20 de mai de 2011

ANTHONY PHILIPS - "The Geese & The Ghost" - 1977

Depois de eu ter tomado umas porradas por culpa de Phil Collins (quem as deu sabe muito bem....), acabei chegando a este adorável álbum, produzido por Anthony Philips, ex-guitarrista do Genesis e apesar de ser um álbum muito antigo, confesso que nunca tinha tido a curiosidade de escutá-lo, mesmo me deparando com ele algumas vezes ainda na época dos discos de vinil. 

A bem da verdade eu nunca consegui entender por que Anthony Philips saiu do Genesis, mas o fato é que o guitarrista tem muito talento, tanto para compor como também para tocar, o que evidencia que sua saída não foi por uma questão de incompetência ou coisa parecida. 

Uns dizem que foi por conta de divergências sobre os caminhos a banda estava tomando a partir do álbum, "Trespass", por sinal um dos melhores que Genesis fez e outros comentam até que ele tinha algum tipo de problema psicológico e que não agüentava a pressão de subir num palco e encarar uma platéia, mas acredito que tudo isso seja apenas especulações.

Mas na verdade eu recebi esta indicação de um amigo Lobo, o Dead, mentor intelectual do Blog Som Mutante, aliás, parada obrigatória para os amantes da boa música, pois lá, há um grande acervo de álbuns de toda espécie, gênero e com excelentes resenhas acompanhando cada álbum. 

Como havia prometido para ele (o Lobo), escutei o álbum e faço agora algumas considerações a respeito de um trabalho que desconhecia por pura ignorância e talvez até por preconceito, mas vamos ao que interessa, pois fiquei diante de um álbum admirável, lírico, feito em momento bem propício a sua confecção e segundo apurei ele levou alguns anos até conseguir lançá-lo em 1977. 

O álbum, "The Geese & The Ghost" é uma obra de arte musical, feita por um exímio músico e compositor que se juntou a outros músicos de igual calibre, tendo até a participação de "Michael Rutherford" e "Phil Collins", seus ex-companheiros do Genesis que vieram para abrilhantar mais ainda esta jóia rara. 

Sua estrutura musical exige uma atenção auditiva especial, pois se trata de um trabalho baseado em suaves nuances acustico-sinfônicas muito bem exploradas e principalmente muito bem executadas pela banda, ou seja, é um trabalho que merece todo o tipo de reconhecimento por nós fãs do gênero. 

Como esta indicação veio de um amigo, o Dead, e foi postado no início desta semana, não teria o menor sentido eu postá-lo diretamente aqui, portanto, sugiro que, quem queira conhecer melhor esta peça rara, acesse o blog, Som Mutante, pois terá acesso a uma bela e elucidativa resenha sobre este álbum.

ALTAMENTE RECOMENDADO!!!

Link: "The Geese & The Gost"

Musicians:
Anthony Phillips / acoustic, classic & electric guitars, basses, dulcimer guitar, bouzouki, piano, organ, synthesizers, Mellotron, harmonium, celeste, pin piano, drums, glockenspiel, bells & chimes, timbales, gong, vocals (7)
Phil Collins / vocals (2-4)
Ronnie Gunn / harmonium (9)
John Hackett / flutes
Nick Hayley & Friend / violins
Jack Lancaster / flutes, Lyricon
Charlie Martin / cello
Viv McAuliffe / vocals (4)
Lazo Momchilovich / oboes, Cor Anglais
Tom Newman / hecklephone, bulk eraser
Rob Phillips / oboes
Michael Rutheford / acoustic, classic & electric guitars, basses, organ, drums, timbales, bells, glockenspiel, cymbals
Wil Sleath / flutes, recorders, piccolo
David Thomsa / classical guitar (9)
Kirk Trevor / cello
Martin Westlake / tympani
Send Barns Orchestra conducted by Jeremy Gilbert.
Ralph Bernascone / soloist

Tracks:
CD 01
01 Wind-Tales - 1:02
02 Which Way The Wind Blows - 5:51
03 Henry: Portraits From Tudor Times - 14:02
a. Fanfare - 0:26
b.Lute’s Chorus - 2:00
c. Misty Battlements - 1:15 / Lute's Chorus Reprise - 0:52
d. Henry Goes To War - 3:35
e. Death of A Knight - 2:33
f. Triumphant Return - 1:46
04 God If I Saw Her Now - 4:09
05 Chinese Mushroom Cloud* - 0:46
06 The Geese And The Ghost* - 15:40
a. Part I - 8:01
b. Part II - 7:39
07 Collections - 3:07
08 Sleepfall: The Geese Fly West - 4:33

CD 02
01 Master of Time (demo) - 7:37
02 Title Inspiration - 0:31
03 The Geese & The Ghost - Part One* (basic track) (7:46)
04 Collections link (0:39)
05 Which Way The Wind Blows (basic track) (6:25)
06 Silver Song (Geese sessions) (4:22)
07 Henry: Portraits From Tudor Times* (basic track) (5:37)
a. Fanfare
b. Lute's Chorus
c. Lute's Chorus Reprise
d. Misty Battlements
08 Collections (demo) (4:14)
09 The Geese & The Ghost - Part Two* (basic track) (7:30)
10 God If I Saw Her Now (basic track) (4:15)
11 Sleepfall (basic track) (4:22)
12 Silver Song (unreleased single version, 1973) (4:14)

"The Geese & The Gost" - Part 1/2

"The Geese & The Gost" - Part 2/2

5 comentários:

  1. Perceba um detalhe meu amigo Gustavo!
    Os caras sempre davam umjeito de participar nos trabalhos alheios.
    Eles são muito caras de pau mesmo e como os outros são mais decentes convidavam até por educação mas quem diz que os 3 perderiam uma chance?
    O mais reticente é o Banks,não sei se por ser metido ou por não ligar muito mesmo.
    Qto ao link e post deveria estar aqui, afinal ficou muito melhor que o meu prq já vem com outra visão e tal, é seu o post e ficou ótimo.
    Porradas contra o tal do Phill Collins, não gosto dele mesmo e ele foi o maior causador do rompimento pra perdermos uma das maiores bandas do mundo e tudo por inveja prq nunca conseguiu superar seu objeto de desejo.
    Veja bandas que mudaram integrantes e ficaram melhores, mas esta me perdoe não.
    Nunca daria uma porrada em um amigo tão querido como vc, temos liberdade e brinco mesmo, só isso, e para de gostar do baixinho!!!!!!!ré,ré,ré
    Pena sabe Gustavo e amigos, veja naqueles videos que postei e vc tb, o Gabriel fazia de tudo pra agradar ao tampinha no palco e até complementava sua rudimentar bateria, mas não adiantou, aí sai o John Mayhew e depois o Philips e ele tinha sim problemas com o público, era a famosa sindrome de panico, mas nos anos 70 como fazer se até hj quem tem é tido como louco? E na sequencia o Gabriel pira, eles enxendo o saco pra ele parar de teatro que era o que ele fazia, e depois o Hackett....demonstra que os que ficaram naõ os mereciam, assim acho, e os que saíram poderiam formar outro Genesis ainda melhor mas fica nas suposições, obrigado pelo carinho e por ter gostado da dica.
    Enjoy!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Meu irmão,

    Quanto às porradas, foi pura gozação, só para provocá-lo e ser o orgumento inicial desta postagem que tinha como objetivo comentar este álbum que você indicou, que por sinal, é ótimo......

    No mínimo seria um abuso de minha parte postá-lo e não dar os créditos a quem o indicou e o postou primeiro, no caso, você Dead, que gentilmente têm dado todos os créditos para postagens que faço e que você nobremente publica em seu blog,......

    E para falar a verdade até eu já estou ficando puto com o Phil Collins e cia....... é muita sujeira.....

    Meu irmão, grato pela dica e pelos comentários que faz, pois sempre serão muito bem vindos......

    Volte sempre!!!!

    Um forte abraço,

    Gustavo

    ResponderExcluir
  3. Esse disco é uma obra prima. Tenho em vinil, norte-americano-capa belíssima!

    Mike Rutherford é um excelente músico. Discreto, mas eficiente, um expert nos violões de doze cordas.

    Também não gosto do Phil Collins, mas não concordo com o Morto ou Vivo(rs) sobre sua performance na bateria. Collins é um cantor fraco, ruim compositor, mas um excelente baterista e percussionista, dono de um estilo bem pessoal, uma dos melhores do mundo, eu penso.

    Abraços, Gustavo e Morto ou Vivo!

    ResponderExcluir
  4. Realmente um excelente álbum, uma pena que devido aos seus problemas ele não tenha a projeção que merece, talento tem, como mostra nesta obra complexa e sensível e espero que ele tenha produzido mais a exemplo da turma dos "ex´s". Ainda bem que esse lobo está mais vivo do que morto, sobra pra nós. É muito bom ter a oportunidade de conhecer as histórias por traz da música, acredito que isto nos faz valoriza las mais (ou menos, né Phil) e entender melhor a música em si, sua formação, seus detalhes.
    Obrigado a vc Gustavo, ao Lobo e a todos que se dedicam a isto.
    José Carlos

    ResponderExcluir
  5. Meus amigos,

    Roderick, José Carlos e Dead...

    Esta é a melhor parte de nosso trabalho, pois em cima de uma crítica bem ácida feita pelo Dead sobre o Phill Collins, foi gerada esta postagem (graças ao Dead) que foi muito enriquecida por todos os comentários postados por vocês......

    Quem se der ao trabalho de lê-las, com certeza vai aprender um pouco mais sobre uma importante parte da história do rock.....

    De certo modo deu para perceber que existe uma unanimidade quanto a parte vocal de Phil Collins que deixaria adesejar.....

    A rigor eu não tenho nada contra e procuro não fazer comparações com o Peter gabriel, pois são dois estilos e vozes completamente diferentes e de qualquer modo, Peter Gabriel está anos-luz a frente de Phil Collins, porém o que incomoda e saber que o cara (PC) tem um caráter duvidoso e aprontou um monte de sacanagens......

    Então, para restabelecer a ordem e a justiça, vou preparar uma postagem especial para o Peter Gabriel, que independente disto, é merecedor de um destaque por seu talento e criatividade e .......

    A mim, só resta agradecer muito a todos vocês em estarem doando o precioso tempo que dispõem, visitando esta humilde casa.....

    Voltem sempre!!!!

    Abraços a todos,

    Gustavo

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails