29 de out de 2010

JETHRO TULL - "A Classic Case" - 1985

Já li diversos comentários a respeito do Jethro Tull, como sendo uma das mais amadas bandas de rock progressivo do planeta e me sinto no dever de agregar-me a este coro, pois realmente o Jethro Tull cativa a todos, principalmente por conta da figura pitoresca e carismática de Ian Anderson que faz uma caricatura de si mesmo, principalmente quando está no palco, logicamente não nos esquecendo do seu talento nato como compositor e músico instrumentista.

O álbum "A Classic Case" editado em 1985 é um trabalho cem por cento instrumental clássico, pois um membro de peso foi agregado, a "London Symphony Orchestra" sob a regência de David Palmer, transformando este álbum em um grande convite aos amantes da música clássica, bem como para os fãs da banda, pois seus melhores sucessos estão expostos neste álbum.

A música de abertura do álbum, "Locomotive Breath" e o prenúncio do que está por vir, pois a flauta de Ian Anderson, aparece mais insana do que de costume, a rigor enlouquecida como o seu condutor e em conjunto com a banda e a orquestra é realmente um presente de valor inestimável.

Músicas como "Locomotive Breath", "Thick As A Brick", "Aqualung", "Too Old To Rock 'n' Roll, Too Young To Die", "Living In The Past" que está de tirar o fôlego, por exemplo, são parte integrante do consciente coletivo dos fãs da banda, não foram poupadas desta corajosa transformação e mesmo assim mantiveram o encanto que há anos a fio nos fazem escutá-las incansavelmente.

Uma musica que merece um destaque especial é "Bourée", que mesmo que tenha já uma origem clássica, nesta versão, veio acompanhada de um pós-doutorado em flauta que Ian Anderson proporcionou, pois simplesmente está irresistível com arranjo feito para esta música.

Neste momento vem sempre um pensamento que quando a origem musical tem berço, é de qualidade e é também inovadora, o resultado sempre será positivo, independente da tribo, mas sei que muitos vão levar em conta que neste caso, o rock progressivo tem uma proximidade muito grande com a música clássica o que é absolutamente correto e é também um facilitador para esta transformação, porém posso citar o exemplo do Iron Maiden que teve o álbum "Peace of Mind", orquestrado pela "The Hand of Doom Orchestra" e o trabalho ficou de arrepiar, não de medo, mas porque emociona. 

O resultado ficou fantástico e foi surpreendente ver as músicas dos reis supremos do metal ganharem vida no mundo da música clássica com tanta categoria e grandeza, mas obviamente esta equação musical de sucesso depende a uma origem consistente e de um trabalho de arranjo bem elaborado e adequado ao padrão musical original.

Portanto, fica um convite a todos para que escutem mais um tesouro musical do Jethro Tull.

Músicos:
Ian Anderson,
Martin Barre,
Dave Pegg,
Peter-John Vettese
London Symphony Orchestra sob a regência de David Palmer

Track-list:
01."Locomotive Breath" - 4:16
02."Thick As A Brick" - 4:24
03."Elegy" - 3:41
04."Bourée" - 3:10
05."Fly By Night" - 4:12
06."Aqualung" - 6:22
07."Too Old To Rock 'n' Roll; Too Young To Die" - 3:27
08."Teacher / Bungle In The Jungle / Rainbow Blues / Locomotive Breath" - 3:58
09."Living In The Past" - 3:29
10."War Child" - 4:56

LINK.

"Thick As A Brick"
"Locomotive Breath"
"Bourée"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails