16 de jun de 2010

PREMIATA FORNERIA MARCONI - "Storia di un minuto" - 1972

A banda Premiata Forneria Marconi ou simplesmente PFM como é mundialmente conhecida, surgiu no início dos anos setenta na Itália e como competência era a matéria prima da banda, logo começaram a abrir shows para o Yes e o King Crimson, antes mesmo de lançarem seu primeiro trabalho, sem dúvida alguma um excelente começo e uma promessa de um futuro brilhante.

O primeiro álbum foi editado no ano de 1972, intitulado "Storia di un minuto" que é o objeto desta postagem e realmente por esse trabalho já é possível vislumbrar a grandeza da banda, a vocação e o talento nato para o rock progressivo em um momento em que estava em franca ascensão em seu movimento, com diversas bandas de excelente qualidade surgindo na Itália e com a obrigação de fazer frente a bandas já consagradas da Inglaterra e da Alemanha.

Tarefa nem um pouco invejável, mas o PFM estava lá, com muita tranquilidade, presente em um movimento até certo ponto elitista, pois não bastava ter cabelos compridos e usar roupas coloridas, tinha que haver talento, muito talento, virtuosismo individual e em grupo dos músicos, pois a essência do rock progressivo norteia-se por elementos advindos da música clássica associados a temas muito complexos e toda a teatralidade necessária nas apresentações em público, não deixando espaço para músicos e compositores medíocres.

A palavra "medíocre" pode soar agressiva demais, mas é a mais pura verdade e facilmente fazendo um brainstorm, atentando para cada elemento das diversas bandas de rock progressivo, fica difícil apontar este ou aquele como melhor o guitarrista, tecladista, ou seja o que for, pois cada um tem uma característica ou peculiaridade tão distinta que fica difícil apontar quem é o melhor e isto se dá pelo alto nível de virtuosismo que cada um apresenta e não é com três acordes aqui ou ali e letras que não dizem absolutamente nada, que é resolvida a equação da música do rock progressivo.

"Storia di un minuto" é um álbum simples, a rigor não existe uma rígida ligação entre as músicas, pois o álbum não está diretamente focado em um tema central, mas individualmente todas tem conteúdo, pois as músicas são trabalhadas de tal forma que é possível sentir a atmosfera progressiva nelas em função do enredo musical muito bem elaborado pelo PFM.

Nos brindaram com este magnífico trabalho os seguintes músicos, Franz Di Cioccio na bateria,  sintetizador moog e vocais, Franco Mussida nas guitarras acústica, elétrica, de doze cordas, bandolim e vocais, Mauro Pagani na flauta, violino vocais, Giorgio Piazza no baixo e vocais e Flavio Premoli nos Teclados, mellotron, cravo, piano, sintetizador moog e vocais.

Track-list:
1."Introduzione" - (Mussida) - (1.09)
2."Impressioni di Settembre" - (Mussida/Mogol/Pagani) - (5.43)
3."E' Festa" - (Mussida/Pagani) - (4.49)
4."Dove... Quando... parte 1 - (Mussida/Pagani) - (4.06)
5."Dove... Quando... parte 2 - (Mussida/Pagani) - (6.00)
6."La Carrozza di Hans" - (Mussida/Pagani) - (6.45)
7."Grazie Davvero" - (Mussida/Pagani) - (5.51)   

Link.
"É Festa"
"Dove... Quando... parte 1"
"Dove... Quando... parte 2"

2 comentários:

  1. Os três primeiros PFM são tão bons, q nem consigo escolher um melhor. Um dos melhores conjuntos do mundo! Puro lirismo!

    ResponderExcluir
  2. Caro Roderick,

    Mais uma vez tenho que concordar com você, pois tambem acho o PFM uma das melhores bandas do planeta e realmente fica difícil escolher qual seria o melhor álbum deles, principalmente na fase inicial da carreira.

    Abraços,

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails