11 de fev de 2011

JEAN MICHEL JARRE - Les Chants Magnétiques (Magnetic Fields)" - 1981

Ultimamente tenho escutado muita música eletrônica e em especial, os trabalhos de Jean Michel Jarre, um mestre da música, dos teclados e porque não dizer também, dos shows pirotécnicos, mas curiosamente tenho observado certo esquecimento em relação a sua extensa obra.

Antes de iniciar esta resenha fiz uma rápida pesquisa na Internet e encontrei poucos blogs do Brasil dedicando alguma atenção a Jean Michel Jarre ou mesmo simplesmente disponibilizando algum material para ser apreciado, portanto aproveito a oportunidade para fazer uma breve resenha sobre um álbum muito conceituado, produzido por Jean Michel Jarre em 1981, intitulado "Les Chants Magnétiques", bem conhecido aqui em terra tupiniquins como "Magnetic Fields".

A música que abre o álbum, "Magnetic Fields Part 1", uma suíte de quase dezoito minutos, já vale o álbum todo, pois é fantástica, coisa de gênio, é uma sinfonia eletrônica, arrepia em alguns momentos, pois não é simplesmente um conjunto de equipamentos eletrônicos trabalhando mecanicamente, tem calor humano por trás dos arranjos, até quem não é habituado a este tipo de música tem sua atenção conquistada. 

As demais músicas do álbum são de menor duração, mas receberam o mesmo esmero em suas composições e a uma delas ate uma bela voz feminina foi adicionada, dando uma oportunidade à reorganização dos neurônios, criando um momento de calmaria para então voltar a seus experimentos eletrônicos que culminam com uma espécie de bolero eletrônico que é até legal de escutar, parace até que foi feito em tecladinho da Casio e que corajosamente só poderia partir de alguem despojado de preconceitos musicais.

Jean Michel Jarre  neste álbum é o único músico envolvido no projeto, produzindo todos os sons necessários para dar vida a mais um esplêndido trabalho, fruto de sua criatividade como compositor e de seu talento para os teclados.

Musicians:
Jean Michel Jarre / synthesizer, keyboards

Tracks:
1. Les Chants Magnétiques / Magnetic Fields Part 1 (17:49)
2. Les Chants Magnétiques / Magnetic Fields Part 2 (3:59)
3. Les Chants Magnétiques / Magnetic Fields Part 3 (4:15)
4. Les Chants Magnétiques / Magnetic Fields Part 4 (6:18)
5. Les Chants Magnétiques / Magnetic Fields Part 5 (3:30)

LINK

"Magnetic Fields Part 1"


"Magnetic Fields Part 5"

6 comentários:

  1. Jean Michel Jarre não teve a mesma aceitação q Tangerine Dream e até mesmo Vangelis tiverem. É acusado de comercialismo e falta de originalidade. Mas eu o acho um músico criativo. Até que seu primeiro álbum, "Oxigene" foi muito aplaudido, mesmo pelos 'entendidos'. Já o segundo, "Equinoxe" não teve a mesma aceitação, falaram q ele estava se repetindo. De fato, o album parece muito com o primeiro, todavia é um trabalho bem feito.

    O "Rendevouz", que para muitos é comercial, é o q eu mais gosto. O andamento das músicas é mais lento. É um disco triste, amargo, dedicado às vítimas fatais do "Challenger".

    O "Zoolook" é fraco. Olha, vou até conferir se ainda tenho esse disco(rs).

    JMJ gravou um álbum pós- Zoolook, fraquíssimo, no qual escutamos uma suite de uns 20 minutos, cansativa, com um piano se repetindo... tipo um daqueles sons q Eno chegou a fazer.

    "Magnet Fields" é um bom trabalho, mormente pelo suite, citada por vc, meu caro Gustavo.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. A bem da verdade tem alguns álbuns que eu também não gosto, mas este que eu postei em especial eu gosto muito, mas de qualquer forma, JM é um grande compositor........

    Abraços...

    ResponderExcluir
  3. Sou amante da música eletrônica, e gosto de quase todos os albuns do Mr.Jarre, somente aquele REVOLUTION em que ele aparece na capa com a barba por fazer, nao gostei muito. Gosto dos trabalhos dos anos 70/80 até o ZOOLOOK, e acho que esta fase pode-se chamar de clássica do autor. Depois veio RENDE-VOUZ, um album para Jack Cousteau com aquela orelha na capa. Adoro JMJ, me influenciou muito na minha vida, porém tem outros albuns que chamo de independentes , ANDY SUMMERS, EDDIE JOBSON, O LP AUTOMAT (SE LEMBRAM DA CAPA DO ROBO OLHANDO O SEU REFLEXO DE ROMANO MUSUMARRA?)que volta e meia eu escuto e me fazem relembrar minha adolescencia com grande ideiais que estas musicas me transmitiram.

    ResponderExcluir
  4. Caro anônimo,

    Eu também gosto muito da música eletrônica e JMJ é de seus ícones, mas também gosto muito do trabalho do Tangerine Dream e do Kraftwerk......

    O álbum do Automat eu já postei postei por aquí, pois é muito bom também e como vc bem disse faz parte da nossa adolescencia.......

    Volte sempre!!!

    Abraços,

    Gustavo

    ResponderExcluir
  5. Caro Gustavo,
    primeiramente parabens a seu blog, bastante informativo. Sobre a divulgação do artista no Brasil, saiba que existe desde 1997, um importante fã clube ativo, chamado JARREFAN-BRAZIL, que surgiu com membros de diferentes partes do país e também Portugal, com objetivo de divulgar o artista. Ao longo dos anos , promovemos encontros, duas convenções no interior de SPaulo, ajuda em produtoras para lançar produtos, como o DVD de Moscow (editado 3 vezes no Brasil) além de uma grande exposição de fotos para celebrar os 60 anos do artista e uma biografia em portugues chamada "O Homem que faz a luz dançar".
    Recentemente, criei coragem e com um grupo de fãs, fomos em seu ultimo grande concerto outdoor, em Mônaco, onde pessoalmente homenageamos o artista com uma placa especial.

    Mais informações aqui:

    www.jarrefan.com.br

    att,

    Ricardo Melo

    ResponderExcluir
  6. Caro Ricardo,

    Fico muito grato pelas palavras de incentivo dirigidas ao blog.... muito obrigado.

    JMJ,é um dos ícones da música eletrônico e um compositor sem igual..... um fenômeno....

    Imagino a emopção que sentiu em em estar diante dele.....

    Volte sempre!!!

    Abraços,

    Gustavo

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails