23 de set de 2010

ELOY - "RA" - 1988

Pura magia, feitiço, encantamento é o que vem a cabeça quando escuto algum trabalho do Eloy e este álbum, "RA" prova isso tudo com muita facilidade em apenas cinco faixas e para mim fica muito claro que a espinha dorsal e o espírito da banda têm um nome e ele é Frank Bornemann, mentor intelectual de toda uma trajetória de sucesso, um músico e compositor impar na história da música.

É claro que há a necessidade de uma constância na formação de uma banda para que com o passar do tempo o entrosamento entre seus integrantes crie uma homogeneidade musical, porém, não é o caso do Eloy que passou por diversas formações, mas por conta da versatilidade, criatividade e a inteligência de Frank Bornemann, a banda conseguiu manter uma constância invejável no que diz respeito à qualidade e a musicalidade em todos os seus trabalhos.

Se levarmos em consideração que em mais de trinta anos de palco, os movimentos musicais foram se modificando juntamente com sua platéia que espera escutar o som do momento, sabiamente isso foi percebido desde os seus primórdios, pois o Eloy passou por várias fazes musicais muito distintas, iniciando-se com o hard-rock, rock progressivo,  música eletrônica, chegou a flertar rapidamente com o metal, retornou ao rock progressivo, mas o que mais importa é que a banda sempre esteve mais viva do que nunca neste tempo todo, com qualquer formação que tenha sido montada , sempre nos brindando com seus trabalhos de forma surpreendente.

"RA" está muito bem estruturado, temático e ao mesmo tempo moderno, um progressivo tardio pelo momento em que foi lançando, mas um excepcional álbum, muito bom mesmo e na escolha dos músicos convidados para esta produção, mais uma vez Frank Bornemann acertou em cheio, provou sua competência em criar soluções para a difícil equação musical que é a inconstância de membros em uma banda de rock, pois a rigor naquele momento o Eloy era formado apenas por ele e Michael Gerlach outro músico de primeiríssima categoria.

Essa lição de competência, criatividade e até de certa insanidade dada por Frank Bornemann pode ser resumida em apenas duas letrinhas, "RA", é só escutar para entender tudo o que foi dito acima. 

Músicos fixos:
Frank Bornemann - vocal e guitarra

Michael Gerlach - teclado, bateria e baixo

Músicos convidados:
Achim Gieseler - teclado em "Invasion of a Megaforce" e "Rainbow"
Stefan Höls - baixo em "Invasion of a Megaforce" e vocal de apoio em "Dreams" e "Rainbow"
Darryl van Raalte - baixo em "Dreams"
Paul Harriman - baixo em "Sensations"
Anette Stangenberg - vocal em "Rainbow", "Dreams" e "Invasion of a Megaforce"
Diana Baden - sussurros em "Dreams"
Tommy Newton - guitarra em "Sensations"
Udo Dahmey - bateria em "Invasion of a Megaforce"
Sue Wist - vocal em "Voyager of the Future Race"

Track-list:
1. "Voyager of the Future Race" – 9:03
2. "Sensations" – 5:13
3. "Dreams" – 8:09
4. "Invasion of a Megaforce" – 7:45
5. "Rainbow" – 5:23
6. "Hero" – 6:53

LINK.

"Voyager of the Future Race"
"Rainbow"
"Voyager of the Future Race" - Live record

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails