15 de abr de 2011

JON ANDERSON - "Olias of Sunhilow" - 1976

No dia cinco deste mês eu postei um álbum, "Living Tree" da dupla Anderson & Wakeman (soa um pouco sertanejo, não?) e esta postagem gerou um comentário muito bem colocado que o amigo Jose Carlos deixou: "Realmente parece que os dois se encontraram e resolveram descansar, dá um tempo na doideira, duas lendas vivas da música, contidos, intimistas e realmente soa meio melancólico, mas como vc diz, quem sabe não é essa a mensagem que querem passar?". 

Na verdade este comentário já gerou uma postagem para Rick Wakeman, com o álbum, "Live on the Test" gravado em 1976 e agora faço o mesmo para Jon Anderson com seu primeiro álbum solo, "Olias of Sunhilow", lançado em 1976 onde além dos vocais, ele toca praticamente todos os instrumentos. 


O álbum todo é uma doideira só, a começar pela sua arte gráfica, desenvolvida a partir da idéia da capa do álbum, "Fragile" do Yes, idealizada pelo mago do design contemporâneo, Roger Dean, possibilitou o surgimento de outro grande mestre do design, David Fairbrother-Roe que juntamente com o estúdio gráfico Hipgnosis a criar umas das mais fantásticas e elaboradas artes gráficas feitas especialmente para compor um álbum  de rock.


Quem ainda têm como eu, a edição original em vinil, sabe a que estou me referindo, pois o álbum está repleto de fantásticas ilustrações e textos sobre a história de "Olias of Sunhilow", portanto a "viagem" deste álbum, já começa no plano visual logo de início. 

A história que é muito louca, eu não vou entrar em detalhes, pois não é o objetivo desta postagem, agora, a atuação de Jon Anderson como multi-instrumentista é até surpreendente, pois o principal instrumento dele é a voz e nesse quesito ele é único, mas levando-se em conta o nível de detalhes que ele impôs a esse trabalho, criando atmosferas etéreas com cenários medievais e ao mesmo tempo futuristas mostram o nível da doideira reinante neste período que ainda estava muito efervescente com sua banda principal, o Yes

É certo que não há um grande solo de guitarra ou de teclado, mas o conjunto desta obra, revela uma importante e reveladora faceta, de Jon Anderson, que como um maestro e multi-instrumentista ao mesmo tempo, conseguiu produzir um álbum riquíssimo, de valor musical inestimável, coroado com o toque de Midas de David Fairbrother-Roe para fazer a conexão audiovisual mais perfeita do rock. 

Só para lembrar, "Tales From Topographic Oceans", lançado em 1973, (para mim o melhor de todos) deu um páu danado dentro banda, culminando com a primeira saída de Rick Wakeman do Yes e em seguida, o fantástico "Relayer" lançado em 1974, ou seja, uma pauleira danada e ele ainda teve fôlego para escrever letra e música, produzir e executar estas loucas melodias e complexas canções. 

Resumindo, tenho que concordar com o comentário de nosso amigo e realmente crer que tanto Jon Anderson quanto Rick Wakeman, resolveram dar um tempo na doideira e produzir algo mais simples e intimista, mas eu espero que isso não seja o sinal de uma precoce aposentadoria, pois ambos têm talento e criatividade suficientes para continuar produzindo por muitos anos.

ALTAMENTE RECOMENDÁVEL!!!

Musicians:
Jon Anderson: Lead & Backing Vocals, Guitars, Harp, Synthesizer, Percussion
Brian "It's Going Now" Gaylor - Electronics, Synthesisers
Strings by Ken Freeman

Tracks:
1. Ocean Song (3:04)
2. Meeting (Garden of Geda) (3:34)
a. Sound Out the Galleon
3. Dance of Ranyart (4:19)
a. Olias (To Build the Moorglade)
4. Qoquac Ën Transic (7:08)
a. Naon
b. Transic Tö
5. Flight of the Moorglade (3:24)
6. Solid Space (5:20)
7. Moon Ra (12:48)
a. Chords
b. Song of Search
8. To the Runner (4:29)

"Meeting (Garden of Geda)"

"Flight of the Moorglade"

7 comentários:

  1. Prezado Gustavo,

    Tenho o vinil, nacional, com essa capa belíssima! O disco é uma obra-prima. Incrível a variedade de instrumentos tocadas por Jon Anderson. O disco foi gravado em 1976, numa época q todos os integrantes do Yes gravaram um disco solo. Só não tenho e nem conheço o do Alan White, que dizem ser o mais fraco. O álbum do Jon é o melhor, na minha humilde opinião.
    Nos créditos do meu disco, consta que Jon Anderson toca todos os intrumentos.

    Depois disso, não acompanhei a carreira solo do memorável vocalista do Yes. Não gostei de sua parceria com o Vangelis... Será q Jon gravou disco melhor que o "Olias..."?

    Ótimo post!
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Meu amigo,

    Sem dúvida alguma, este é o melhor trabalho de Jon Anderson, por conta dos vários motivos que citei na postagem, mas existe um álbum chamado, "Songs of Seven" e se não me falha a mémoria, é o segundo album solo de sua carreira.....

    Os trabalhos posteriores não tem a mesma qualiadde musical que estes dois, pois são mais voltados para uma música com uma sonoridade mais Pop, faceis de serem encontradas nas melhores rádios FM's do planeta......

    Este álbum é tão cultuado, que existe um blog só para ele, veja neste link: http://olias.wordpress.com/

    Este também é o meu preferido.....

    Volte sempre!!!

    Abraços,

    Gustavo

    ResponderExcluir
  3. Saudações! Caro Lord Gustavo.

    Bicho, tô pra te felicitar sobre esta sua excelente postagem, já tem um bom tempo, mas com essa vida atribulada, de faz uma coisa e faz outra, acabei deixando de congratulá-lo na época da postagem.

    Realmente tanto o material fonográfico como a arte gráfica são absolutamente magníficas e irretocáveis. O mais interessante de tudo é que novamente tivemos a mesma "inspiração". Pensei nesse álbum, que só tenho em LP e logo depois, vc. generosamente o postou. É interessante e até intrigante como as ideias fluem pelo "espaço" e dependendo da sua sintonia ou frequência, sei lá como isso ocorre, outra pessoa captura a mesma ideia. Muito louco....

    Bicho, vou aproveitar para te pedir o seu e-mail (pode ficar tranquilo que não vou te encher o saco), procurei no seu blog e não achei. Tô te pedindo isso, pois vc. fez um comentário sobre minha última matéria, mas ela foi "parar dentro de outra postagem, no caso, a postagem do "Brian Eno".

    Como não sei se vc. ainda tem o seu texto, quero remetê-lo para vc. para que vc. o coloque dentro da postagem correta. Trata-se de uma mera questão de organização no meu blog. Acho que não fica legal misturar alho com bugalho.

    Se por outro lado, vc. ainda tiver a cópia do seu comentário é só postar dentro da postagem pertinente e não esquenta com o e-mail. Desculpe-me pelo excesso de liberdade, no que se refere ao seu e-mail, mas não quero misturar as matérias.

    Outra coisa, não sei se vc. leu o comentário que deixei pra vc. na Postagem do Eno, ele foi publicado antes das suas impressões finais sobre o álbum. Lá no Mukifu, tem mais duas obras imperdíveis e que acredito que serão do seu agrado. Se vc. achar que vale a pena...

    Um Grande e Forte Abraço!
    MM.:

    ResponderExcluir
  4. Grande MM,

    Antes de qualquer coisa, desculpe pela confusão de comentários la no seu blog e te informo que já deixei por lá o e-mail para que possamos entrar em contato......., não leve a mal, mas o velhinho aquí, já está a meio caminho de um Alzaimer (hahahaha).....

    Relativo ao "Olias of Sunhilow", não há quem não viaje, só olhando para a capa, pois considero uma das poucas ilustrações que chegam a superar as que Roger Dean fez em toda a sua brilhante carreira.....

    Quando vamos para o conteúdo deste álbum, ai meu velho, é o passaporte da alegria, quanta inspiração e até mesmo uma iportante revelação que Jon Anderson não é apenas uma vóz, mas um multi-instrumentista.........

    Bem, quanto a sintonia que há entre nossos blogs, é mistério, pois a recíproca é a mesma, mas por outro lado, nós praticamente gostamos das mesmas bandas e um bom exemplo, é o "Passport", não é uma banda muito comum.... mas mesmo assim, já fizemos diversas postagens dela....., portanto este fato ter acontecido algumas vezes dá até apara entender.......

    Mas o mais importante, é que com essa sintonia, nossa fraterna amizade só se estreita...... e isso é o que vale.

    Mande para mim os comentários, para recolocá-lo no devido lugar e quanto ao meu e-mail, é para ser usado sempre que quiser......

    Obrigado por ter aparecido aqui na minha bagunça....

    Volte sempre!!!

    Um forte abraço...


    Gustavo

    Um forte

    ResponderExcluir
  5. Olá Gustavo!

    Lembro-me perfeitamente de quando li a reportagem sobre o lançamento deste vinil na revista Pop (naquela época era uma das poucas fontes onde conseguia me atualizar com o mundo da música) e sai correndo à procura deste disco. Tenho o vinil mas minha pick up já não funciona mais e foi uma benção quando achei este post. Obrigado.
    Luiz

    ResponderExcluir
  6. Caro Luiz,

    Este álbum é clássico do rock progressivo, o melhor trababalho feito por Jon Anderson fora do Yes e uma das melhores artes gráficas de todos os tempos.....

    Eu ainda tenho o meu vinil em perfeito estado, bem como um cd japones que manteve as mesmas características gráficas.......

    Que bom que o link ainda estava ativo e você pode fazer o download....

    Volte sempre!!!!

    Abraços,

    Gustavo

    ResponderExcluir
  7. não se engane, pois o vangelis esta por tras de toda essa obra prima , seu credito não foi dado devido a questões contratuais, mas o teclado é vangelis .

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails