença entre Jon Davison e Benoit David pode ser vista neste seu clipe acima na interpretação de Wonderous Stories...Esta mesma música gerou uma grande polêmica alguns mêses atrás por causa da péssima performance de Benoit David.

Áliás, é bem provável (apenas estou supondo) que os problemas com a garganta de Benoit David sejam decorridos pelo fato dele estar se esforçando para cantar com timbre semelhante de Jon Anderson, e isso requer um trabalho de voz muito maior...Soma-se o fato da agenda de shows do Yes ser muito maior do que sua antiga banda cover...Vejam as primeiras performances de Benoit David e comparem com as últimas...é nítida a sensação de que o tempo cobrou rapidamente seu preço pelo esforço deste cantor tentar chegar aos níveis de Jon Anderson.

No caso de Jon Davison, creio que sua voz soa realmente igual à de Jon Anderson de forma simples e natural...

O Trabalho da banda Glass Hammer é altamente recomendado para aqueles (inclusive você maninho) que buscam a sonoridade perdida nos aos 70...Já incluí a discografia da banda em meu acervo que contam com 12 álbuns de estúdio e dois ao vivo !!!!

Espero ter contribuído com seu blog com estas informações novas e relevantes sobre a maior e mais amada banda de rock progressivo, que precisa urgentemente se reciclar porque tem tudo para se tornar atemporal não apenas no som, mas em termos de continuidade, o que seria algo incrivelmente notável, pois elevaria o Yes da condição de banda para instituição musical!!!!!

ABRAÇO..FORÇA...SUCESSO!!!!  

Carlos "The Ancient""

A mim, só resta agradecer ao meu amigo, Carlão, pelo  carinho e pelo tempo gasto em escrever este esclarecedor comentário que com certeza será muito apreciado por todos......  

Yes:
Alan White
Chris Squire
Geoff Downes
Jon Davison 
Steve Howe

Tracks:
CD1
01 Yours Is No Disgrace
02 Tempus Fugit
03 Your Move / I See All Good People
04 Life on a film set
05 Steve solo - Solitaire/Clap
06 And You And I


CD2
01 Fly From Here
02 Wonderous Stories
03 Into the storm
04 Heart Of The Sunrise
05 Owner of a Lonely Heart
06 Starship Trooper
07 Roundabout



DIRECT LINK


"Yes live in Auckland April 2012"

"Fly From Here"

16 comentários:

  1. Cara, eu soube há poucos dias que o Yes estava de vocalista novo, e que tinha vazado alguns videos e o audio de algumas músicas com a nova formação! Eu dei uma assistida no youtube e gostei muito do resultado, e vários fãs estavam comentando justamente que esse novo vocalista tem mais técnica vocal que o anterior, não desafinava e segurava melhor a bronca! Nem vejo a hora de baixar esse boot... Qualquer material do Yes é sempre bem vindo, e esses dias comprei uma jóia em cd deles - o live at montreux. Abraço

    Luciano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciano,


      Ainda não consegui escutar o álbum, só dei uma olhada rápida no vídeo.............

      Espero que seja melhor do que os últimos álbuns......


      Abraços,

      Gustavo

      Excluir
  2. Prezado Mano Véio.......

    Diante desta surpreendente e inusitada notícia, a única coisa que tenho a lhe dizer....( E porque não, pedir!!!)é...

    Para algumas coisas sou extremamente inteligente, para outras tantas sou por demais criativo....mas para algumas, não tenho o menor pudor em confessar minha ignorância, (e não seria nenhum exagero afirmar "burrice")...Isso posto...Por favor...

    COMO É QUE SE FAZ PRA BAIXAR ESSE BOOT??????????.....

    ABRAÇO....FORÇA....SUCESSO!!!!!!

    CARLOS "THE ANCIENT"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É só clicar na palavra LINK em amarelo......

      Abraços,

      Gustavo

      Excluir
  3. Eu já fiz isso Mano Veio.........Mas o problema é na hora que eu clico no link.....aí aparece um monte de informações opções e eu me perdi por completo.....saudades do bom e velho Megaupload.....Help me

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlão,

      Não é você que não está sabendo fazer, o site bloqueou o download gratuito, por isso vc não está achando o link.....

      Vou tentar arrumar outro link, pq o arquivo que baixei ficou no micro do RJ e eu estou este final de semana em SP......

      Eu te aviso...


      Abs,


      Gustavo

      Excluir
  4. Prezado Mano Véio!!!!!!!!

    Jon Davison tem um passado melhor que Benoit David...Alem de participar de uma Banda Tributo chamada Roundabout, Jon Davison tambem integrou outra banda de New Prog, chamada Glass Hammer.

    O Glass Hammer está na estrada desde 1993, e ocupa o mesmo nível de outra grande banda chamada Mostly Autumn (que por acaso enviei-lhe um trabalho nos últimos dias do Megaupload). Esta banda seria mais ou menos uma evolução (ou variação) do Yes pós Going for One, com alguns pitacos de Emerson Lake and Palmer. Algo semelhanto ao Marillion de Fisch em relação ao Genesis de Peter Gabriel.

    O Glass Hammer inclusive tem alguns trabalhos de capa feitos por Roger Dean, o que aproxima ainda mais a atmosfera da banda ao trabalho do Yes.

    A voz de Jon Davison no estúdio chega em muitas vezes a lembrar os trabalhos solos de Jon Anderson...É até um absurdo imaginar que existia um cara na cena musical com o timbre de voz semelhande ao de Jon Anderson, e que passou despercebido por fãs incondicionais como nós...

    A diferença entre Jon Davison e Benoit David pode ser vista neste seu clipe acima na interpretação de Wonderous Stories...Esta mesma música gerou uma grande polêmica alguns mêses atrás por causa da péssima performance de Benoit David.

    Áliás, é bem provável (apenas estou supondo) que os problemas com a garganta de Benoit David sejam decorridos pelo fato dele estar se esforçando para cantar com timbre semelhante de Jon Anderson, e isso requer um trabalho de voz muito maior...Soma-se o fato da agenda de shows do Yes ser muito maior do que sua antiga banda cover...Vejam as primeiras performances de Benoit David e comparem com as últimas...é nítida a sensação de que o tempo cobrou rapidamente seu preço pelo esforço deste cantor tentar chegar aos níveis de Jon Anderson.

    No caso de Jon Davison, creio que sua voz soa realmente igual à de Jon Anderson de forma simples e natural...

    O Trabalho da banda Glass Hammer é altamente recomendado para aqueles (inclusive você maninho) que buscam a sonoridade perdida nos aos 70...Já incluí a discografia da banda em meu acervo que contam com 12 álbuns de estúdio e dois ao vivo !!!!

    Espero ter contribuído com seu blog com estas informações novas e relevantes sobre a maior e mais amada banda de rock progressivo, que precisa urgentemente se reciclar porque tem tudo para se tornar atemporal não apenas no som, mas em termos de continuidade, o que seria algo incrivelmente notável, pois elevaria o Yes da condição de banda para instituição musical!!!!!

    ABRAÇO..FORÇA...SUCESSO!!!!

    Carlos "The Ancient"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu véio,

      Plagiei todo este seu comentário aqui nesta resenha.........

      Afinal, nada mais justo, porque você acabou fazendo o que eu já deveria ter feito há muito tempo....

      O Glass Hammer já é um conhecido de longa data e uma banda que eu admiro muito, pois faz um progressivo de primeira.....

      Eu tenho nove álbuns e já publiquei um que se chama, "Journey of The Dunadan", mas o nome de Jon Davidson a princípio não me pareceu conhecido....

      Confesso que fiquei surpreso com seus comentários, que fiz questão de colocá-lo em destaque junto a resenha para que todos possam disfrutá-lo também.....


      Valeu mesmo.....


      Abraços,


      Gustavo

      Excluir
  5. ......Escrever no seu blog é sempre um grande prazer!!!!!! Eu é que agradeço o espaço que somente uma pessoa com seu carisma poderia oferecer!!!!!

    E falando em espaço,,,,,Penso que devemos continuar a abrir mais espaço para estas "novas" bandas que estão lutando já há algum tempo, para oferecer um som com maior qualidade e riqueza musical ...Mostly Autumn, The Asteroids Galaxy Tour ( que esteve injustaente no Palco Mundo na última edição do Rock in Rio), Glass Hammer, By the Pond, e tantos outros....Devemos cultuar nossos ídolos/herois, mas sem deixar de prestar atenção nestas bandas e talentos que são o futuro não do rock progressivo..mas da música de qualidade....Pena que com essa bagunça na net, não está mais sendo possível compartilharmos nossos acervos...

    Mais uma vez meu muito obrigado pelas suas gentis palavras e tratamento dispensado!!!...

    ABRAÇO...FORÇA...SUCESSO!!!!!!
    Carlos " The Ancient"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Véião,

      Publicar o seu o comentário era o mínimo que poderia fazer após tanta dedicação de sua parte.....

      Eu estou sempre a procura de novas opções musicais e sempre que encontro algo que realmente valha a pena, eu publico de imediado...

      Tenha em vista, o "By The Pound" que pude assistir pessoalmente e mesmo sem material para postar, fiz questão de publicar uma resenha, para ser mais um foco divulgador desta "Troupe Musical" que tem um futuro brilhante.....

      Realmente estas bandas que você citou são algumas das quais, que serão responsáveis por possibilitar a eternização do rock progressivo........

      Abraços,

      Gustavo

      Excluir
  6. Caras, interessante este histórico do Jon Davison. Ele parece ser bem mais competente que o Bernoit David. A banda só precisava substituir agora o Downes, pelo Oliver Wakeman, ou Tom Brislin, para voltar com tudo, e quem sabe uma nova tour pela America latina e Brasil...
    Luciano

    ResponderExcluir
  7. Meu caro amigo Luciano.....Prezado Mano Véio, e demais amantes do Yes..........Concordo com seu comentário acima, e acrescentaria ( esta opinião é extremamente polêmica!!!!) Steve Howe........ E explico porque!!!!

    O guitarrista é o motor, combustível, adrenalina de qualquer banda...O Bom e "velho" Howe perdeu estes elementos com o passar dos anos - o que é muito natural -. O Yes necessita de um substituto à altura, com a garra de um iniciante... Algo semelhante ao que Trevor Rabin representou nos anos 80 ( não digo em forma criativa, pois ele destroçou o som da banda) mas realmente no quesito continuidade e dinâmica e acima de tudo...VITALIDADE!!!!

    Fiquem todos à vontade para discordar...Mas estou convencido que a banda precisa buscar nova força e criatividade em seu som, sem perder as características artísticas da história do Yes

    ABRAÇO A TODOS!!!!

    Carlos " The Ancient "

    ResponderExcluir
  8. Carlos, desculpe discordar de você amigo, mas para mim o Howe é a peça fundamental do Yes... De todos os gigantes do Yes ele consegue se sobressair a meu ver. É o guitarrista de "assinatura" ímpar existente neste planeta... Como existiu Jimi Hendrix, existiu Steve Howe... Acho que seria missão impossível achar alguem com a mesma técnica e competência dele... Ainda hoje alguem no facebook escreveu que ao ouvir o bootleg de Wembley sentiu pena do Howe hoje em dia não ter mais a mesma pegada de outrora. Mas eu ainda acho que o velinho ainda tem os dedos mágicos. Já ouviu aquela Siberian Khatru do Live from Lyon de 2008? putz...

    Luciano

    ResponderExcluir
  9. Amigos,

    Carlão e Luciano,

    Eu tenho refletido muito sobre o que é o "Yes" hoje, e a conclusão que chego, é a de um Yes fazendo um cover do "YES".....

    Eu ainda não escutei uma única faixa deste bootleg....

    O "YES" que eu amo de verdade é composto de cinco elementos básicos (Jon, Steve, Chris, Alan e Rick) e justiça feita existe um sexto elemento (Patrick Moraz) que por pouco tempo agiu muito favoravelmente em prol do grupo....

    Estes para mim, são os únicos que conseguem ativar a química mágica que me hipnotiza e realmente me leva a uma "Viagem".....

    Sem desmerecer os álbuns, "Drama" e "Fly From Here" que são realmente muito bons, eles estão a anos-luz atrás de tudo foi feito até o álbum, "Tormato".....

    A parte vocal da banda, foi sempre um diferencial em relação às demais bandas do mesmo segmento, então, escutar qualquer música sem a voz de Jon Anderson, por melhor que seja o substituto, soa fora do tom, a frequência não é a mesma, portanto, para mim não é mais o "YES" que está em ação....

    Tentar mascarar também a ausência de Rick Wakeman é impossível e nem Patrick Moraz que é tão virtuoso e conceituado como RW não conseguiu transmitir a mesma mensagem .......

    A descaracterização atual da banda é tão grande e evidente, que isto logicamente se reflete negativamente nos demais membros restantes e se hoje temos um genial Steve Howe apático, com certeza não é pela idade, mas sim pelo clima atual que a banda está passando, que acredito que não seja dos melhores......

    O “YES” para mim está acima de uma banda de rock, pois com sua música diferenciada, transformou-se em uma “Instituição” comandada por “entidades humanas”, portanto, não sai um membro “entidade” e entra em cena um simples mortal como nós no lugar,....

    Aquele símbolo mágico “YES” criado por Roger Dean tem uma representatividade que vai muito além do nosso entendimento......

    Todos os pontos de vista, que foram externados, são absolutamente válidos e de alguma forma estão corretos, uma vez que cada um enxerga a realidade de uma forma diferente, portanto, amigos, estamos todos certos e errados ao mesmo tempo.....

    Um bom final de semana......

    Abraços,

    Gustavo

    ResponderExcluir
  10. Amigos, estou mandando o link de uma música extraída de um show do Yes de 2 dias atrás em Sydney. Tempos Fugit! Não sei se irão gostar... eu achei o andamento mais lento.
    http://www.youtube.com/watch?v=5Hy1prs_Mxo

    abs

    Luciano

    ResponderExcluir
  11. Mais uma pessoal. And You And I...

    http://www.youtube.com/watch?v=uvErx5_Ob6k

    Estou assistindo agora. Abs

    Luciano

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails