12 de out de 2011

TANGERINE DREAM - "Goblins' Club" - 1996

Chega um momento em que fica muito difícil falar algo a respeito de uma banda, principalmente se é uma que está a muito na estrada, no caso, o Tangerine Dream que tem uma discografia centenária ou muito próximo disto e para se ter uma idéia,  só neste de ano de 2011, foram lançados três álbuns (já estou à caça!!!). 

A impressão que dá quando tento escrever algo, é que tudo já foi dito em outras postagens minhas, mas realmente fica impossível não ser repetitivo, diante de um álbum como, “Goblins Club”, onde Edgar Froese, muito a vontade e bem acompanhado, externa sua criatividade em meio a sintetizadores, samplers, seqüenciadores, eletronic drums, balalaicas, acordeons, trombone, guitarras e tudo mais que tem direito. 

O resultado final é surpreendente, pois mesmo sendo música eletrônica, um tanto cibernética, é possível perceber lirismo e poesia em músicas que em sua maior parte não é cantada, tendo em vista que a frieza pura da eletrônica é minimizada por arranjos estruturados de forma a humanizar o tema, criando um cenário acolhedor para quem esta apreciando este trabalho. 

Vou até me atrever a destacar algumas músicas que realmente chamaram a minha atenção, pela sua grandiosidade musical, parecendo em alguns momentos, trilha sonora de filmes épicos futuristas e uma que enfatiza bem este sentimento, é “At Darwin's Motel”, uma pequena suite de um sete minutos, que se tivesse mais de vinte ou trinta ia agradar do mesmo jeito com certeza, pois ela deixa aquele sentimento de "quero mais". 

A música que abre este álbum, (aliás, esta já valeria o álbum todo), é “Towards the Evening Star”, que tem algo de especial, talvez pela tendência africana em seu ritmo e voz que lembra um “lamento negro” ou algo parecido, mas que com certeza deu um toque todo especial a esta peça e que também se faz presente em parte da música, “Rising Haul in Silence”, outra joia de deste álbum. 

Este álbum deixa uma dupla leitura sobre a banda, pois Edgar Froese mais uma vez apresentou-se com o Tangerine Dream praticamente todo reformulado, o que de certo modo reforça uma tendência em poder afirmar que a alma e o cérebro da banda sempre foi e sempre será ele próprio. 

Por outro lado, ninguém faz nada sozinho e nestes mais de quarenta anos de trabalho, músicos de altíssimo nível profissional passaram pela banda, para que toda a genialidade de Edgar Froese pudesse emergir e ficar a mostra para todos nós, portanto, ele não é só um excelente músico, mas acima de tudo, mostrou-se um verdadeiro “mestre”, formando músicos, que com certeza após sua passagem pelo Tangerine Dream, passaram a enxergar a música eletrônica sob uma nova ótica, muito mais rica e criativa. 

Apenas para finalizar, logicamente tenho que recomendar este álbum, pois o seu formato agradará até os mais céticos em relação a este tipo de música e para quem já é amante do gênero, vai ficar diante de gema de vinte quatro quilates e se deliciar com tamanha criatividade, distribuídas entre às oitos emocionantes músicas de “Goblins Club”

RECOMENDADÍSSIMO!!!!

Musicians
Edgar Froese / drumming, keyboards and 12 string & lead guitar
Jerome Froese / drumming, lead and rhythm guitars & keyboards
Gerald Gradwool / acoustic & lead guitar
Mark Hornby / acoustic guitar, slide & 12 string guitar
Linda Spar / keyboards & horn
Roul Miller & Dean Clarke / trombone
Dimitri Chiganioff / Balalaika
Anou d' Merian / voice
Walton Everding / Gizmo
Larry Hamilton / accordion
Pawel Nyrouda / acoustic harp
Vienna Boys Choir
The Royal Buckminster Choir

Tracks:
01. Towards the Evening Star (6:20)
02. At Darwin's Motel (7:25)
03. On Cranes' Passage (4:31)
04. Rising Haul in Silence (7:36)
05. United Goblins Parade (5:47)
06. Lamb With Radar Eyes (8:42)
07. Elf June and the Midnight Patrol (4:43)
08. Sad Merlin's Sunday (10:52)

LINK

"Towards the Evening Star"

"Rising Haul in Silence"

Trecho de "At Darwin's Motel"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails