4 de mai de 2011

RAY MANZAREK - "Carmina Burana" - 1983

Existe doido para tudo e para todos, e este aqui que é pós-graduado em doideira, que atende pela alcunha de Ray Manzarek, é o ex-tecladista do "The Doors".

Em um momento de lucidez, gravou em 1983, pasmem, "Carmina Burana" de Carl Orff em uma versão muito bem humorada que beira um clima bem discoteque, muito característico do início dos anos oitenta. 

A produção ficou a cargo de um dos mentores da New Age, Philip Glass, ou seja, produções de primeira categoria e esta, não fica a dever em nada e não poderia ser diferente, pois o trato com uma peça musical como "Carmina Burana", tem que ser ter muitos cuidados, pois não se admite em hipótese alguma, atos que venham a blasfemar ou ridicularizar a imagem do compositor alemão, Carl Orff. 

Carl Orff
Considerando que Ray Manzarek agregou a este trabalho excelentes músicos e um coro altamente competente para materializar esta versão moderna de um antigo épico musical, seu resultado é até surpreendente, um tanto inovador e principalmente corajoso, mas não quer dizer que vá agradar a qualquer um, é necessário ter alguns requisitos prévios, como o gosto em escutar música clássica, ter mente aberta para uma sonoridade que a princípio pode parecer agressiva à versão original. 

Não chega nem de longe a beirar a bizarro, como já vi escrito em outros sites e blogs especializados em música, pois considero este álbum como uma leitura contemporânea de uma popular peça clássica do passado na visão de um músico criativo, executada com muito cuidado e esmero, que merece ser apreciada, tendo em vista que Ray Manzarek deve ter suado e muito a camisa para produzi-la. 

Ray Manzarek aproveitou-se da oportunidade e deu um show com seus teclados, fazendo belas harmonizações e solos bem estruturados dentro do contexto exigido pela peça e mesmo não sendo um virtuoso instrumentista, temos que fazer justiça ao seu trabalho, pois se saiu muito bem e teve sensibilidade suficiente para não transformar em um circo esta grandiosa peça musical. 

As impressões sobre esta polêmica versão de "Carmina Burana", acredito eu, devem ser fruto da experiência anterior de cada um, pois entendo que é um tipo de música de digestão um pouco complexa, portanto deixo esta tarefa a quem se aventurar em escutá-la, mas de qualquer forma, não posso deixar de recomendar este álbum a todos, por seu conteúdo, pela produção e dedicação que Ray Manzarek dispensou a este projeto. 

MUSICIANS:
Bass - Doug Hodges
Drums - Larry Anderson (2)
Guitar - Ted Hall (2)
Piano, Organ, Keyboards [Misc.] - Ray Manzarek
Saxophone, Flute - Jack Kripl
Synthesizer - Adam Holzman , Michael Riesman
Producer - Philip Glass

TRACKS:
01. The Wheel Of Fortune (O Fortuna)
02. The Wounds Of Fate (Fortune Plango)
03. The Face Of Spring (Veris Leta Facies)
04. Sunrise (Omnia Sol Temperat)
05. Welcome (Ecce Gratum)
06. The Dance (Tanz)
07. Sweetest Boy (Dulcissime)
08. If The Whole World Was Mine (Were Diu Werlt)
09. Boiling Rage (Estuans Interius)
10. The Roasted Swan (Olim Lacus)
11. In The Tavern (In Taberna)
12. Loves Flies Everywhere (Amor Volat)
13. A Young Girl
14. Come My Beauty (Veni Veni Venias)
15. The Lovers (Blanziflor Et Helena)
16. The Wheel Of Fortune (O Fortuna) -


NEW LINK
"The Wheel Of Fortune (O Fortuna)"

"The Wounds of Fate ( Fortune Plango Vulnera)"

"Sunrise (Omnia Sol Temperat)"

Um comentário:

  1. obrigado pela informações sobre essa obra inusitada..bom trabalho


    marlos/br

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails