18 de dez de 2011

YES - “Autumn Tour in Europe Live in Copenhagen” - 2011

Desastre!!!! Um verdadeiro desastre esta apresentação do Yes!!! É muito triste escrever estas duras palavras, mas por indicação do Carlão, o “The Ancient”, fui ao blog do Leonardinsky ler a sua brilhante resenha, baixar e escutar o bootleg, “Autumn Tour in Europe Live in Copenhagen”, gravado em seis de dezembro de 2011. 

Bem, quem for lá e ler a resenha e fazer o download do bootleg, vai entender ao que estou me referindo, pois a resenha é dramática, muito contextual e nos leva a profundas reflexões quanto ao Yes e sua continuidade, pois quando do lançamento de Fly From Here, que a princípio me mantive em cima do muro, um tanto reticente e depois reconhecendo o álbum como um bom trabalho que poderia estampar em sua capa um logo do “Yes” sem fazer vergonha à Instituição “YES”, não poderia imaginar uma tragédia destas proporções. 


Confesso que inicialmente, só escutei, “Roundabout” e foi mais que suficiente para entender o que está acontecendo, pois esta é uma música que não exige grandes malabarismos vocais e o que se escuta é deprimente, parecendo a voz de um péssimo calouro da “Buzina do Chacrinha”, uma decepção total e eu por várias vezes já elogiei a atuação de Benoit David, inclusive em álbum de show ao vivo, pois aparentemente tudo estava indo muito bem. 

Por outro lado, é possível entender que Fly From Here, foi meticulosamente adequado á sua voz, que é muito boa, ele têm talento, mas daí, alterar a concepção musical de clássicos do Yes para atender a sua demanda vocal, seria pedir muito e tenho certeza que seus membros remanescentes jamais mutilariam suas próprias músicas para tal fim. 


Escutar um Yes melancólico como o deste bootleg, parte o coração e provoca uma profunda tristeza, sendo preferível vê-lo fora dos palcos a ter que suportar tamanha vergonha em ver a banda em tal decadência, pois afinal são quatro senhores músicos sendo guiados por um jovem que mesmo tendo seus atributos e talento, jamais chegará a cinco oitavas abaixo de Jon Anderson

É preciso ficar muito claro e entendido que a voz de Jon Anderson, não é apenas uma voz, pois ela funciona como um instrumento qualquer dentro da banda é como se fosse uma "guitarra vocal" que além de contar as histórias, faz solo e tudo mais, é um fenômeno da humanidade, "coisa de Deus", que não está disponível para qualquer um e muito menos para Benoit David, que acredito que esteja com problemas em suas cordas vocais. 

Recentemente postei um bootleg da turnê de “Fly From Here” e o que se escuta é bem diferente do que está contido em “Autumn Tour in Europe Live in Copenhagen” e que me perdoem a todos que lerem esta resenha, mas desta forma, ou o Jon Anderson volta e pacifica a banda ou vamos ver o Yes chafurdando na lama da amargura e da desolação, o que seria um triste fim, para uma das bandas mais amadas do planeta. 

Antes de terminar esta resenha resolvi dar uma chance para mim e para o Yes e escutei, “We can fly from here”, simplesmente um pavor, uma decepção total, é lastimável, pois nem esta, ele conseguiu manter o bom padrão do álbum de estúdio e só serviu para reforçar meus sentimentos em relação ao sombrio futuro do Yes se continuar deste jeito. 

Obviamente não espero que todos concordem com tudo ou parte do que disse, deixando o espaço aberto para quem quiser se manifestar contrariamente ou favoravelmente a tudo que tristemente foi dito aqui. 

VOLTA JON ANDERSON, O YES PRECISA DE VOCÊ!!!!!

Yes:
Alan White
Benoit David,
Chirs Squire
Geoffrey Downes
Steve Howe

Tracks:
01. Intro: The Young Person's Guide to the Orchestra (2:41)
02. Yours Is No Disgrace (13:22)
03. Tempus Fugit (7:03)
04. I've Seen All Good People (7:33)
05. Life On A Film Set (6:00)
06. And You And I (11:55)
07. Steve Howe Solo: Solitaire (3:47)
08. Steve Howe Solo: Intersection Blues (3:23)
09. Fly From Here: Overture (1:53)
10. We Can Fly From Here (6:01)
11. Sad Night At The Airfield (7:30)
12. Madman At The Screens (5:06)
13. Bumpy Ride (2:15)
14. Fly From Here (Reprise) (2:37)
15. Wonderous Stories (4:52)
16. Into The Storm (8:17)
17. Heart Of The Sunrise (12:38)
18. Starship Trooper (14:09)
19. Roundabout (10:33)

O download deve ser feito diretamente no blog LEONARDINSKY  onde há o acesso para a resenha também.
  

Chega a ser constrangedor ver o o semblante de Chris Squire neste vídeo.....
"Wonderous Stories"

12 comentários:

  1. Gustavo, eu tinha lido no facebook no grupo yesbrasil, há poucos dias, vários fãns dizerem que o Yes tinha feito uma vergonhosa apresentação, e postaram o video de "wonderous stories" descendo a lenha! Entre os fãs do Yes que acompanham cada passo da banda é o assunto do momento! Dizem que o Bernoit pegou uma gripe feia e os caras cancelaram ou interromperam a Tour. Essa gripe parece ter vindo no momento certo!Sabe o que eu estava pensando? Se os caras tentarem conversar com o john para tentar fazer este voltar, tomara que ele não faça um "doce" vingativo!

    Vou dar uma ouvida atenta nesse bootleg depois.

    Vou postar o link do video da wonderous histories.

    http://www.youtube.com/watch?v=3KQ1z8rjpQg&feature=related

    Luciano

    ResponderExcluir
  2. Queridos amantes do Yes e do rock progressivo...Não entendo de muitas coisas na vida, o Yes é uma das poucas coisas que me atrevo a falar, porque é uma das poucas que entendo...

    O problema não é Benoit David ou sua suposta gripe, muito menos Geoff Dowenes...Tão pouco a forma como a banda vem se apresentando...

    A grande verdade é uma...O Yes que aprendemos a amar simplesmente não existe mais...Esses músicos estão com mais de 60 anos, e não possuem mais o ímpeto, a energia e a vibração que predominaram na banda a 35 anos atrás. O próprio Jon Anderson à exemplo de Roger Waters, Mick Jagger, Milton Nascimento, é incapaz de cantar como cantava nos anos 70.

    Exigir que estes músicos tenham a mesma performance do passado é a mesma coisa que exigir que um grande jogador de futebol que hoje com 70 anos jogue o que jogava no passado. Nós temos devoção e respeito pelo o Yes...Porque a música deles é tão boa, mas tão boa, que sobreviveu todos estes anos..

    O maior problema é que não existem mais bandas como Yes, Genesis, e tantos outros...A força criativa do rock acabou...Vejam os festivais que são promovidos hoje...Vejam a última edição do Rock'n Rio...

    Nós estamos orfãos, e o Yes só pelo fato de ter gravado um álbum do nível de Fly From Here já está muito além do que outras bandas de sua época tem feito..Quando quero ver o Yes ao vivo, eu recorro ao meu acervo....Completando o que disse Leonardinsky, eu diria que o Rock teve o início de sua fase áurea com o álbum Revolver dos Beatles e sua morte com o Álbum Drama do Yes...

    Abraço a todos...Força....Sucesso...E Maditos Sejam os Sex Pispols......

    Carlos "The Ancient"

    ResponderExcluir
  3. Caro Gustavo;
    Meu nome é Fred e já acompanho seu blog faz algum tempo. Aliás, meus parabéns e obrigado.
    Acho que você está certo sim, o Benoît está doente. Olha só o que saiu no site oficial da banda:
    December 14, 2011—Prog rock band YES have been forced to cancel the last 3 shows on their European tour due to illness. Benoit David, lead singer with the group, has been hit by an extreme case of laryngitis together with an ear infection and high fever and was advised by doctors not to speak, sing or travel until the infection is under control.

    The band are bitterly disappointed and are really sorry that they have to let their fans down.

    Gostei do trabalho dele, mas já deu...podiam fazer igual fizeram com o Jon, agradecer a força do fundo do coração, dar um até logo chamar o Jon de volta. Nunca fui contra mudanças, dsde que elas trouxessem benefícios. Esta já trouxe o excelente "Fly from Here", mas agora está deixando a desejar.
    Deixo meu mail para mantermos contato: massaudconde@yahoo.com

    ResponderExcluir
  4. Olha, concordo com quase tudo o que o Carlos Antigo falou, não concordo lá bem com o último parágrafo, antes dos abraços. Gosto do "Drama" e de algumas outras coisas gravadas nos anos 80, mas que já não havia o impacto , a criatividade,isso não havia mesmo! Nem conheço esse Benoit. Depois da fase Trevor Rabin, não mais escutei discos do Yes. E aquele ao vivo, que alguns gostam, achei até pior que os dois de estúdio, gravado com o citado guitarrista.

    É dose escutar um disco dos anos 70 dos Renaissance, Moody Blues, Genesis(esses, nem é bom comentar muito), Pink Floyd, e muitos grupos que não são progressivos, mas que eram ótimos, como o Black Sabbath. Até mesmo em suas aparências, o que eles se tornaram? Richard Wright está morto. Steve Marriott também, e estupidamente. Acho que estou bem negativista mesmo, pois penso que dá até mais tristeza que prazer em ouvir discos nos tempos de glamour, já que um dia eles brilharam, hoje são estrelas apagadas. Remember one day... shine on you crazy diamond.

    ResponderExcluir
  5. Meu Caro Roderick...Obrigado por suas palavras de apoio...

    Apenas para corrigir...O que eu quis dizer no último parágrafo foi que Tanto Revolver dos Beatles como Drama do Yes são duas excelentes obras....E que depois de Drama, eu não ví nada de representativo dos gigantes da década de 60 e 70....Se você quiser saber o que penso sobre Drama, acesse os posts deste site sobre Fly From Here e Drama do Yes..O Gustavo sabe o que penso sobre Drama!!!!

    Um grande abraço pra você...Pro Luciano..pro Leonardinsky ...pro Mano Véio..e para todos os fãs lúcidos e responsáveis que sabem colocar o fanatismo e idolatria de lado....

    Carlos "The Ancient"

    ResponderExcluir
  6. Meus amigos,
    O objetivo desta postagem está sendo alcançado com êxito graças a vocês, pois a intenção era provocar o debate e ele está acontecendo em altíssimo nível, com todos doando seus conhecimentos e experiências para que os mais jovens entendam o significado e o porquê da existência de uma banda de rock que ultrapassou os limites da música .............

    Como são vários pontos de vista diferentes e levando-se em conta, a percepção que cada um tem sobre o Yes, que magicamente faz com dediquemos um pouco do nosso tempo para entender sua existência, pois afinal de contas, nós amamos esta banda e o sentimento é um só, todos nós estamos com a razão sob óticas diferentes..............

    Eu quero acreditar que a banda passa por um momento infeliz, provocado por circunstâncias alheias à vontade do grupo, pois tenho fé que, quanto mais velhos estão ficando, mais próximos da perfeição estão chegando e ainda levam uma grande vantagem sobre outras bandas, tendo em vista que nunca precisaram ficar fazendo firulas ou caretas em palco, pois simplesmente tem uma preocupação, “tocar as músicas”, nada mais......

    Olhando para trás, eu me pergunto quantas vezes já tocaram, por exemplo, “Close to Edge” ou “Starship Trooper” ou até mesmo “Awaken” que é mais recente e soa como uma continuação para “Tales from.....” ou qualquer outra música que queiram deste período????

    Não há mais ensaios para a banda à décadas, a alma deles já está permeada por letra e música de tudo que já fizeram de bom e isto faz parte da existência deles, só que em meu conceito há uma fórmula química a ser respeitada para existir o equilíbrio necessário para a associação de talentos e seus ingredientes que são os músicos, têm que ser os da fórmula perfeita...........

    Esta química começou em 1969 e com o passar do tempo, foi se ajustando até chegar a um ideal de perfeição musical inegável, que começa no Yes Album com a entrada de Steve Howe, até chegar ao “Tales from” que contava com Rick Wakeman e Alan White e que depois desta fase, teve sua estrutura alterada por diversas vezes, sendo algumas com sucesso (Relayer e Drama) e outras nem tanto como “Ladder”, “Open Your Eyes” e etc....

    Chegaram até a voltar a química perfeita com, “Going for the One” e “Tormato” que devolveram certo glamour a banda, mas isto são conjecturas e devaneios de um velho apaixonado pela banda, que não merece créditos.........

    No mais amigos, só resta a mim, agradecer a audiência que tem dado, mas principalmente agradecer pela paciência em perderem tanto tempo lendo as loucuras que escrevo aqui no blog.......

    Um forte abraços à todos,

    Gustavo

    ResponderExcluir
  7. Prezado Carlos,

    Perdão por eu ter entendido mal a respeito do "Drama", e grato pelas suas gentis palavras.

    Falando em gentileza, continuas o mesmo, não , Gustavo? Esbanjando simpatia e conhecimento musical.

    Sobre o grande Yes, segue meus 5 álbuns preferidos, em ordem de preferência:
    Fragile
    Close to The Edge
    Tales from...
    Yes Album
    Going For The One

    Abraço a todos

    ResponderExcluir
  8. Meus Caros Amigos!

    Rick Wakeman já declarou que o Yes é uma instituição, e que como tal, deverá durar para sempre....Partindo deste princípio, minha opinião seria que o Yes deveria aproveitar os problemas de saúde de com Benoit David e parar imediatament, reciclar toda a banda, colocar músicos novos e vigorosos,..... Como bem sugeriu Leonardinsky, talvez uma voz feminina ( quem sabe aquela voz maravilhosa da banda Esquire que cantou as canções de Chris no álbum Yes, Friends and Relatives...Chamar urgente Tom Brislin...Deixar que os Yesmans de hoje cuidem apenas da força criativa, dos arranjos para novos clássicos.....Dar um vigor novo para a banda e mais esperança para os fãs, constituindo verdadeira mente uma entidade musical chamada Yes..

    Isso é muito mais que uma simples banda...Fiquei chocado ao ver o clip acima..Parecia a Banda cover Yessongs tocando ( com todo respeito) no Café Piu Piu...O Yes que se apresentou no QPR era muito maior que isso..é para lá que Chirs Squire e Jon Anderson devem colocar a banda novamente..

    Abraços a Todos...Força.....Sucesso!
    Carlos "The Ancient"

    ResponderExcluir
  9. .....Em tempo....Esse blog é como se fosse um pouquinho nosso também...Aqui nunca se perde nada...apenas ganha!!!!

    ResponderExcluir
  10. Carlão, meu veio....

    Tenha fé que este é blog é de todos mesmo, pois sem a ajuda de vocês eu não teria condições de seguir em frente....

    Roderick meu amigo,

    Receber bem a todos que por aqui passam é no mínimo uma obrigação, tendo em vista que por causa de vocês é que tenho forças e animo em continuar a escrever e postar estas maravilhas musicais que estão espalhadas pela net.....

    Um grande abraço a todos

    Gustavo

    ResponderExcluir
  11. Além de lamentável foi um ato de traição o que os membros do Yes fizeram com Jon Anderson,mas Crhis Square sempre teve esse sonho de sair com o Yes sem Jon e viu agora seu sonho virar pesadelo.
    Jon Anderson é um ser iluminado e transborda magia em seus vocais e nos leva juntos a uma viagem maravilhosa,coisa que jamais essa formação do Yes o fará.
    Me recuso a ouvir por um segundo outro vocalista sem ser Jon Anderson,abri essa exceção para poder ter essa já presumida opinião.
    Lamentável!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Floyd,

      Aparentemente no álbum de estúdio, "Fly From Here", O Yes não teve muitos problemas com Benoit David, uma vez que os arranjos foram feitos para acompanhar a sua voz, mas nos shows a coisa muda de figura, pois o timbre de Jon Anderson é muito mais alto, portanto este desastre já era esperado.....

      Abraços,

      Gustavo

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails