8 de set de 2010

AUTOMAT - "Automat" - 1978

Lembrei deste álbum meramente ao acaso, pois como estava de mudança, tive que mexer com meus LP's lá no fundo do baú e condicioná-los de forma correta para que não sofressem algum dano e por conta disto fui passando um a um e não só este que posto agora como alguns outros, faço questão de compartilhar com todos, pois são álbuns que em alguns casos acredito que não tenham sido transformados em CD's e merecem ser destacados por seu conteúdo de altíssimo valor musical. 

Começo então com um que é específico para os amantes da música eletrônica no feitio de Kraftwerk, Tangerine Dream e companhia e esta banda de estúdio italiana, chamada Automat é uma fonte de entretenimento musical garantida.

Formada por dois excelentes tecladistas, Romano Musumarra e Claudio Gizzi, um engenheiro de som, Luciano Torani e o programador dos teclados Mario Maggi, o Automat nos leva a uma viagem musical incrível.

O álbum de nome homônimo a banda, tem em seu lado "A", pois se tratava de um LP, uma suíte, também chamada de Automat, dividida em três partes que em muito lembra os trabalhos do Tangerine Dream e do Kraftwerk, muito pela similaridade dos timbres dos teclados bem como pelo próprio formato da estrutura das músicas, mas sem haver a menor intenção de cópia de estilo ou coisa parecida.

No lado "B", a música Droid, conhecidíssima de nós brasileiros, pelo menos para os que têm mais de trinta anos, pois foi a música de abertura do Globo Repórter nos anos 80, um hino extremamente instigante, um hit inesquecível, neste caso, uma música mais progressiva do que eletrônica.

Para que não a conhece será uma grata surpresa e para quem já a conhecia a tempos, sem dúvida alguma será uma lembrança muito positiva e gostosa de escutar.

As demais músicas, Ultraviolet e Mecadence seguem o mesmo padrão musical aplicado na suíte Automat conferindo a este álbum um destaque junto a bandas consagradas que seguem este estilo musical.

Uma das fontes de inspiração para este álbum foi o experimentalismo sonoro feito em cima de um novo sintetizador criado por Mario Maggi, chamado MSC-70 (Memory Controlled Synthesizer) que depois seria muito utilizado por outras bandas de música eletrônica e de rock progressivo.

Músicos e apoio técnico:
Romano Musumarra - teclados
Claudio Gizzi - teclados
Mario Maggi - programação eletrônica
Luiciano Torani - engenharia de som

Track-list:
01 - Automat
       a) The rise
       b) The Advance
       c) The Genus
02 - Droid
03 - Ultraviolet
04 - Mecadence

Link.
"Droid"
"Automat"

3 comentários:

  1. Caro Gustavo,

    Tenho o vinil nacional, comprado quando ele saiu no Brasil, e eu trabalhava pela primeira e única vez numa loja de discos. A suite , q ocupava o lado inteiro do vinil, era tido como maldita, pois seu balanço era suspeito: foi rotulada como discoteca... Eu, a ouvia, com um certo preconceito... Com o tempo percebi q era uma ótima música. A famosa faixa, q vc citou, foi chupada de uma música do Vangelis, mas o mesmo Vangelis chupou do Manfred Mann, e Manfred Mann chupou do Vincent Crane, q deve ter chupado de algum músico clássico. Chupadores, mas criativos.rs. Minha preferida é a soturna "Ultraviolet".

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Que prezer em em tê-lo de volta ao blog.....

    Eu tb tenho o vinil nacional e confesso que já havia esquecido dele......

    Independente de plágios múltiplos...... eu gosto muito da música Droid......

    Pena que produziram este único álbum....

    Abraços...

    ResponderExcluir
  3. Claudio Gizzi e Romano Musumarra não gostaram do resultado e deixaram o album de lado. Mario Maggi presenteou Jean Michel Jarre com a primeira cópia do LP. Em troca, ganhou um Oxygene autografado.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails